Navegue pela Home do seu time
DeSean Jackson começa lobby para manter Fitzpatrick como titular

DeSean Jackson começa lobby para manter Fitzpatrick como titular

MKC

A semana três está chegando e logo após o Monday Night Football acabará a suspensão de Jameis Winston, primeira escolha geral do Draft 2015 e titular do Tampa Bay Buccaneers desde então. O atleta que teve uma temporada difícil no ano passado, ainda acumulou desabono com a equipe após tomar três jogos de suspensão devido a um assédio a uma motorista do Uber. Antes mesmo do início da temporada, o front office da equipe já havia alertado que sua volta como titular não era garantida.

Mas o que ninguém esperava é que seu substituto, Ryan Fitzpatrick tivesse a melhor performance de um quarterback em duas semanas de temporada regular. Seu rating de 151,5 pontos é o maior até mesmo que o de Patrick Mahomes, que lançou para 10 touchdowns nos primeiros dois jogos. Além disso, Fitz levou a equipe à duas vitórias jogando para 819 jardas e 8 touchdowns, deixando a decisão do treinador Dirk Koetter ainda mais difícil. 

E se os resultados em campo já colocam a volta de Winston em check, os atletas do ataque começam a vir a público em apoio a Fitzpatrick, uma vez que com o quarterback o ataque está funcionando. DeSean Jackson, um dos maiores salário da equipe declarou total apoio a Fitz, que segundo ele está “pegando fogo”. Isso parece ser o mais lógico, mas no futuro a declaração do recebedor pode criar problemas com o antigo titular e franchise quarterback do Bucs, Jameis Winston.

“Ele está pegando fogo agora”, disse Jackson. “Com o jeito que a equipe está se recuperando com ele em campo, você tem que honrá-lo. Você sabe o que eu estou dizendo? Você não pode levar o homem ‘quente’ para a reserva. “Ele está dando um show. Não é uma decisão minha, mas tenho certeza que Dirk e o coordenador ofensivo Todd Monken vão garantir que ele continue pegando fogo até que o fogo acabe.”

E não é para menos que Jackson e os outros recebedores queiram Fitzpatrick no time. Com 819 jardas aéreas, a equipe conta com dois recebedores entre os nove melhores da liga. Jackson lidera a NFL e Mike Evans é o nono. Fitz também é o líder entre os quarterbacks e OJ Howard é o terceiro entre os tight ends, com 150 jardas.

gojnqvxcomigzopybvy2

Tudo isso deixa o treinador da equipe em uma posição delicada. Apostar no veterano que já mostrou boas e péssimas temporadas na NFL ou voltar a contar com seu quarterback franchise. A decisão a princípio parece ser fácil, mas Winston é um dos líderes da equipe, sendo assim, pode haver um “racha” no vestiário caso o quarterback comece a criticar a decisão.

“Bem, os seus números – de Fitzpatrick – estão surpreendendo. Eu acho que todos os atletas estão respondendo bem”, disse Dirk Koetter“Nosso time está jogando bem. Está fazendo algo que muitos não pensaram que poderia. Temos um bom vestiário. Nossos caras acreditam um no outro agora. Qualquer jogador que esteja jogando bem receberá o que merece.”

Esta resposta de Koetter deixa claro que Fitz pode sim se manter como titular, mas quando indagado diretamente sobre a escolha para a semana 4, ele desconversou.

“Eu não serei o único a resolver isso. Nos preocuparemos com esta resposta quando chegar a hora. Agora, logo depois que eu sair daqui, vamos começar a trabalhar para o jogo contra o Pittsburgh e isso é tudo que importa agora. Todo o resto está no futuro e tudo pode mudar após esta partida.”

O Tampa Bay Buccaneers recebe o Pittsburgh Steelers na segunda-feira, em um jogo que promete muito, não só pela atual fase da equipe da Flórida como também pelo mal momento que o time da Pensilvânia passa.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

O que o Patriots ganha – e perde – com a chegada de Josh Gordon

O que o Patriots ganha – e perde – com a chegada de Josh Gordon

Brock oficial

Bill Belichick está se mostrando agressivo neste início de temporada. Depois de perder diversos recebedores veteranos e galgar nos waivers alguns nomes para cobrir esta falta, após a derrota para o Jacksonville Jaguars ficou claro que a Tom Brady precisa de mais munição. Mesmo enfrentando uma defesa do calibre da equipe de Doug Marrone, não é comum Brady lançar para 234 jardas, principalmente sem nenhuma efetividade, como foi no primeiro tempo da partida de domingo.

Belichick já havia arriscado com Corey Coleman, escolha de primeira rodada do Cleveland Browns. Mas também da equipe de Ohio chegou um recebedor talentoso, que liderou a liga em jardas em 2013 e se não fosse seus problemas com as drogas poderia estar no nível de Antonio Brown e Odell Beckham Jr.

O Patriots trouxe Josh Gordon, que de tão talentoso ficou recebendo a atenção – e paciência – de sua antiga equipe por quatro anos antes de voltar a jogar. Agora, por problemas de confiança desembarca em New England pronto para ajudar – ou não – a equipe de Belichick a recuperar seu ataque.

O ataque do Patriots precisa de mais um recebedor, afinal, se olharmos os números apenas Cordarrelle Patterson, James White e Phillip Dorsett vem fazendo seu trabalho. No estilo que Belichic trabalha é muito pouco. Precisa de mais gente para servir de alvo para Brady. Gordon é o tipo de atleta que atrai a atenção da marcação, a chamada “isca”. Então ele pode dar mais espaço para outros recebedores da equipe.

0,,_16765590,00

Se ele der certo o lucro será enorme, uma vez que o Patriots pagou apenas uma escolha de quinta rodada por ele. Já aconteceu caso semelhante com Michael Floyd em 2016, quando o atleta serviu aos interesses da equipe após ser dispensado pelo Arizona Cardinals. Floyd não foi tão efetivo pontuando, mais é inegável que ajudou a equipe quando esteve em campo.

Bill Belichick é sábio, fazendo o movimento sem grandes riscos. Pode perder uma escolha de quinta rodada, mas o Patriots está muito bem no Draft do ano que vem, inclusive podendo ganhar duas escolhas compensatórias de terceira rodada da free agency (Malcolm Butler e Nate Solder).

O movimento não é novidade na equipe, então se Gordon não der certo será cortado. Belichick gosta de deixar claro que todos os atleta que chegam a equipe recebem uma ficha limpa. Dali em diante é seguir as regras e a cultura da equipe para se dar bem ou não. Gordon tem tudo para encaixar no jogo do Patriots, porém esta chance que recebeu é única e tem que ser aproveitada. Se não der certo, assim como aconteceu com Chad OchocincoAlbert Haynesworth em 2011, o Patriots perde uma escolha de quinta rodada. Pouco pelo movimento necessário.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

Quem é o pior até agora?

Quem é o pior até agora?

MKC

A temporada começou e em duas semanas o que vimos foi muito equilíbrio. Das 32 equipes da NFL, apenas sete acumulam duas vitórias, quatro conseguiram a “proeza” de empatar e uma diversidade tem 50% de aproveitamento. Mas existem equipes que ainda não sabem o que é vencer. Então fica a pergunta: Quem é a pior equipe neste início de temporada?

