Navegue pela Home do seu time
Seahawks acerta troca com Texans por jogador de linha ofensiva

Seahawks acerta troca com Texans por jogador de linha ofensiva

Seattle Seahawks e Houston Texans fizeram no CenturyLink Field um dos jogos mais movimentados e emocionantes da temporada até o momento. A vitória dos Seahawks sobre os Texans por 41 a 38 veio em um último período cheio de alternativas. E um dos jogadores que estava nos Texans ficou em Seattle. O offensive tackle Duane Brown foi negociado entre as franquias e jogará nos Seahawks.

Precisando melhorar sua linha ofensiva, Seattle aproveitou para negociar a troca com o Houston e fechar com o veterano tackle. Foram nove temporadas e meia nos Texans desde 2008, quando foi selecionado pela franquia na primeira rodada do draft. Agora Brown vestirá uma nova camisa.

O jogador de 32 anos é uma aposta dos Seahawks para melhorar sua linha ofensiva que não tem feito um bom trabalho, dificultando a vida do quarterback Russell Wilson. Em troca de Duane Brown, Seattle mandou para os Texans o cornerback Jeremy Lane, uma escolha de quinta rodada no draft de 2018 e uma escolha de segunda rodada no draft de 2019.

Defensor dos Dolphins se defende após pancada que tirou Joe Flacco de campo

Defensor dos Dolphins se defende após pancada que tirou Joe Flacco de campo

O Baltimore Ravens venceu o Miami Dolphins por 40 a 00 nessa quinta-feira (26) na abertura da Semana 8 da NFL. Mas durante a partida, os Ravens viram o quarterback Joe Flacco sair de campo direto para o protocolo de concussão. O motivo foi uma pancada sofrida pelo jogador ao usar as próprias pernas para fazer uma jogada. O defensor que estava no lance Kiko Alonso se defendeu após a polêmica pancada.

Flacco foi atingido quando fazia o slide, movimento que o quarterback utiliza para terminar sua corrida, parando a jogada e evitando uma pancada. No entanto, Alonso acabou acertando fortemente o adversário, que perdeu o capacete e ficou claramente atordoado. Imediatamente o lance gerou uma grande confusão entre os jogadores e muita revolta com Alonso.

A arbitragem marcou falta pessoal do defensor dos Dolphins, mas não expulsou o atleta de campo, como chegou a ser discutido entre os analistas. Após a partida, o linebacker do Miami se defendeu alegando que não era possível evitar o contato. “De jeito nenhum. Eu acho que foi um segundo atrasado e é por isso que eu o acertei para ser honesto”, disse Alonso ao South Florida Sun-Sentinel.

Na visão de Kiko Alonso, se Flacco tivesse ido para o slide um segundo antes, ele teria conseguido antecipar e evitar a pancada. “No começo eu estava me antecipando e pensei que ele iria para o slide e então chegou ao ponto de que eu tive que bater nele porque ele deslizou muito tarde. Ele chegou a um ponto que talvez se tivesse desligado um segundo mais cedo. Eu estava antecipando que ele iria para o slide, mas acho que ele foi um segundo mais tarde e por isso o acertei”, analisou o linebacker.

Mesmo sem ter sido ejetado da partida, Alonso ainda corre o risco de sofrer uma suspensão ou multa. Mesmo que não tenha sido considerada uma falta flagrante, a NFL costuma analisar essas jogadas sempre colocando a responsabilidade no defensor, como uma maneira de proteger os quarterbacks. “Isso está fora das minhas mãos”, afirmou Kiko Alonso sobre uma possível punição. “Como eu disse, foi uma explosão. Eu espero realmente que ele (Flacco) esteja bem”, completou o defensor.

Patriotas e Lions seguem invictos e Tritões vencem mais uma na BFA

Patriotas e Lions seguem invictos e Tritões vencem mais uma na BFA

Foram três partidas pela conferência sudeste da BFA no último sábado (2). Em campo, dois times que seguem invictos na competição e outro que engatou a segunda vitória consecutiva. Patriotas e Lions ainda não perderam e lideram seus grupos, enquanto os Tritões venceram de novo na competição.

Jogando fora de casa, os Tritões visitaram o Minas Locomotiva e ignoraram o mando de campo. Vitória por 30 a 07, a segunda consecutiva dos Tritões na BFA após uma estreia com derrota. Já o Locomotiva ainda não sabe o que é vencer com quatro jogos e quatro derrotas no brasileiro.

Quem jogou em casa, mas fez valer o mando de campo foi a Lusa Lions. A equipe recebeu o Botafogo Reptiles e venceu de novo. Placar de 30 a 14 para o time da casa, que chegou à terceira vitória em três partidas e à liderança do grupo leste da conferência sudeste. Já os Reptiles perdem a primeira na BFA.

Outro time que venceu em casa foi o Patriotas, que bateu o Santos Tsunami por 42 a 00. Foi a quarta vitória dos Patriotas em quatro jogos e a liderança do grupo oeste. Já o Tsunami além da derrota na partida recebeu outra péssima notícia. Por utilizar nove jogadores não inscritos nesta partida, a equipe foi excluída da BFA pela entidade. O Tsunami ainda está impedido de disputar as competições nacionais do ano que vem. Com isso, os jogos que ainda faria no torneio não vão acontecer e terão a vitória do adversário decretada por 49 a 00, como prevê o regulamento. Não haverá rebaixamento na conferência sudeste em 2017.