Desde já podemos excluir o Oakland Raiders, que após a chegada de Jon Gruden perdeu seu melhor defensor – Khalil Mack – e mudou sua filosofia. Mas a equipe vem jogando bem, fazendo partidas competitivas e beirando a vitória. Foi melhor no primeiro tempo contra o Los Angeles Rams e perdeu nos últimos segundos para o Denver Broncos. Definitivamente não é a pior equipe da NFL no momento.

O Houston Texans também não. Só está precisando levar um “choque” antes de entrar em campo. Fez dois primeiros tempos – contra o New England Patriots  e Tennessee Titans desprezíveis – antes de se afirmar em campo. Jogou de igual para igual contra o time de Tom Brady no Gillette Stadium durante o segundo tempo e perdeu por pouco para o time de Blaine Gabbert. Tem chances de se recuperar e quiçá disputar uma vaga nos playoffs.

O New York Giants está tendo lampejos, mas sua divisão – pasmem – está nivelada por baixo. O atual campeão do Super Bowl não fez ótimas atuações, o que podemos falar também do Dallas Cowboys e Washington Redskins. O Giants tem Odell Beckham Jr e Saquon Barkley, precisa que seu ataque encaixe melhor. Foi dominado em boa parte do jogo de ontem pela secundária do Cowboys, o que não é o mesmo se comparada com a primeira rodada, quando fez um jogo equilibrado contra o Jacksonville Jaguars. “Tá ruim, mas tá bom”.

Seattle Seahawks perdeu as duas, mas sempre disputando. Na primeira foi longe, mas o ataque não é tão bom e a defesa do Broncos os engoliu. Nesta noite o Chicago Bears também dominou o jogo inteiro. O que parece é que Pete Carroll perdeu a mão do time. Pode estar chegando a fase difícil do Seahawks, então quem menos pode falhar novamente é o quarterback da equipe.

Matt+Patricia+Detroit+Lions+vs+Oakland+Raiders+neVmnXEYfXcl

Agora começa a pesar a balança, uma vez que o Detroit Lions fez um jogo patético contra o New York Jets na semana 1. Parece estar começando a se encaixar, uma vez que deu um sufoco no San Francisco 49ers após sofrer no primeiro tempo. Tem que dar tempo a Matt Patricia, já que receber ordens de Bill Belichick e aplicá-las é uma coisa, agora fazer Matthew Stafford parar de lançar “patos mortos” é um pouco mais complicado.

Muitos devem pensar que o Buffalo Bills é o pior, afinal, tem a pior relação de pontos marcados vs pontos sofridos (23 a 78). Mas não é o pior e vamos explicar porque. O Bills tem um jogo corrido que funciona e um quarterback que pode se tornar um bom nome na NFL. Tudo bem que Josh Allen jogou para duas interceptações, mas já estava no modo “comeback”, perdendo por larga vantagem. O time do Bills é ruim, mas não consegue ser pior que o time abaixo.

Marcar seis míseros pontos em duas partidas, sendo que você tomou de zero de um rival de divisão deve ser humilhante para os fãs do Arizona Cardinals. Porém parece que tudo é planejado, vão perder muito e esperar a melhor escolha do Draft 2019. Na metade da temporada devem largar Sam Bradford, que jogou para ridículas 90 jardas e colocar o calouro Josh Rosen, que também não vem demostrando nada de bom nos treinos. O time em duas partidas marcou apenas um touchdown, com uma corrida de 2 jardas de David Johnson

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

Antonio Brown no Twitter: “Me troque, vamos descobrir”

Antonio Brown no Twitter: “Me troque, vamos descobrir”

Brock oficial

Depois de uma derrota “pesada” para o Kansas City Chiefs dentro de casa, Antonio Brown respondeu via Twitter um ex-funcionário da equipe de uma maneira que chamou a atenção de todos. Questionado a respeito de sua capacidade dentro de campo ele não poupou palavras para dizer: “Me troque, vamos descobrir”.

A resposta foi endereçada a Ryan Scarpino, que trabalhou na equipe de 2010 a 2017. Ele havia criticado Brown pouco antes dizendo entre outras coisas que “Brown havia dado sorte em cair numa equipe que conta com Ben Roethlisberger”. O texto do ex-funcionário, que estava presente no vestiário e convivia com os atletas quando estava na franquia foi este:

“AB precisa agradecer a sua sorte, porque ele foi convocado por um time que tinha Ben. E Ben tem ajudado AB. Você sabe muito bem que ele não colocaria esses números para outras equipes.”

A crítica veio após uma atuação do jogador, que recebeu nove bolas para 67 jardas na derrota de ontem (16). Além de jogar mal, Brown foi pego pelas câmeras discutindo com o coordenador ofensivo, Randy Fichtner na linha lateral. Após isso, ele e Brown foram filmados novamente, desta vez conversando sozinhos.

Brown não deu nenhuma declaração sobre o tweet, uma vez que ele não participou da entrevista coletiva. Mas o linebacker Bud Dupree veio a público defender seu companheiro de equipe.

“Você sabe como é a AB, especialmente depois de uma derrota como essa”, disse Dupree. “Os caras vão dizer coisas. Ele só quer ajudar o time a ganhar o máximo que puder. Sabemos que ele estará pronto. Ele faz grandes coisas em campo. Ele sabe que sempre o apoiaremos.”

O assunto reacende uma crise que está se instaurando no Steelers, visivelmente está mais fraco que nas últimas temporadas. Na primeira partida do ano um empate com o Cleveland Browns já deixou muitos descontentes. Agora, depois de perder levando seis passes para touchdown, a equipe começa a se queistionar dentro de campo.

Vale lembrar que antes da estreia, quando grande parte da linha ofensiva veio a público questionar a decisão de Le’Veon Bell em não se apresentar a equipe, Brown foi o único que disse estar ao lado do corredor, que até agora deixou claro não ter interesse em assinar a franchise tag oferecida a ele. A próxima partida da equipe é no Monday Night Football, fora de casa contra o invicto Tampa Bay Buccaneers.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

Fitzpatrick reina na divisão de Brees, Matt Ryan e Cam Newton

Fitzpatrick reina na divisão de Brees, Matt Ryan e Cam Newton

MKC

Quem poderia imaginar que o veterano reserva do Tampa Bay Buccaneers  seria o grande astro da NFC Sul neste início de temporada. Pois está sendo. Ryan Fitzpatrick jogou sua segunda partida consecutiva para mais de 400 jardas e quatro passes para touchdowns, levando o Bucs a uma vitória por 27 a 21 em cima dos atuais campeões da NFL, o Philadelphia Eagles.

Na entrevista coletiva, a nova estrela da NFC Sul apareceu vestido como um rock star, emprestando as roupas de DeSean Jackson, que novamente fez grande partida. Fitz está trabalhando bolas em profundidade como nunca, uma vez que conta com Jackson, Mike Evans, OJ Howard (recebeu um passe para touchdown de 75 jardas) e Chris Godwin.

Com a atuação, ele entra para a história do Buccaneers como primeiro quarteback a lançar para quatro ou mais touchdowns em duas partidas de abertura de temporada, Também se torna o primeiro da franquia a dar dois ou mais passes de 75 jardas em uma partida. Enfim, Fitz está brilhando na divisão.

O que é de se espantar é a falta de protagonismo de outros grandes atletas da sua divisão. Drew Brees, futuro recordista da liga em jardas e Hall da Fama, amargou duas partidas difíceis em um início conturbado com o New Orleans Saints. Na estreia perdeu para o próprio Fitz, mesmo lançando para 3 touchdowns e jogando para 427 jardas. Mas ontem, enfrentando o Cleveland Browns sofreu para conquistar a primeira vitória, sendo pressionado o jogo inteiro e se salvando com um field goal no fim. Deu dois passes para touchdown, mas as 243 jardas chamam a atenção negativamente.

5b9ec1a786192.image

Já os MVPs da NFL em 2015 e 2016 se enfrentaram ontem e, mesmo fazendo um jogo movimentado, tanto Cam Newton quanto Matt Ryan ainda não se destacaram na temporada. Cam foi até melhor, jogando para 3 touchdowns e 335 jardas, porém o Carolina Panthers ainda não deslanchou.

Matt Ryan foi mais econômico, lançando para 272 jardas e 2 touchdowns, no entanto conseguiu a primeira vitória da equipe, que jogou em casa. Na estreia havia sido “engolido” pela defesa do Eagles, na derrota da equipe por 18 a 12. Na partida de ontem ambos foram interceptados uma vez.

Na semana 3 da temporada 2018 os confrontos das equipes da NFC Sul são: Falcons x Saints; Panthers x Bengals e Buccaneers x Steelers.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

Chiefs e Broncos: Luta será insana pela AFC Oeste

Chiefs e Broncos: Luta será insana pela AFC Oeste

Brock oficial

Dentre oito divisões na NFL apenas uma possui duas equipes que permanecem com 100% de aproveitamento, a AFC Oeste. E mesmo tendo se passado apenas duas rodadas não foram vitórias simples que fizeram destas equipes invictas, mas jogos difíceis e que podem nos dar um norte dentro desta divisão. Kansas City Chiefs e Denver Broncos aparecem como favoritos dentro da divisão e a luta pelo título promete ser insana.

O Chiefs parece ser a melhor equipe da divisão. Com uma defesa boa e um ataque muito rápido, provou na tarde de ontem que não depende exclusivamente de Tyreek Hill. Nada menos que cinco atletas diferentes chegaram a end zone do forte Pittsburgh Steelers dentro do Heinz Field. Patrick Mahomes está sendo o grande destaque da equipe, completando nada menos que 10 passes para touchdown em duas partidas.

Recebe o San francisco 49ers em sua estreia no Arrowhead Stadium e, se vencer viaja embalado até o Colorado onde duela pela primeira vez na temporada contra o Broncos. Pode ser que as duas equipes cheguem na condição de invictas na semana 4, fazendo deste o principal jogo deste início de temporada.

1034450324

O Denver Broncos venceu duas partidas dificílimas, uma contra o Seattle Seahawks e outra contra o Oakland Raiders. Se na primeira partida a defesa se mostrou grande força da equipe, na tarde de ontem Case Keenum comandou um “comeback” sensacional, com direito a field goal da vitória com 6 segundos no relógio.

Jogando as duas primeiras em casa, a equipe de John Elway agora viaja até Maryland onde enfrenta partida duríssima contra o Baltimore Ravens. Se vencer, mantém a invencibilidade e chega na semana 4 para um duelo sensacional contra o Chiefs.

As outras duas equipes da divisão também chamam a atenção, porém ainda não passam confiança. O Los Angeles Chargers perdeu em casa na estreia para o Chiefs e na tarde de ontem venceu o fraco Buffalo Bills. Já o Raiders, que tem diversos pontos fortes, como Marshawn Lynch e Amari Cooper, não está conseguindo vencer, mesmo fazendo ótimas partidas.

Na próxima semana a tabela da AFC Oeste fica assim: Chiefs x 49ers; Dolphins x Raiders; Ravens x Broncos e Rams x Chargers.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

Incrivelmente insano!

Incrivelmente insano!

 

MKC

A partida de hoje entre Green Bay Packers e Minnesota Vikings foi incrível, mas ao mesmo empo foi insana. Com a partida parecendo estar decidida durante alguns momentos, erros dos kickers decretaram o empate com sabor de derrota para ambos.

O início foi bom para o Packers, que conseguiu um touchdown após belo bloqueio de punt. Mas após o empate do Minnesota Vikings, Aaron Rodgers apareceu e conseguiu levar a equipe a um touchdown e um field goal antes que o primeiro tempo acabasse.

A vantagem do Packers ainda aumentou, novamente com Mason Crosby. Mas depois o que se viu foi uma recuperação estupenda do time de Kirk Cousins, que chegou a diminuir para 23 a 21 o placar da partida.

Aí o jogo começou a ficar insano. O Packers conseguiu mais um field goal com Crosby, que diferente de Daniel Carlson não havia errado nenhum field goal na partida. O time de Minessota tinha três minutos no relógio e precisava descontar a diferença de cinco pontos do adversário.

Em uma bola “dropada”, Ha Ha Clinton-Dix interceptou Kirk Cousins e tudo indicava a vitória do time de Wisconsin. No entanto, após a defesa do Vikings parar Aaron Rodgers (mais um field goal de Crosby), sobrou para o quarterback do Vikings apenas 1’30″ no relógio para tentar um touchdown e uma conversão de dois pontos.

613b00-20180916-kicker02

Foram três passes e no quarto, mesmo levando um hit do defensor, Cousins conseguiu um lindo passe para Adam Thielen. Touchdown e o time de Minnesota estava a apenas uma conversão de empatar uma partida que há pouco estava ganha pelo Packers. Novamente foi um sucesso o passe de Cousins, desta feita para Stephon Diggs. Com 31 segundos no relógio era a vez de Rodgers mostrar o quão é clutch. E magicamente ele conseguiu, colocando a equipe em posição de chutar um field goal.

O cronômetro zerando e Crosby foi para a bola, porém enquanto ele corria foi pedido o último tempo do Vikings. Ele acertou, mas não valeu. Foi feito novamenhre o snap de field goal  e desta vez o kicker do Packers errou. O jogo estava indo para a prorrogação.

Antes de falar da prorrogação é importante relatar a primeira chance de field goal de Daniel Carlson, de pouco mais de 40 jardas. Ele deu um chute tão bisonho, que a bola passou a dez jardas do “Y”, isto ainda no primeiro tempo. Enfim, por duas vezes ele teve a chance de vencer o jogo na prorrogação. A primeira foi tão bisonha quanto a do tempo regulamentar, mas a segunda, com Kirk Cousins caprichando para colocá-lo o mais perto possível da linha de gol foi ainda pior.