Na próxima rodada da conferência, o Corinthians Steamrollers enfrenta o Sada Cruzeiro, enquanto o São Paulo Storm recebe a Lusa Lions. Ambos os jogos estão marcados para o dia 10 de setembro.

 

 

Foto: Divulgação / Patriotas FA.

Espectros, Cavalaria, Mariners e Petroleiros vencem pela BFA

Espectros, Cavalaria, Mariners e Petroleiros vencem pela BFA

A conferência nordeste da BFA teve uma rodada recheada de emoções nesse domingo (3). Foram quatro partidas agitando a rodada entre os dois grupos dessa conferência. João Pessoa Espectros, Cavalaria 2 de Julho, Recife Mariners e UFERSA Petroleiros foram os vencedores do final de semana.

Em João Pessoa, os Espectros receberam o Ceará Caçadores em um duelo de invictos e classificados para os playoffs. Melhor para o time da casa que contou com uma forte defesa e fez 36 a 06. As equipes são as líderes dos grupos na conferência e estão classificadas à próxima fase.

Jogando em casa, o Recife Pirates não teve nada o que comemorar após a partida contra o Cavalaria 2 de Julho. Os visitantes venceram por 24 a 20 e agora estão com 3-2 na competição e em terceiro lugar no grupo sul. Já os Pirates seguem sem vencer, com cinco derrotas em cinco jogos e muito próximos do rebaixamento à Liga Nacional em 2018. Para escapar, a equipe precisa vencer o próximo jogo contra o Ceará Caçadores e torcer para que o Bulls Potiguares perca seus dois jogos restantes, igualando a campanha e decidindo a queda por sorteio.

Se os Pirates não estão bem, outro time de Recife venceu bem nesta rodada. Os Mariners encararam o Tropa Campina fora de casa e voltam com uma vitória por 72 a 06. Mais uma vez o americano Alex A-Train foi o grande destaque do jogo. Os Mariners tem 3-1 na BFA e estão em segundo no grupo sul. Já o Tropa é último no grupo norte com 1-4.

Fechando a rodada os Petroleiros receberam o Bulls Potiguares para um clássico local. Em jogo dominado pelos ataques, melhor para o time da casa que conseguiu uma vitória por 39 a 33. Os Petroleiros são os segundos no grupo norte com 2-3, enquanto os Potiguares vem logo atrás com 1-3.

Na próxima rodada da conferência nordeste o Recife Mariners joga em casa diante do Bulls Potiguares. Esse é um jogo isolado que acontecerá no dia 10 de setembro.

 

 

Foto: Anderson Silva Fotógrafo / João Pessoa Espectros.

Dispensado pelos Browns, cornerback diz que assinou com Steelers para jogar playoffs

Dispensado pelos Browns, cornerback diz que assinou com Steelers para jogar playoffs

Ele foi dispensado pelo Cleveland Browns, mas ficou apenas algumas horas sem emprego até assinar um contrato de três anos com o Pittsburgh Steelers. O cornerback Joe Haden sai para um rival de divisão após sete temporadas com os Browns. E ele próprio destaca que sua grande motivação para acertar com os Steelers é ter a chance de jogar os playoffs.

Depois de sete anos em Cleveland, Haden não tem nenhum jogo de pós-temporada em sua carreira e quer mudar isso. Dispensado pelos Browns, o cornerback nem pensou duas vezes antes de aceitar a oferta do ex-rival Steelers. “Uma vez que estava livre eu queria jogar alguns jogos significativos”, afirmou o defensor ao Pittsburgh Post-Gazette. “Eles não perdem os playoffs, eu só queria fazer parte de algo, jogar os playoffs”, ressaltou Haden.

Além do Pittsburgh Steelers, algumas outras franquias foram atrás do jogador para tentar levar o cornerback para seus elencos, mas a decisão de vestir amarelo e preto não foi difícil. “Havia muitos times interessados, mas quando você fala sobre Pittsburgh, o interesse que eles tiveram, quão entusiasmados estavam, não era muito difícil a decisão”, afirmou Joe Haden.

O cornerback já viajou com o grupo dos Steelers para Charlotte para acompanhar a última partida da pré-temporada, contra o Carolina Panthers, vencida por seu novo time. No entanto, por conta da rapidez com que a franquia agiu em sua contratação, ele sequer tinha uniforme para pensar em entrar em campo. O general manager de Pittsburgh Kevin Colbert chegou a dizer que seria “negligência” não ter ido atrás da contratação de Haden por sua qualidade em uma posição carente do elenco dos Steelers.

Mais um problema de lesão para o Miami Dolphins

Mais um problema de lesão para o Miami Dolphins

A bruxa parece estar à solta pelos lados do Miami Dolphins na pré-temporada. Depois de perder o quarterback Ryan Tannehill com um problema no joelho e de ver o running back Jay Ajayi sofrer uma concussão, a equipe enfrenta outro problema. O linebacker calouro Raekwon McMillan machucou o joelho e pode ser mais uma baixa.

Estreando na NFL em amistoso contra o Atlanta Falcons, McMillan esteve em campo para apenas uma jogada nesta quinta-feira (10). Foi o que bastou para o linebacker sentir o joelho e sair de campo com uma lesão. Apesar de deixar o gramado por conta própria, algumas informações da imprensa local são de que ele foi visto no vestiário de muletas e uma cinta no joelho.

Sem atualizações a respeito da condição do jogador após a partida, o técnico Adam Gase não confirmou nenhuma lesão grave e espera novas informações. “Ninguém me disse nada assim (problema grave), vocês parecem ter melhores fontes do que eu que sou o treinador, então não sei”, disse Gase ao Pro Football Talk da NBC.

McMillan foi selecionado na segunda rodada do último draft e alimenta expectativa dos Dolphins para reforçar a defesa da equipe. O linebacker teve bom desempenho no College atuando por Ohio State. Em três anos ele somou 275 tackles, sendo 18 para perda de jardas e seis sacks, uma interceptação e um touchdown,

Calouro vai bem e Browns vencem os Saints

Calouro vai bem e Browns vencem os Saints

O Cleveland Browns começou a pré-temporada com o pé direito. A franquia estreou nos amistosos preparatórios jogando em casa contra o New Orleans Saints e conseguiu uma vitória por 20 a 14. Outra boa notícia para o torcedor foi o bom desempenho do quarterback DeShone Kizer.

Jogando em casa, os Saints saíram na frente abrindo o placar ainda no primeiro quarto. Um field goal de 22 jardas de Will Lutz foi a primeira pontuação da partida. No segundo quarto, Cleveland virou o jogo com uma corrida de uma jardas para touchdown do running back Matt Dayes. Ainda antes do intervalo outro field goal de Will Lutz, dessa vez de 42 jardas, fez New Orleans encostar novamente no placar.

Na volta dos vestiários as equipes não conseguiram pontuar no terceiro quarto e deixaram tudo para o último período. Com um passe de duas jardas do quarterback Ryan Nassib para Tommylee Lewis os Saints chegaram ao seu primeiro touchdown na partida. Com a conversão de dois pontos bem sucedida em corrida de Daniel Lasco a equipe abriu 14 a 07.

Mas os Browns reagiram e logo em seguida Terrence Magee correu uma jarda para a endzone. Uma tentativa de conversão de dois pontos mal sucedida impediu Cleveland de virar o jogo e deixou New Orleans ainda em vantagem. Mas DeShone Kizer conectou com Jordan Payton em uma jogada de 45 jardas para touchdown, dessa vez com extra point convertido fechando o placar em 20 a 14 para o time da casa.

Destaque para o desempenho do quarterback calouro dos Browns que conseguiu 184 jardas e um touchdown em 11 passes conectados após 18 tentativas. Cody Kessler terminou com cinco passes certos em 10 tentativas e 47 jardas, enquanto Brock Osweiler acertou seis passes em 14 tentativas para 42 jardas.

Pelo lado dos Saints bom jogo do quarterback Ryan Nassib com 10 passes conectados em 14 tentativas para 110 jardas e um touchdown. Outro quarterback de New Orleans que também teve bom desempenho foi Garrett Grayson com 11 passes certos em 16 tentativas e 126 jardas.

Calouro dos Panthers quer entrar em sincronia com Cam Newton rapidamente

Calouro dos Panthers quer entrar em sincronia com Cam Newton rapidamente

O running back Christian McCaffrey, draftado pelo Carolina Panthers esse ano, ainda não teve a oportunidade de trabalhar com o quarterback Cam Newton e os demais companheiros de ataque. Antes dos training camps, McCaffrey e o restante do time ofensivo irá se reunir com Newton em Baltimore para alguns trabalhos visando a temporada. E o corredor quer entrar rapidamente em sincronia com os companheiros.

Selecionado na primeira rodada do draft, McCaffrey está ansioso para iniciar os trabalhos e se entrosar com os companheiros. “O maior pensamento é todos estarem na mesma página, em sincronia”, destacou o running back à ESPN americana. “Estamos todos bem em nossos passos, estamos todos bem em nossas rotas, então queremos entrar nos training camps e parecer natural”, comentou o jogador.

Quando estiverem todos juntos, será a primeira vez que o atleta irá trabalhar com os companheiros e também a primeira oportunidade de Cam Newton ter todos os seus novos alvos à disposição, depois de realizar uma cirurgia no ombro direito. “Ninguém está preocupado com Cam, ele vai ficar bem. Ele é um jogador infernal, é um atleta infernal. Ele vai se ajustar rápido”, disse McCaffrey.

Além do running back, os Panthers têm grande esperança em outro calouro selecionado neste draft, o wide receiver Curtis Samuel. O técnico Ron Rivera espera que a adição dos dois jogadores possa tornar o ataque de Carolina mais explosivo e com mais variáveis. Assim seria possível descentralizar os snaps ofensivos de Cam Newton e preservar o quarterback, que foi castigado pelas defesas adversárias na última temporada.

Eli Manning, Big Ben e Philip Rivers podem passar das 50 mil jardas na carreira

Eli Manning, Big Ben e Philip Rivers podem passar das 50 mil jardas na carreira

Três quarterbacks da classe de 2004 podem entrar no clube das mais de 50 mil jardas na próxima temporada da NFL. Eli Manning, Ben Roethlisberger e Philip Rivers têm chances de alcançarem a importante marca. Eles se juntariam a outros seis nomes que integram hoje esse “clube”.