Carlson errou três field goals na partida e sua equipe teve que amargar o empate. Foi um jogaço, mas o Vikings perdeu a grande chance de vencer o Packers fora de seus domínios.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

Mahomes mita e quebra recorde!

Mahomes mita e quebra recorde!

Traktor EJ (2)

Seis passes para touchdown! O jogador mais contestado no Draft 2017 está mostrando que pode sim ser elite na NFL. Patrick Mahomes, que só teve oportunidade de jogar pelo Kansas City Chiefs após a saída de Alex Smith, está dando um verdadeiro show nas primeiras partidas de sua equipe e já é o destaque da AFC Oeste.

O quarterback passou para quatro touchdown na partida de estreia da equipe na semana passada, quando venceu o Los Angeles Chargers. Hoje, foram incríveis seis passes para touchdown, batendo o recorde da liga que pertencia a Marcus Mariota e Mark Rypien (10 passes para touchdown em seus três primeiro jogos na NFL). Ele também iguala Drew Bledsoe (New England Patriots, Buffalo Bills e Dallas Cowboys) em passar pelo menos 4 vezes para touchdown nas duas primeiras partidas da temporada. 

Quer mais? Mahomes foi 23 de 28 para 326 jardas e um rating de 154,8 hoje. Na partida de estreia ele havia jogado para 254 jardas e um rating de 127,7 pontos. Detalhe: ele ainda não sofreu nenhuma interceptação na temporada. 

usa_today_11261567.0

O Chiefs venceu ninguém menos que  Pittsburgh Steelers dentro do Heinz Field, por 42 a 37. Com um início avassalador, o time de Mahomes chegou a abrir diferença de 21 a 0. O time da casa reagiu e empatou a partida antes do intervalo, as com Mahomes muito bem o Chiefs conseguiu assumir a ponta do placar novamente, segurando o ataque de Ben Roethlisberger no último quarto.

Os passes para touchdown foram para Chris Conley, Kareem Hunt, Demarcus Robinson, Tyreek Hill e Travis Kelce (2 vezes). Com a vitória, a equipe lidera a AFC Oeste com 2 vitórias. Já o Steelers ainda não venceu na temporada, acumulando uma vitória e um empate.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

Prognósticos para os jogos das 17 horas e para o SNF

Prognósticos para os jogos das 17 horas e para o SNF

Brock oficial

Como já passamos nossa análise para os jogos das 14 horas (leia aqui), agora vamos falar sobre os jogos das 17 horas e sobre os Sunday Night Football. Jogos abertos e muito disputados. Vamos lá?

Arizona Cardinals vs Los Angeles Rams:

A estreia do Cardinals foi muito fraca e, se sofreu com o veterano Adrian Peterson na estreia, imagine agora enfrentando Todd Gurley. As duas equipes – apesar de rivais de divisão – estão a quilômetros de distância quando o assunto é qualidade. Só uma zebra dará a vitória ao time de Sam Bradford. Ganha o Rams. 

San Francisco 49ers vs Detroit Lions:

A primeira impressão de Matt Patricia no comando do Lions foi fraquíssima, mas tudo pode mudar se sua defesa fizer pressão em Jimmy Garoppolo. Se isto não acontecer, mesmo sem suas principais armas no jogo terrestre a equipe de San Francisco deve conquistar a primeira vitória na temporada. 

Denver Broncos vs Oakland Raiders:

Jogo duro e se Jon Gruden conseguir manter o foco de seu time – como aconteceu no primeiro tempo de segunda-feira – pode vencer. Mas o Broncos se mostrou um time sólido e a defesa é muito boa. Von Miller aplicou três sacks em Russell Wilson, então é bom a linha ofensiva do Raiders estar preparada. Vitória do Raiders.

New England Patriots vs Jacksonville Jaguars:

O Jaguars perdeu Leonard Fournette, mas TJ Yeldon também está correndo bem. O problema é que Bill Belichick pensa a estratégia defensiva da equipe muito bem, então será difícil o ataque o Jaguars pontuar. Fica tudo a critério da grande defesa da equipe, no entanto nós acreditamos na segunda vitória do time de Tom Brady. Dá Patriots.

Dallas Cowboys vs New York Giants:

O Cowboys está “baleado” e só uma atuação espetacular da equipe para derrotar o Giants, que vem de derrota com sabor de vitória, afinal, jogou muito contra o Jacksonville Jaguars e mostrou um jogo muito interessante. O Giants é a lógica, mas acreditamos que o Dallas Cowboys será a zebra da rodada. 

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

Prognósticos para os jogos das 14 horas

Prognósticos para os jogos das 14 horas

Brock oficial

Como todos sabem nós do Entre Jardas acompanhamos diariamente tudo sobre a NFL, então a partir de agora todo o domingo postaremos os prognósticos das partidas para você que faz “bolão”, aposta em sites ou com os amigos estar mais por dentro do que pode acontecer em cada partida. Começamos com os jogos das 14 horas. Vamos lá?

Pittsburgh Steelers vs Kansas City Chiefs:

O Chiefs vem de vitória contundente enquanto o Steelers empatou com o Cleveland Browns. Porém o Steelers é outro quando joga em casa, principalmente seu quarterback, Ben Roehlisberger. Outros dados importantes são que dos últimos sete confrontos o time de Pittsburgh venceu seis. Em casa e com um ataque enfrentando uma secundaria inexperiente, vence o Steelers.

New Orleans Saints vs Cleveland Browns:

Jogando fora de casa é difícil imaginar que o Browns tenha alguma chance, ainda mais após o incidente com Josh Gordon (leia aqui). Já o Saints perdeu na estreia e hoje será cobrado pela torcida caso outro desastre aconteça. Será interessante ver como a secundária do time de Drew Brees vai lidar com a força de Jarvis Landry. Acreditamos que a vitória será do Saints.

Washington Redskins vs Indianapolis Colts:

O Colts tem chance, isso não podemos negar, uma vez que as duas equipes são de forças equiparadas. Mas as condições de campo vão contar muito a favor do Redskins, uma vez que com a passagem do Furacão Florence o campo deve estar pesado e os quarterbacks enfrentarão chuvas e ventos fortes. Correndo com a bola do Redskins é infinitamente melhor. Sendo assim, dá Washington.

Tennessee Titans vs Houston Texans:

O Texans começou muito mal a partida contra contra o Patriots e mesmo assim conseguiu um segundo tempo equilibrado, É favorito na conferência e terá que mostrar isso a partir de agora. O Titans não tem uma defesa que pressione o quarterback, então deve sofrer com os passes e corridas de Deshaun Watson. Vitória do Texans.

Tampa Bay Buccaneers vs Philadelphia Eagles:

Por mais que tenha feito um jogo histórico contra o Saints na semana passada, é muito difícil acreditar que Ryan Fitzpatrick e o Buccaneers terão o mesmo brilho contra uma das melhores defesas da liga. Outro ponto a ser analisado é o ataque do atual campeão da NFL contra uma defesa que sofreu 40 pontos em sua estreia. Partida disputada, mas dá Philadelphia Eagles.