Primeira escolha do draft de 2004, originalmente selecionado pelo então San Diego Chargers, Eli Manning soma 48.218 jardas passadas na carreira jogando no New York Giants. Pelo ritmo do ano passado ele precisaria de seis partidas para chegar às 50 mil. Escolha número um daquele draft, Manning havia dito que não jogaria pelos Chargers, que fizeram uma troca com os Giants. A franquia de Nova York selecionou Philip Rivers como quarta escolha e foi realizada a troca.

Rivers, pelos Chargers, já chegou às 45.833 jardas lançadas e, novamente considerando os números da última temporada, chegaria ao clube dos 50 mil após 16 jogos. Já Ben Roethlisberger foi a escolha número 11 daquele draft, selecionado pelo Pittsburgh Steelers. O quarterback lançou 46.814 jardas na sua carreira e pelo que fez na última temporada precisaria de 11 jogos para alcançar a marca.

Caso cheguem ao número de 50 mil jardas, os três se juntam a um seleto grupo que hoje possui apenas seis outros nomes. Peyton Manning, Brett Favre, Drew Brees, Tom Brady, Dan Marino e John Elway são os quarterbacks que passaram as 50 mil jardas. Lembrando que Brees e Brady seguem em atividade.

Patriotas vence Tritões fora de casa em confronto equilibrado pela BFA

Patriotas vence Tritões fora de casa em confronto equilibrado pela BFA

Os cariocas do Patriotas FA foram até o Espírito Santo para uma estreia complicada na BFA, encarando o Tritões. E em um confronto equilibrado, o time visitante conseguiu levar a melhor por 24 a 18 e arrancou com uma boa vitória no nacional. O triunfo carioca se dá em um duelo que tem histórico equilibrado, agora com cinco vitórias para o Patriotas e quatro para o Tritões.

Foi pelo chão que o time carioca abriu o placar e saiu na frente na partida. Na mesma moeda, a equipe da casa chegou ao seu primeiro touchdown com uma corrida do seu quarterback. O extra point bloqueado deixava o Patriotas ainda em vantagem. Em uma jogada aérea os cariocas ampliaram antes do intervalo.

Na volta do intervalo, emoção na partida com uma interceptação retornada direto para a endzone pela defesa do Tritões, que encostou novamente no placar deixando em 14 a 12. Mas as equipes seguiam alternando pontuações, portanto, foi a vez de o Patriotas conseguir outro touchdown aéreo. No último quarto, a equipe visitante ainda somou mais três pontos com um field goal que deixou a situação mais confortável. Deu tempo ainda para o Tritões anotar mais um touchdown, mas não o suficiente para tentar buscar a virada.

Vitorioso na partida de estreia, o Patriotas volta a campo no dia 22 de julho para encarar o Flamengo FA, novamente como visitante. Já o Tritões faz mais um jogo em casa, no dia 29 de julho contra o São Paulo Storm.

Defensor do Baltimore Ravens quer aumentar seu repertório de jogadas

Defensor do Baltimore Ravens quer aumentar seu repertório de jogadas

O Baltimore Ravens fez barulho ao assinar um novo contrato com o defensive tackle Brandon Williams no valor de 52,5 milhões de dólares pelos próximos cinco anos. E depois de conseguir um novo acordo com sua franquia, o defensor agora pensa em aumentar seu repertório de jogadas para fazer valer o investimento.

Destaque nas últimas temporadas parando o jogo corrido adversário, Williams quer melhorar sua capacidade de sackar o quarterback rival. Foram apenas 4.5 sacks na sua carreira de quatro anos na NFL para o jogador, que viu muitas terceiras descidas adversárias de fora do campo quando os Ravens optavam por pressionar o passador adversário.

“Preciso aumentar meus sacks”, disse Williams à ESPN americana. “Acabei de ter uma reunião com o técnico de linha defensiva (Joe) Cullen, afirmou o defensive tackle. Mesmo sem grandes números em sacks, o desempenho do atleta contra o jogo corrido agradou o Ravens a ponto de a franquia lhe dar um contrato novo.

Harold frustrado com situação de Kaepernick

Harold frustrado com situação de Kaepernick

A NFL é uma liga que antes de qualquer coisa visa o lucro, e neste sentido é extremamente bem sucedida. E entre algumas deliberações para que a liga continue neste rumo a disciplina é ponto alto, e casos de prisão, violência doméstica, porte ou consumo de drogas e outras atitudes que pudessem manchar a imagem da liga são severamente punidas.

Mas ano passado um fato chamou a atenção de todos e a NFL ficou de “mãos atadas” para punir, já que alguns atletas capitaneados por Colin Kaepernick resolveram se ajoelhar durante a execução do hino nacional, expressando suas opiniões. Aquela atitude não era uma “atitude de NFL“, e depois de um ano conturbado o grande idealizador destes processos está sendo punido de outra forma.

Talvez não, mas é assim que Eli Harold vê a situação. O linebacker do San Francisco 49ers divide este pensamento com outro jogador que no ele seguiu Colin Kaepernick nos protestos, Eric Reid, e como muitos acredita que o ex-companheiro de time estar sem emprego tem muito mais a ver com os protestos do ano passado que com suas performances em campo.