Atlanta Falcons vs Carolina Panthers:

O Falcons terá um desfalque importante, Devonta Freeman. Dizendo isso já podemos saber que seu ataque não será o mesmo, uma vez que ele é um dos melhores corredores da liga e ainda aparece omo opção de passe. Já o Panthers jogará sem Greg Olsen (melhor alvo de Cam Newton) e Trai Turner, que desfalca seu lado direito da linha ofensiva. Jogo muito difícil, mas para nós o Falcons vence.

MKC

Buffalo Bills vs Los Angeles Chargers:

O time da casa estreia seu quarterback Josh Allen, o que pode ser uma coisa boa ou ruim. Boa porque a torcida vai apoiá-lo a partida toda, mas ruim porque no ano passado o Bills estreou um calouro – Nate Peterman – contra o Chargers e sofreu cinco interceptações. Hoje o time de Los Angeles não terá Joey Bosa, então a pressão ao quarterback não será a mesma. Contra todos os prognósticos dos insiders americanos, vamos apostar no Buffalo Bills. 

New York Jets vs Miami Dolphins:

Após uma estreia sólida, Sam Darnold vai jogar pela primeira vez na frente de seus torcedores. A equipe de New York venceu muito bem, com direto a pontuação de todos os seus setores (touchdown aéreo, touchdown terrestre, touchdown defensivo, touchdown do Special Team e field goal).

Porém o Dolphins fez uma estreia sólida. Sua defesa vai pressionar muito mais Darnold que a defesa do Lions e seu ataque terrestre é poderoso. Estatisticamente o time de Ryan Tannehill também leva vantagem, já que venceram 7 das últimas 10 partidas na casa do Jets. Se Cameron Wake e Robert Quinn fizerem seu trabalho direito, poderão conseguir a vitória. No entanto, pelo hype colocado na equipe e pela pressão da Gang Green, acreditamos na vitória do New York Jets. 

Green Bay Packers vs Minnesota Vikings:

Nem mesmo a torcida impulsionando a equipe de Winsconsin poderá salvar a vitória se Aaron Rodgers não estiver 100%. O defesa do Vikings pressionou o quarterback do Niners na partida passada em 49% dos snaps, o que é muito. Rodgers é espetacular, um mito, mas se não conseguir ter total desenvoltura os Vikings vencem. Se começar com DeShone Kizer então, as chances são ainda menores. Vitória do Vikings na tarde de hoje. 

Voltamos mais tarde com as previsões das partidas das 17 horas.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

 

Browns anunciam dispensa de Gordon

Browns anunciam dispensa de Gordon

Traktor EJ (2)

Quem viu Josh Gordon vestindo a camisa do Cleveland Browns no último domingo e recebendo um passe de 17 jardas para touchdown, não imaginava que apenas uma semana depois veria o recebedor deixar a equipe. Porém, em comunicado na noite de hoje (15), o Cleveland Browns através de um comunicado de seu diretor geral, John Dorsey anunciou a dispensa do atleta na segunda-feira. 

“Nesta noite, informamos a Josh Gordon e seus representantes que vamos libertá-lo na segunda-feira”, disse John Dorsey. “Nos últimos seis anos o Browns apoiou e investiu totalmente em Josh, tanto pessoal quanto profissionalmente e queria o melhor para ele. Mas infelizmente chegamos a um ponto em que sentimos que é melhor se separar e seguir em frente. Desejamos a Josh tudo de bom.”

Desde 2012, quando Gordon foi adicionado como uma escolha suplementar de Draft, o Browns sofre com o atleta. Não se pode negar que o seu talento era um fator que valia qualquer risco, assim como a equipe de Cleveland também não pode negar que não sabia dos problemas com drogas que o atleta sofria desde o College. Mas o Browns foi paciente, esperando seis anos pela melhor forma do atleta.

Em sua primeira temporada foram quase 900 jardas e 5 touchdowns, no entanto 2013 foi sua melhor temporada na liga, deixando para trás diversos atletas de respeito e recebendo mais de 1.600 jardas. Em 2014 começaram a chegar as punições, com Gordon ficando duas temporadas sem atuar. Internado em uma clínica de reabilitação, só voltou a jogar na semana 12 de 2017. Este ano se apresentou mais tarde alegando a “busca por tratamento espiritual”.

O motivo que fez a equipe dispensá-lo não foi divulgado, mas rumores apontam para uma falha do atleta. Segundo fontes, Gordon estava relacionado para começar como titular no domingo contra o New Orleans Saints, porém em um evento particular (lançamento de uma marca de roupas), sem nenhuma ligação com a equipe ou com seus patrocinadores ele machucou a coxa, relatando hoje a contusão. O Browns tratou isso como uma falta de respeito e chegou a decisão de dispensá-lo.

Segundo Adan Schefter, insider americano, existem algumas equipes procurando o Browns para uma troca. É bem possível que a equipe troque-o até amanhã, uma vez que se ele for realmente dispensado na segunda se tornará um agente livre.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

 

Mixon deve perder apenas a partida contra o Panthers

Mixon deve perder apenas a partida contra o Panthers

Brock oficial

Um dos destaques do Cincinnati Bengals nas duas vitórias da equipe foi operado com sucesso. Segundo o insider Ian Rapoport, o corredor passou por uma artroscopia no joelho direito na manhã de hoje.

Com o sucesso da operação – que em média leva de duas a quatro semanas para o retorno aos gramados – o atleta é cotado para voltar a jogar contra o Atlanta Falcons, pela semana 4 da temporada regular. Mixon sofreu a contusão na quinta-feira, contra o Baltimore Ravens. Após ficar de fora por boa parte do jogo, voltou a campo e completou 84 jardas em 21 corridas.

853195186.0

O substituto dele deve ser Giovani Bernard, que quando Mixon está em campo aparece pouco. Vale ressaltar que a falta do atleta é extremamente prejudicial a equipe, uma vez que no ano passado a equipe venceu 7 de 9 partidas quando ele teve mias de 15 corridas.  Na estreia contra o Colts o jogador correu para 94 jardas e um touchdown.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

Bengals é o favorito da AFC Norte?

Bengals é o favorito da AFC Norte?

MKC

Que acompanha o Cincinnati Bengals sabe que a equipe nunca pode ser descartada de uma aparição nos playoffs. Desde a chegada de Andy Dalton em 2011 foram cinco aparições consecutivas, mas nenhuma vitória na pós-temporada. Nos dois últimos anos foi diferente, acumulando apenas 13 vitórias em 32 jogos. No entanto, parece que após uma restruturação o Bengals está de volta ao jogo.

E as chances de levantar a AFC Norte este ano parecem bem promissoras, uma vez que sem contar com alguns atletas que “marginalizavam” o vestiário a equipe vive uma nova fase dentro e fora de campo.

A defesa foi dominante nos dois primeiros jogos, forçando a pressão contra os quarterbacks adversários. Contra uma linha ofensiva renovada do Indianapolis Colts sofreu um pouco, mas dentro de casa contra o Baltimore Ravens foi extremamente eficaz, aplicando sacks em Joe Flacco por quatro vezes na partida, inclusive forçando um fumble.