É frustrante para mim porque realmente acho que tem tudo a ver com o protesto que ele fez. Alguns gerentes e proprietários estão com medo de toca-lo simplesmente porque eles estão com medo de perder receita, dinheiro. Todos sabemos que ele é melhor que alguns desses caras que entraram na agência livre, mas não está em nenhuma equipe. Ele vai assinar com alguma equipe no campo de treinamento. Mas é frustrante.”

Harold contou que sempre conversa com Kaepernick e que ele participou da decisão de não se ajoelhar durante o hino este ano. Segundo ele a ideia do protesto era chamar a atenção para uma causa que acontecia e ainda acontece, porém Kaepernick está pagando o preço de assumir a responsabilidade de assuntos que deveriam ser dos governantes.

Colin Kaepernick protest

Eu respeito a decisão de Colin de me levantar e eu estou seguindo ele”, afirmou Harold. “Eu realmente sinto que o mundo deu um passo adiante ao ver o protesto, mas mostra que na NFL não demos um passo à frente porque ele ainda não está empregado. Sinto que é maior que o que ele fez, é maior do que o futebol (…) Ele é um bom quarterback. Você volta e olha os números, ele teve uma boa temporada para os jogos que jogou.”

Para terminar o jogador também falou um pouco do trabalho que ele tem com Kam Chancellor, do Seattle Seahawks em Virginia. Lá eles fazem palestras junto com policiais falando sobre os direitos civis. No ano passado Kaepernick foi um convidado de honra, porém este ano sua presença ainda não está confirmada.

Foi louco o acampamento que eu tive no ano passado com Kam Chancellor, tivemos um seminário incorporado no acampamento com a polícia local e isso foi muito antes de eu saber que Colin se ajoelharia no hino”, disse HaroldFoi um pouco louco do jeito que foi e vamos incorpora-lo novamente no acampamento. Também teremos algo como o Colin fez com ‘Know Your Rights‘ e incorporar isso lá. Sinto que se você começar em algum lugar, você deve começar em sua comunidade.”

São os atletas da NFL defendendo causas sociais e tentando mudar o mundo. Talvez não dá maneira correta na visão de muitos, mas é muito interessante ver jogadores que recém salários milionários se preocupando com suas comunidades.

 

 

 

Quarterback do Titans se lesiona e perderá seis semanas

Quarterback do Titans se lesiona e perderá seis semanas

Não está fácil a vida do Tennessee Titans na abertura dos treinos desta temporada, afinal, a equipe terá que utilizar seu terceiro reserva para comandar o ataque durante os treinos voluntários e o minicamp obrigatório. Tudo porque seu quarterback reserva, Matt Cassell perderá seis semanas de treino para operar o polegar.

O titular Marcus Mariota está em processo de recuperação de uma fratura na fíbula sofrida na semana 16 da temporada passada, e só deve retornar aos treinos integrais no final de junho. O anúncio da contusão de Cassell veio através do treinador da equipe, Mike Mularkey.

Cassel precisará ter um pino colocado no polegar e provavelmente vai demorar cerca de seis semanas para sua recuperação”, disse o treinador dos TitansEle deve estar pronto para ir ao campo de treinamento, em julho.”

Com a situação quem comandará o ataque nos treinos da equipe é Alex Tanney, terceiro no gráfico de profundidade. O jogador chegou na equipe no ano passado após passar pelas equipes de treinos de várias franquias desde 2012. Calouro não selecionado no Draft 2012, teve o Cowboys como sua primeira equipe, depois passando por Browns, Buccaneers, Bills, Colts, além do próprio Titans.

Tennessee Titans v Jacksonville Jaguarspara

Depois de “herdar” a posição de titular nos treinos voluntários, Tanney se mostrou feliz com a oportunidade, e mesmo sem muitas chances de jogar na temporada regular o quarterback se fiz preparado para o desafio.

Eu estou me preparando como se eu pudesse jogar, mesmo que eu não esteja relacionado no domingo”, disse Alex Tunney. “Eu tenho essa abordagem na baixa temporada e faço isso da mesma forma. Já passei por algumas equipes,  esta é a minha sexta ou sétima equipe, e o núcleo que temos aqui é algo de que quero ser parte, porque está indo em uma direção muito boa.”

Sem Matt Cassell e Marcus Mariota (foto) nos treinos a equipe perde tempo valioso no entrosamento dos jovens valores com os quarterbacks. A equipe selecionou o recebedor Corey Davis na primeira rodada e Taywan Taylor na terceira, e os treinos dos calouros nesta fase da temporada ajuda muito no processo de identificação dos jogadores com o quarterback. O Titans surge como um dos favoritos aos playoffs este caso Mariota volte a jogar como no ano passado.

Steelers planeja mudanças na defesa mirando o Super Bowl

Steelers planeja mudanças na defesa mirando o Super Bowl

O Pittsburgh Steelers tem um dos melhores ataques da AFC, isto é indiscutível. Mas a equipe sofreu muito na defesa, principalmente na linha secundária na temporada passada. E é pensando nisso que a equipe planeja algumas mudanças em seu estilo de jogo, principalmente na linha secundária. Segundo o cornerback Artie Burns a equipe vai priorizar as marcações individuais, principalmente contra ataques com grandes quarterbacks.