Geno Atkins está sendo o melhor da equipe para pressionar  o quarterback adversário e atrapalhar o jogo aéreo. Contra o Colts chegou uma vez em Andrew Luck, já contra o Ravens alcançou Flacco por duas vezes. Além dele, Carlos Dunlap, Shawn Williams e Sam Hubbard também já contam com sacks na temporada.

Interceptações foram três, méritos desta pressão exercida o pelo Bengals. Fumbles forçados foram dois, mas o que chama a atenção são os tackle for loss, quando a defesa aplica o tackle nos corredores antes deles ultrapassarem a linha de scrimmage. No total foram onze ultrapassando 40 jardas, número expressivo.

GettyImages-454956378.0

Mas o ataque é o que mais chama a atenção da equipe. Com a segunda rodada do Draft 2017, trouxeram o polêmico John Mixon, que teve um incidente que poderia ter acabado com sua carreira no College. Longe de encrencas e se declarando um “novo homem”, o corredor deu a opção que faltou nas últimas duas temporadas da equipe, que coincidentemente ou não foram as piores dos últimos dez anos.

Mixon foi muio acionado na semana 1, quando foi o destaque da equipe na partida. Além de correr para 95 jardas, com média de 5,9 por corrida, também recebeu 54 jardas em passes que desafogaram o ataque. Quando você conta com um talento como ele na trincheira, seu quarterback não sofre tanto com blitz, uma vez que nesta situação qualquer corrida pode lhe dar um ganho de mais de 20 jardas.

Vale ressaltar que Mixon fez uma artroscopia, o que lhe deixará de fora da semana 3 e possivelmente da 4. Mas ainda é muito cedo para garantir que ele não jogue contra o Atlanta Falcons.

E como não apostar em uma conexão que desde sua estreia faz sucesso. AJ Green e Andy Dalton batem recordes juntos desde sua estreia na liga. Na partida contra o rival Ravens foram 3 touchdowns dos dois, número muito expressivo uma vez que aconteceram no primeiro tempo. Tyler Boid também passa por ótima fase e a equipe ainda conta com a profundidade de John Ross, recordista do “tiro de 40 jardas” do NFL Combine.

A equipe agora encara duas partidas seguidas contra adversários da NFC Sul: Carolina Panthers e Atlanta Falcons. Se voltar de viagem com pelo menos uma vitória já poderemos colocá-los como favoritos para a divisão, uma vez que jogará quatro das cinco partidas em casa. Fiquem de olho, pois o Bengals tem uma time digno de vencer a AFC Norte deste ano.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

 

Os erros que tiraram a chance de Prescott chegar ao Super Bowl

Os erros que tiraram a chance de Prescott chegar ao Super Bowl

Brock oficial

Quando Bill Belichick descobriu em uma escolha de sexta rodada um talento enorme, não teve dúvidas em trocar o consagrado Drew Bledsoe, que contava com um contrato de 10 anos e apostar no jovem. O movimento fez com que o New England Patriots economizassem U$ 12 milhões por ano, podendo assim perpetuar o time vencedor e acrescentar diversos jogadores para jogar ao lado de Tom Brady, que na época ganhava cerca de  US 400 mil.

Para se ter uma ideia, quando Brady venceu seu terceiro Super Bowl (completando quatro anos com a equipe), ele tinha custado apenas U$ 4 milhões em média por ano (incluindo bônus e renegociação do contrato), um número muito baixo para a NFL. A tática utilizada foi de gastar o dinheiro no entorno do jovem quarterback que ganhava pouco, dando mais subsídios para ele levar a equipe às vitórias.

Outro grande exemplo desta estratégia foi o Seattle Seahawks de Russel Wilson, que saiu da terceira rodada do Draft ganhando pouco para duas aparições no Super Bowl. Wilson levou a equipe ao título na temporada de 2013 recebendo menos de U$ 50 mil por mês, o que subsidiou a montagem da estelar Legion of Boom.

No ano seguinte o quarterback custou para a equipe U$ 662 mil, novamente chegando ao Super Bowl. Coincidência o não, o Seahawks começou a decrescer quando assinou um contrato milionário com Wilson, que só em 2015 custou U$ 31 milhões ao cap da equipe. Nesta temporada Wilson está custando U$ 15,5 milhões para os cofres do Seahawks.

Mas  que isto tem a ver com Dak Prescott e o Dallas Cowboys? Simples, Prescott é no momento o salário mais baixo entre os quarterbacks titulares da liga. Já mostrou que tem muito talento em sua temporada de estreia, mas a cada ano o times decresce no nível de seus atletas, mesmo com o quarterback dando subterfúgio através de seu salário baixo para que a equipe invista.

Prescott vai ganhar em seus primeiros quatro anos na NFL um total de U$ 2,6 milhões. Em um comparativo rápido, Jimmy Garoppolo, que tem um histórico bem inferior a Prescott tanto em jardas passadas, corridas e touchdown, vai receber U$ 2.5 milhões por partida! Claro que isto acontece pela escolha baixa de Prescott no Draft, que logo receberá uma restruturação alta. Mas o Cowboys perdeu a chance de montar um grande time – digno de ir ao Super Bowl – na agência live do ano passado e na deste ano.

O Cowboys trouxe apenas um atleta este ano. Em compensação a lista de dispensas e aposentadoria é grande. E isso foi o que acabou com o teto salarial da equipe. Vamos explicar melhor:

O Cowboys utiliza há anos um modelo cada vez mais popular na NFL, mas que quando dá errado literalmente “quebra a franquia”, a reestruturação de contratos. Funciona mais ou menos assim. A equipe quer renovar – ou contratar – com um atleta muito caro, como Tony Romo era, por exemplo. Eu ao invés de pagar os seus U$ 48 milhões garantidos como salário, que seriam deduzidos do teto nos três anos de contrato, foi assinado com ele por U$ 1 milhão de salário base, pagando o restante do valor como um bônus de assinatura. No teto salarial este formato é parcelado em até seis anos, descontando U$ 8 milhões como”dead cap”.

tony-romo-101916-getty-ftrjpg_1xquo77370bco1kf5256aecf8t

Com Romo isso foi feito em 2013, antes de Prescott chegar a equipe. Então este ano o salário que Romo recebeu em 2013 ainda está com uma parcela sendo descontada (U$ 8 milhões). Mas Romo não foi o único. Dez Bryant é outro exemplo de quem está custando para a franquia cerca de U$ 8 milhões mesmo não estando mais no elenco. No total, esta temporada são sete atletas que assinaram neste molde e foram dispensados, além de mais dois jogadores que estão na IR.

Este ano o Cowboys tem U% 27,5 milhões de “dead cap”, que na agência livre poderia ter sido investido em atletas para formar uma equipe campeã. Mas já foi pior, uma vez que em 2016 o Cowboys gastou U$ 53 milhões – um terço do teto salarial – com o “dead cap”. Um número altíssimo.

Mas existe esperança. Se este ano o Cowboys perdeu de investir na agência livre por ter apenas U$ 10 milhões de espaço no seu cap, ano que vem a quantia sobe para U$ 60 milhões, uma vez que apenas quatro atletas (Travis Frederick, Tyron Smith, Tyrone Crowford e Sean Lee) ainda tem residual de seus contratos para serem descontados.