A constatação da equipe veio após a derrota para o New England Patriots na final da AFC na temporada passada. A equipe tentou marcar o ataque comandado por Tom Brady por zona e acabou sofrendo uma derrota por 36 a 17. Naquela partida Brady passou para 384 jardas, e depois de perceber que a equipe estava marcando por zona assionar mais Chris Hogan, responsável por dois dos três touchdowns. Uma defesa por zona fica sempre suscetível ao aparecimento de alvos não visualizados quando enfrenta uma equipe com um quarterback elite.

Todos os times que venceram os Super Bowls nos últimos dois anos jogavam marcando homem-a-homem”, afirmou BurnsQueremos ser uma equipe que possa jogar assim, pressionar o quarterback e atacar no campo de cobertura.”

NFL: AFC Championship-Pittsburgh Steelers at New England Patriots

E não foram apenas as equipes que venceram o Super Bowl nos últimos dois anos. Além do Denver Broncos e do Patriots o Carolina Panthers e o Atlanta Falcons utilizaram este estilo de marcação em partidas decisivas. Agora a equipe de Pittsburgh pretende aderir ao estilo para se tornar mais competitivo na defesa, principalmente enfrentando os melhores quarterbacks de sua conferência.

Artie Burns chegou na equipe na temporada passada, depois de ser selecionado na primeira rodada do Draft (25° escolha geral). Em doze partidas como titular ele conseguiu 3 interceptações, 60 tackles e 14 passes defendidos.

 

Baldwin fala sobre a “polêmica do vestiário” do Seahawks

Baldwin fala sobre a “polêmica do vestiário” do Seahawks

Depois de grande polêmica envolvendo o vestiário do Seattle Seahawks e principalmente Richard Sherman, muitos fatos foram revelados a respeito do trabalho da equipe. Sherman e outros jogadores acreditavam que Pete Carroll dava tratamento diferenciado a Russell Wilson, causando inveja por parte deles. Já outros relatos dão conta da dificuldade de Carroll motivar os veteranos em seus discursos. Então o recebedor Doug Baldwin foi convidado por uma rádio ontem para tirar algumas dúvidas, e ele falou a respeito de Wilson e sobre o trabalho de Carroll com a equipe.

Baldwin chegou a dar uma declaração no fim de março, após Sherman ser declarado como “negociável”, dizendo que “o orgulho de Sherman lhe fez crescer e agora estava lhe levando para baixo”. Agora, o atleta falou a respeito de como o treinador trata os atletas e principalmente Russell Wilson, que segundo relatos é “protegido” pelo treinador.

“Honestamente não sei se isso acontece. Penso que Pete (Carroll) faz um trabalho fantástico ao lidar com diferentes indivíduos de forma tão boa” disse Baldwin. “Todos temos personalidades diferentes. Todos nós agimos de maneiras diferentes. E Pete faz um trabalho fantástico ao trabalhar essas personalidades. Ele fez isso comigo. Ele fez isso com Russ (Wilson), com Sherman, com Marshawn (Lynch), com todos nós. Ele faz um excelente trabalho nesse aspecto.”

Outra polêmica criada após o relato dos problemas no vestiário da equipe, é que Carroll não estava mais conseguindo motivar os atletas veteranos, grande parte da equipe. Segundo as fontes o discurso do treinador continua o mesmo dos anos anteriores e não impacta mais os jogadores que estão na equipe há alguns anos. Baldwin foi sincero e surpreendeu na resposta.

“Sinceramente,​ não (o motiva mais)”, disse Baldwin. “Ouvi isso por sete anos, então eu sei o que ele vai dizer. Mas não se perdeu. Não me entenda mal, não é que ele não tenha o mesmo impacto. Não tem o mesmo impacto sobre mim porque já ouvi.”

images (1)

Mas o recebedor fez questão de elogiar o trabalho de Carroll. Segundo ele por ser um discurso voltado aos mais jovens funciona, uma vez que os veteranos já sabem o que devem fazer. Como um “bônus” para os fãs da equipe, ele ainda contou um pouco do processo.

“Na primeira reunião que temos, ele levanta a bola e diz: ‘É tudo sobre a bola. Temos que cuidar da bola. Temos que rouba-la do ataque adversário e cuidar dela quando o tivermos a posse’. E essas coisas não mudam. Isso é provavelmente uma das coisas que eu mais amo em Pete, sua consistência quando se trata de sua filosofia. Ele não vai vacilar sobre isso. Ele tem uma base sólida sobre a maneira que ele quer o seu programa, a sua filosofia de ataque, a defesa e as equipas especiais. Pete pode ser adaptável quando se trata de personalidades diferentes, mas quando se trata de filosofia, não muda.”

Em meio a algumas polêmicas que surgiram na semana passada em relação ao relacionamento da equipe o Seattle Seahawks continua o trabalho. Sua segunda semana de treinos voluntários conta com os principais nomes da equipe, incluindo algumas novas contratações, com destaque para Eddie Lacy e os novos calouros selecionados no Draft.