Porém a equipe terá que ofertar um novo contrato para Prescott, já que ele vira free agent em 2020. E observando o mercado cada vez mais caro o Cowboys terá que utilizar novamente desta fórmula se quiser manter o quarterback na equipe. Os 20 milhões que ele deve receber a partir da renovação, poderiam ser gastos em pelo menos dois jogadores de elite para receber seus passes.

A oportunidade de investir já passou e o Dallas Cowboys perdeu a grande chance de voltar ao Super Bowl. Por falhas administrativas ficaram sem dinheiro no momento mais importante. Se a equipe tivesse investido tudo o que não paga a Prescott em outros atletas, com certeza seria uma top conteder ao Super Bowl, tanto ano passado quanto este ano.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

Qual dos sete treinadores estreantes vai finalmente vencer na liga?

Qual dos sete treinadores estreantes vai finalmente vencer na liga?

Brock oficial

Ao fim da temporada passada sete treinadores perderam seus empregos, obviamente outros sete estrearam na NFL. Mesmo Jon Gruden, que já havia passado com sucesso pela liga pode ser considerado um estreante, e o pior, se olharmos para todas as partidas destas equipes não encontramos nenhuma vitória.

O Oakland Raiders de Gruden e o Chicago Bears de Matt Nagy até deram boa impressão no primeiro tempo de suas partidas, mas se mostraram despreparados para as mudanças que o s treinadores adversários fizeram no intervalo. Mike Vabrel do Tennessee Titans, Pat Schurmur do New York Giants e Frank Reich do Indianapolis Colts conseguiram fazer partidas regulares, mas não o suficiente para vencerem.

Matt Patricia do Detroit Lions e Steve Wilks do Arizona Cardinals passaram vergonha, perdendo sem chace de reação em nenhuma parte do jogo. Estes dois vão ter que começar a trabalhar outros pontos se quiserem ter um score positivo nesta temporada.

Mas o que está faltando para estes treinadores chegarem a primeira vitória?

Oakland Raiders: Jon Gruden já declarou que “é muito difícil acertar todos os erros do Monday Night Football em uma semana”. Encararam um time top contender (Los Angeles Rams), mas agora enfrentam o Denver Broncos e a tarefa não será fácil. Jordy Nelson e Jared Cook não serão suficientes, Amari Cooper precisa começar a receber a bola. Na partida contra o Ram foram apenas três passes em sua direção e 9 jardas, número absurdamente pequeno perto do que ele já fez na equipe. Além disso, enfrenta uma defesa que tem Von Miller pressionando e a No Fly Zone. Então será muito difícil a vida de Gruden neste fim de semana.

Arizona Cardinals: Assim como Gruden, Wilks tem uma grande chance de acumular sua segunda derrota seguida. Sua defesa foi patética no jogo terrestre contra o Redskins (leia-se Adrian Peterson, 33 anos). Agora vai enfrentar Todd Gurley, um dos melhores corredores da liga. Além disso, seu ataque enfrentará uma defesa fortíssima, tanto na pressão ao quarterback quanto na linha secundária.  Muito difícil de sair vitorioso.

Matt-Patricia-Photo

Matt Patricia teve a pior estreia de todos os sete treinadores.

Indianapolis Colts:  Frank Reich precisa melhorar o jogo corrido e principalmente sua defesa. Andrew Luck surpreendeu em sua volta e a equipe jogou para 380 jardas. Mas a defesa não tem muta eficácia contra o jogo terrestre – Joe Mixon jogou para mais de 100 jardas – e o Washington Redskins é muito bom neste aspecto. Vai depender muito de como Reich vai armar sua defesa e principalmente de um Luck inspirado para conseguir vencer.

Tennessee Titans: Mike Vabrel tem chances de vencer a primeira com a equipe, mas para isso vai ter que melhorar sua pressão ao pocket adversário. Com sua melhor opção lesionada, terá que “inventar” algumas blitz para que Deshaun Watson não consiga jogar. A fórmula é assistir o que o New England Patriots fez e tentar copiar, principalmente na linha secundária, não deixando e trabalhando na especialidade de Watson: rotas em profundidade.

Detroit Lions: Se Matt Patricia vencer o San Francisco 49ers  fora de casa, o treinador novato pode se consagrar. Além de estar com um time em desenvolvimento, sem seu melhor defensor e com o quarterback “baleado”, enfrenta um quarterback que sabe tudo o que sua defesa é capaz de fazer. Jimmy Garoppolo reencontra Patricia e leva muita vantagem. Se um quarterback estreante já comandou um ataque que marcou 48 pontos em você, imagine um que treinou por quatro anos ao seu lado?

New York Giants: Agora chegamos aos treinadores que podem vencer sua primeira partida na temporada. Pat Shurmur mostrou um jogo inteligente, que mesmo não funcionando na parte terrestre no início começou a encaixar. No ataque aéreo também se mostrou eficiente, com uma tática inteligente de abrir dois recebedores e trabalhar com Odell Beckham Jr circulando pelo campo. Se contra uma das melhores defesas da NFL funcionou, não tem porque não funcionar contra a defesa do Dallas Cowboys. Pesa negativamente os desfalques na defesa.

Chicago Bears: O time tem muita chance de dar a vitória a Matt Naggy. Sua equipe foi bem ofensivamente e defensivamente foi espetacular, mesmo jogando em Wisconsin contra o bom Green Bay Packers. Não conseguiu a vitória porque Aaron Rodgers é de outro planeta, mas deve vencer o Seattle Seahawks. Ainda tem a vantagem de poder contar com Khalil Mack e Roquan Smith mais entrosados com a defesa de Vic Fangio

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

 

 

No Seahawks antes da prisão

No Seahawks antes da prisão

Brock oficial

Contamos aqui sobre como um jogador que venceu um Super Bowl e que tinha uma carreira respeitável, jogou tudo para o alto por um lucro de U$ 1,2 milhões. Claro que para nós “mortais” o valor, cerca de R$ 5 milhões nos daria uma aposentadoria antecipada. Mas para um atleta no nível do linebacker Mychal Kendricks o dinheiro definitivamente não valeu a pena.

Logo após vencer o Super Bowl com o Philadelphia Eagles, Kendricks assinou um bom contrato com o Cleveland Browns, porém a equipe de Ohio não sabia que o linebacker estava sendo investigado por crime financeiro. Sim, ele utilizou informações privilegiadas de um agente de um banco de investimentos para lucrar na bolsa. Lucrou pouco menos de U$ 1,2 milhões, mas agora será julgado por crime financeiro e pode pegar até 25 anos de cadeia.

Mychal-Kendricks

Na hora que isso veio a tona, quando o procurador americano William McSwain disse que ele se declarou culpado, o Browns o demitiu imediatamente. No entanto, depois de uma reunião com o Seattle Seahawks  na tarde desta quarta-feira (13), o atleta assinou – segundo o insider Ian Rapoport – contrato de um ano com a equipe da NFC Oeste. 