Derek Carr dá ultimato ao Raiders

Derek Carr dá ultimato ao Raiders

Ele foi um dos melhores quarterbacks da temporada, eleito para o Pro Bowl e ainda recebeu votos para MVP da temporada, porém não está feliz. Derek Carr, quarterback do Oakland Raiders demonstrou na tarde de ontem toda a sua frustração com o time após mais uma semana se passar e a equipe não lhe procurar para negociar a extensão de contrato. Carr deu prazo para a equipe: 28 de julho. Segundo ele, depois disso vão se encerrar as negociações e ele jogará com o contrato antigo, que se finda ao fim da temporada.

“Isso não é uma ameaça ou qualquer coisa desse tipo. Só estou dizendo que eu não vou lidar com nada que atrapalhe a minha concentração em ganhar”, disse Carr. “O dinheiro não é o que me impulsiona. O que me move é ter certeza de que estou dando tudo o que tenho para chegarmos a vitória. E não quero nada que distraia meu pensamento.”

Carr chegou na equipe no Draft 2014 e ganhou a posição no mesmo ano. Em uma crescente ano passado jogou para 3937 jardas, 28 touchdowns e apenas 6 interceptações, números ótimos. E caso não haja uma renovação de seu contrato antes do campo de treinamento o jogador irá receber apenas US$ 1,15 milhões, muito pouco para um quarterback de seu nível.

“Tenho muitas coisas para trabalhar e não quero distrair meus colegas de equipe”, disse Carr. Khalil (Mack) teve que responder a perguntas sobre minha situação no outro dia, e isso me deixa mal, porque não há motivo para ele ter que falar sobre isso.”

NFL: Preseason-Detroit Lions at Oakland Raiders

Porém Carr deixa claro que está focado no trabalho da equipe e quer continuar​ no Raiders pelo resto da carreira. A equipe teve uma grande temporada ano passado, só caindo de produção quando Carr sofreu uma fratura na fíbula na semana 16. Agora o atleta aguarda os movimentos da equipe para assinar o contrato que promete ser o maior da NFL, superando Andrew Luck. Mas se o movimento não acontecer até o fim de julho, o jogador pode se tornar um agente livre na próxima temporada.

Eu deixei muito claro que eu quero ser um Raider por toda a minha carreira”, disse CarrEu não quero jogar para outro time. Eles (Raiders) sabem disso. Eles me disseram o quanto eles me querem. Então, estou esperando.”

 

“Kaepernick não cometeu nenhum crime”

“Kaepernick não cometeu nenhum crime”

Um dos proprietários do New York GiantsJohn Mara, deu uma entrevista polêmica falando a respeito do quarterback Colin Kaepernick e isto lhe trouxe algumas consequências. A principal foi a revolta de alguns fãs do quarterback e principalmente de seu ex-colega de equipe, o recebedor Torrey Smith, que na agência livre assinou um contrato com o Philadelphia Eagles. Na entrevista Mara disse que muitos fãs do Giants ameaçaram não ir mais aos jogos da equipe se algum atleta protestasse durante o hino americano. Pelo Twitter, Smith fez questão de responder o dirigente.

Ouvi dizer que ele é um dos melhores proprietários da liga, então eu não quero que as pessoas pensem que estou desrespeitando esse cara. Eu não estou”, disse Smith hoje depois do treino. “Mas é apenas o fato de ele comentar sobre as pessoas, os fãs, ficando loucos por isso, sendo que ele acabou de ter um kicker em sua equipe que ele tentou proteger até a última hora”.

A referência foi a Josh Brown, kicker do Giants que renovou o contrato mesmo sendo investigado por um caso de violência doméstica. A equipe só dispensou Brown em outubro, após ficar clara a culpa do atleta e a punição. Brown confessou o crime e passa por tratamento.

As pessoas estão dispostas a perdoar as pessoas quando agridem as mulheres, vendem drogas, fazem o que quer que seja e cometem todos os tipos de crimes”, continuou Smith. “Eu acredito nas segundas chances. Eu acredito na segunda chance de um cara como Joe Mixon, apesar de ter se envolvido em um caso de violência doméstica.”

a

Eu acho que você tem que ter a mente aberta para saber que Kaepernick não cometeu um crime, ele não machucou ninguém, ele não fez nada. Foi um protesto, e agora as pessoas estão prestes a bloquea-lo ou não apoiar alguém que esteja associado a ele. Mas estão dispostos a apoiar as pessoas que bateram em mulheres, fazem todos os tipos de coisas loucas. Isso simplesmente não faz sentido.”

O desabafo de Smith, que foi companheiro de Kaepernick no Niners, começou endereçado ao proprietário do Giants e se propagou a outras equipes, sendo concluído da seguinte forma:

Nesta época do ano há 96 quarterbacks empregados. Você não pode me dizer que há 96 quarterbacks melhores que ele. Você olha isso, simplesmente não faz sentido.”

Kaepernick se tornou o grande personagem da offseason desta temporada, e mesmo que alguns não gostem de abordar o assunto, e ainda é proeminente, causando grande repercussão. A história já envolveu personagens como Donald Trump, Spike Lee, muitos proprietários de franquias, além claro de atletas que declararam apoio ao atleta. Por hora ele se encontra sem time, mas existe chances do Seattle Seahawks anuncia-lo nas próximas semanas.

A NFL ainda é “pequena” internacionalmente?

A NFL ainda é “pequena” internacionalmente?

Quando a ESPN lançou na manhã de hoje sua lista dos jogadores mais famosos no mundo, contamos – leia aqui – que entre os 100 ranqueados apenas cinco jogadores da NFL estão na lista. Parece pouco para uma liga que conta com 32 equipes e muitos atletas com salários maiores que 15 milhões anuais, não é mesmo?

Pois bem, a lista foi baseada no número de seguidores em redes sociais, impacto na mídia, patrocinadores e eventos que os atletas são convidados, e o resultado são 19 atletas do futebol tradicional, 9 da NBA e jogadores de esportes com números mais módicos e transmissões muito menos globalizadas. Tom Brady, considerado por muitos como o “maior de todos os tempos” é apenas o 21° na lista, e se formos olhar para os 20 jogadores que vêm antes, existem dois nomes ligados ao cricket, esporte que muitos nem sabem como funciona.

Enfim, o resultado foi catastrófico para a NFL como um todo, e começamos a avaliar o que está faltando para que a liga e torne realmente grande internacionalmente. David Schwab, vice-presidente executivo da Octagon, grande empresa de marketing, acredita que o resultado reflete o regionalismo das transmissões e principalmente do marketing pessoal dos atletas, além da falta de jogadores estrangeiros disputando a liga.

“A desvantagem da NFL é a natureza doméstica dos jogos, junto com a cobertura televisiva e a participação a nível de jovens”, disse Schwab. “Não é um esporte que as pessoas estão jogando internacionalmente como o basquete, por exemplo. Se você tem um esporte como basquete, onde você tem mais jogadores internacionais jogando na NBA, você tem a participação pesada em todo o mundo.”

Nós até temos um brasileiro jogando na NFL, mas o mercado asiático, grande termômetro do mundo hoje em dia não conta com ninguém. Se pararmos para pensar, Tom Brady fará sua primeira turnê na Asia este ano, 19 anos após Kobe Bryant ir pela primeira vez a China. Quatro anos depois de Kobe o primeiro jogador chinês de relevância chegou a liga, Yao Ming, e a partir dali o mercado da NBA explodiu mundialmente. Hoje a liga faz jogos de pré-temporada na maioria dos continentes, e conta com pelo menos um jogador de cada continente jogando o campeonato, atraindo público e consequentemente verbas.

a2

Em contrapartida a NFL conta com jogos no México, país que faz divisa com os Estados Unidos e jogos na Europa, onde ainda tenta colher os “louros” da fracassada tentativa de implantar uma liga por lá. Uma das principais armas para crescer em público internacionalmente seria fazer o Pro Bowl em outro país, assim como fazia no distante Hawaii. Porém a liga prefere apostar no mais simples, e por mais um ano vai realizar os jogos em Orlando, Flórida.

A NFL anunciou esta semana que vai incorporar jogadores estrangeiros nos Practice Squads das equipes da AFC Sul, e quatro europeus chegaram. Mas nenhum deles vai realmente jogar, não tem o nível adequado. Seria o mesmo que um jornalista brasileiro dizer que algum jogador de nosso campeonato nacional merece uma chance na NFL. Chega a beirar o ridículo, irresponsável e apelativo, uma vez que os americanos que brilharam na Superliga Nacional do ano passado e competições estaduais disputaram no máximo a Divisão II do College americano. Schwab falou a respeito desta jogada da liga para atrair a atenção internacional, que segundo ele é imediatista.

“Isso fornece pontos individuais de interesse humano para uma determinada base de fãs, mas se você não pode assistir regularmente o que eles estão fazendo na TV, e no dia-a-dia você não vive ou conhece o esporte, é difícil manter a relevância. Funciona por apenas a duração da manchete no jornal.”

Muitos vão dizer que a NFL  - futebol americano – é o esporte que mais cresce em audiência na televisão brasileira, e que isto também é relevante em países como México e Europa. Mas não podemos esquecer que a meta da liga era de 400 milhões de espectadores assíduos e que consumissem a liga anualmente, e no “continente” Brasil, não chegamos nem aos 2,5 milhões de espectadores no pico da temporada. Sem o mercado asiático a NFL nunca vai alcançar este número.

a1

Outro motivo para o crescimento da NFL ser menor que outras ligas fora dos Estados Unidos é o “bairrismo” das principais estrelas quando o assunto é marketing. Grandes estrelas preferem assinar com anunciantes mais direcionados ao público americano e não tem a exposição devida fora. Veja por exemplo Peyton Manning, que assinou com Papa John’s e Nationwide Insurance. A grande maioria dos brasileiros nem sabia que ele fazia propaganda destas empresas por não ter acesso ao NFL Gamepass, por exemplo. Já Tom Brady tem patrocinadores de nível mundial (Under ArmourUGG, Tag Heuer, Stetson e Aston Martin), até por isso apareceu na lista bem a frente dos outros.

A NFL tem uma importante decisão a tomar: crescer ou não mundialmente. Se a decisão for positiva, terá que chegar à China e ao Brasil o quanto antes, mesmo que traga apenas uma ou duas estrelas e o restante do elenco reserva. Talvez ainda o Brasil não esteja em um nível para receber jogos de temporada regular, mas já passou da hora de termos pelo menos um jogo de pré-temporada – ou até um Pro Bowl – aqui. Os fãs que já existem merecem e com certeza trará mais torcedores para a frente da tevê nas quintas, domingos e segundas.

 

Entre Jardas | Futebol Americano BR - 2014