O caso aconteceu entre 2014 e 2015, onde ele aceitou receber informações privilegiadas e não públicas – enquadrado como crime financeiro nos Estados Unidos -  de Damilare Sonoiki. Em troca das informações de investimento que lhe proporcionaram o valor indicado acima, o atleta teria “comprado” o agente com U$ 10 mil e ingressos para os camarotes do Eagles durante toda a temporada. A pena para quem se declara culpado nestes crimes varia – em média nos Estados Unidos – de 2 a 10 anos de prisão. 

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

Cabelo de 135 jardas

Cabelo de 135 jardas

MKC

Quando você é um jogador mediano tem relativa atenção só importa o que você faz em campo. Mas a partir do momento que você substitui uma estrela do porte de Le’Veon Bell e em sua estreia joga para 135 jardas e dois touchdowns, tudo o que você faz começa a chamar a atenção da mídia e dos fãs.

James Conner está vivendo isso no Pittsburgh Steelers. Com o atual sumiço de Bell, caiu em seu colo a posição de corredor número 1 da equipe. E se ele havia sido o centro das polêmicas quando seus companheiros de ataque – linha ofensiva – vieram a público apoiá-lo em relação a ausência de Bell, agora até uma mudança no corte de cabelo chama a atenção de todos na imprensa.

Conner começou os treinos da pré-temporada com um cabelo grande, mudou para um estilo que lembrava um pouco o atacante Oséas do Palmeiras (lembram?) e na partida de domingo entrou em campo com dois cortes no meio da cabeça. Claro que as câmeras estavam em cima dele pelo motivo acima citado e não pelo cabelo, no entanto os fãs começaram a reagir no Twitter.

Um deles, chamado Nick Maraldo, prometeu em sua conta que se o atleta corresse para 100 jardas e 2 touchdowns ele faria o mesmo corte de cabelo na segunda-feira. Desafio aceito e cumprido, já que Conner ultrapassou este número. O corredor não perdeu tempo e depois que viu a foto do fã no cabeleireiro compartilhou a publicação com o comentário: “legendary”.

Sem título2

E os fãs que quiserem desafiar Conner podem ir se preparando, pois além de estar se destacando em campo o jogador prometeu estilos diferentes de corte durante toda a temporada.

“Sim, nós vamos continuar mudando. Então, vamos ver para a próxima semana”, disse Conner. Pode ser o mesmo na próxima semana. Ainda não tenho certeza. Tenho que deixar isso crescer um pouco. Mas planejo ter estilos diferentes ao longo do ano.”

Os cortes podem mudar, mas o que os fãs do Steelers não querem que mude é a capacidade do corredor em encontrar espaços para correr. Talvez ele nunca se aproxime de Le’Veon Bell, mas a média de 130 jardas por jogo ele já tem, pelo menos até agora.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

Como conter o hype de “Broadway Sam”?

Como conter o hype de “Broadway Sam”?

Brock oficial

Um velho ditado diz que “para quem não tem nada, pouco é muito” e isso se encaixa perfeitamente com a atual situação de Sam Darnold.  Não que o jovem quarterback seja pouco, afinal, já cansamos de falar aqui que ele é o melhor quarterback da classe. Mas ele jogou apenas uma partida e ainda é cedo para o “hype” que a imprensa de New York vem dando ao atleta.

Tudo passa pela cidade – considerada a capital do mundo – e principalmente pela carência que o New York Jets tinha na posição desde Joe Namath. A equipe não tem um quarterback realmente bom desde Brett Favre, que chegou em 2008 e conduziu a equipe a 8 vitórias antes de se lesionar. Mark Sanchez foi bem, mas entrou no “hype” da imprensa, sendo mais visto nos bares badalados de New York que treinando. Enfim, o Jets, seus fãs e a imprensa veem em Darnold o grande nome da franquia pelos próximos 10 anos.

Mas este exagero da imprensa para com Darnold não é novidade. Não precisamos ir muito longe para perceber que em New York as manchetes são mais importantes que os fatos. Com Sanchez era até normal o “Sanchize Maniac”, uma vez que em sua primeira temporada venceu as três primeiras partidas e em dois anos venceu quatro jogos de playoff.

No entanto, quando Geno Smith venceu sua primeira partida na franquia o New York Daily News estampou: “Nasce uma estrela”. Veio a primeira temporada e mais interceptações que passes para touchdown, deixando a “estrela” largada  e sendo dispensada anos depois.

nydn-sports-new-york-daily-news-back-pages-2018-1-3734673

Com Darnold foi parecido. Na terça-feira, após a vitória esmagadora frente ao Detroit Lions o New York Post colocou o atleta na contracapa com o título: “Insanity”. Já o Daily News, um pouco mais exagerado publicou uma foto da clássica edição da Sport Illustrated que tinha Namath na capa, alterando o rosto para o de Darnold. A manchete: “Broadway Sam”.

Bowles agora precisa baixar este “hype” e não deixar que o jovem quarterback se iluda, afinal, jogou contra um time sem bons pass rushers e com uma defesa fraca. Enfrentar o Miami Dolphins  no domingo é uma tarefa bem mais ingrata, e talvez esta expectativa criada não seja cumprida imediatamente. Bowles fez questão de deixar claro que todo este “hype” criado pela imprensa não chegou a ele.

“Foi apenas um jogo. Para sentar aqui e dizer se ele é ótimo ou se ele é um lixo é muito cedo para isso. Ele jogou apenas um jogo. Ele tem ainda muitos anos para se construir como atleta profissional”, disse Bowles na coletiva de ontem. “Nós ganhamos um jogo, então eu não posso dizer a vocês se ele é nosso franchise quarterback,  depois de mais 100 jogos eu vou poder responder, mas agora é um pouco cedo.”

Darnold foi o quarterback mais jovem da história desde 1970 a começar uma partida pela NFL (20 anos e 97 dias), então é claro que existe a preocupação dele se iludir com os elogios. Porém, o próprio atleta desconsidera isso, uma vez que veio da USC, um dos programas mais populares do College e foi titular por dois anos lá, além claro, de desde sua aparição no Rose Bowl 2017 ser diretamente cotado como escolha de primeira rodada do Draft.

“Só por ser da USC já estava acostumado com alguma atenção”, disse ele. “Eu sei que o meu último ano na USC foi meio agitado, você sabe, com as conversas sobre o Heisman e o Draft. Estou muito acostumado com isso, mas agora é diferente porque é na NFL. Estou tranquilo, vou continuar sendo eu mesmo. Tenho sido assim minha carreira inteira e não me vejo mudando tão cedo.”

Com sensacionalismo ou não, Sam Darnold mostrou muita qualidade e liderança na partida de segunda. Após sofrer uma pick six em seu primeiro snap como profissional, o calouro guiou sua equipe para uma vitória espetacular, com destaque para um ótimo passe de 41 jardas para touchdown (foram dois na partida). Ele ainda precisa amadurecer, mas com certeza a Gang Green deve estar muito empolgada em finalmente vislumbrar um quarterback franchise com muito talento.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

 

Entre Jardas | Futebol Americano BR - 2014