Navegue pela Home do seu time
CBFA esclarece tudo sobre o Futebol Americano Nacional!

CBFA esclarece tudo sobre o Futebol Americano Nacional!

Alguns dias após o anúncio de que a Superliga Nacional viraria o BFA – Brasil Futebol Americano, conversamos com o o atual presidente da CBFA, Gustavo Sousa, para saber a posição da Confederação Brasileira a respeito do assunto, de como foi tratada a criação da nova liga pela CBFA, e já aproveitamos para saber o futuro do Brasil Onças e da Seleção Feminina de Flag este ano.

a1

Aproveitamos também para apurar denúncias que recebemos que a Confederação seria uma empresa com dois proprietários e não uma associação privada. Enfim, colocamos tudo em “pratos limpos” para que nosso esporte continue límpido, uma vez que a credibilidade é uma das grandes forças para o futebol americano nacional conquistar cada vez mais público.

Entre Jardas: Tivemos o anúncio da mudança de nome e estão do campeonato brasileiro unificado, que antes batizado de “Superliga Nacional”, agora se chamará “Brasil Futebol Americano”. A ideia veio dos clubes? Quando ela começou a ser alinhada?

Gustavo Sousa: Esta não é uma ideia nova e posso dizer que não tem um “pai”. É algo que sempre defendi muito antes de chegar a CBFA, ainda como diretor do João Pessoa Espectros. Sempre administramos assim – como liga independente – os torneios do Nordeste, e mesmo depois que a LINEFALiga Nordestina de Futebol Americano – começou a fazer parte do campeonato brasileiro da CBFA, em 2011, nossa administração da Conferência Nordeste e depois Superliga Nacional Nordeste continuou independente,

Cheguei a CBFA com este intuito e a unificação dos campeonatos ano passado foi o primeiro passo neste sentido. Em conjunto com outros dirigente vimos que a “separação” – leia-se administração separada de cada conferência – seria a melhor opção a partir de agora.

Entre Jardas: Ouve alguma pressão dos dirigentes para que a CBFA deixasse de administrar o campeonato? Temos alguns dirigentes insatisfeitos, qual a posição da CBFA sobre isso e como ela vê esta situação?

Gustavo Sousa: Não houve pressão nesse sentido, pois como disse é uma ideia compartilhada pela maioria dos dirigentes das equipes. Sobre as insatisfações, elas são normais num coletivo, especialmente se tratando de esporte, onde é normal que os dirigentes das equipes tendam a “puxar a sardinha” para o seu lado.

No mundo todo o esporte dá mais certo quando é administrado pelos times, e esta é uma posição que continuarei defendendo. Na nossa opinião as Federações e Confederações devem  ser responsáveis pela infra-estrutura do esporte, desenvolvendo – no nosso caso – o flag, as categorias de base e a arbitragem, além claro das seleções nacionais.

Entre Jardas: Um dos assuntos mais questionados é a dubiedade de registro da CBFA. Ela tem um registro antigo como “associação privada sem fins lucrativos” e outro com uma “empresa ME, fazendo que muitos digam que a CBFA é uma empresa. Explique para nós para que este assunto fique de uma vez por todas esclarecido:

Gustavo Sousa: A CBFA não é uma empresa. Ela é uma associação privada sem fins lucrativos, cuja razão social é a AFAB, fundada em 2008. Porém, quando assumimos, em 2015, o CNPJ estava baixado na Receita Federal por falta de declarações a Receita Federal por mais de 5 anos, e para completar, a conta bancária da instituição foi bloqueada pelo mesmo motivo. Pagamos as multas na Receita, mas não conseguimos desbloquear a conta ainda. Então a empresa “CBFA Brasil” foi aberta, o que foi informado a todas as equipes, com o único fim de podermos abrir uma conta-corrente pessoa jurídica que pudesse ser movimentada, para exatamente evitar a utilização de contas de pessoas físicas, e que serviu basicamente para os pagamentos das arbitragens e outros fornecedores.

Por questão de celeridade do processo, ela foi aberta no meu nome e logo em seguida teve a entrada do então tesoureiro da CBFA, senhor Wadih Elkadi, como sócio da PJ exatamente para manter o controle e transparência que teríamos se nossa conta oficial estivesse liberada, com o presidente e tesoureiro responsáveis pela movimentação e prestação de contas.

Entre Jardas: Tem uma previsão de quando este imbróglio na Receita será resolvido. Isso altera a data das novas eleições?

Gustavo Sousa: Como explicado, não é uma empresa. A empresa apenas serviu para a abertura de uma conta corrente pessoa jurídica alternativa à conta oficial, que se encontra bloqueada. As eleições da AFAB (CBFA) serão realizadas tão logo consigamos recuperar o acesso à conta e fazer o registro correto no cartório, senão uma eventual nova administração teria os mesmos problemas que eu tive, sem poder movimentar nada pois tudo estava no nome do presidente anterior. E com o CNPJ baixado, o cartório não aceita o registro da nova diretoria. Estamos trabalhando para resolver isso até no fim de março e assim poder realizar novas eleições.

Entre Jardas: Chancelando a competição, mas não administrando (no caso a BFA), qual a função e responsabilidade da CBFA na competição?

Gustavo SousaNesse primeiro momento, continuamos com a responsabilidade sobre a arbitragem e ainda nesse semestre instituiremos o STDJ do Futebol Americano, que atuará com uma comissão disciplinar exclusiva para jogos da competição. Além disso, as regras gerais de registro e transferência (inclusive internacionais) de atletas e a própria regra do jogo, tudo em acordo com as regulamentações da IFAF, continuam tendo que ser aprovadas por nós.

Entre Jardas: Uma das coisas que mais incomodaram a imprensa especializada em geral, foi o “vazamento” de informações a um referido blog e a suposta “exclusividade” de um canal de youtube em ter as primeiras declarações da nova BFA, o que fere e revolta nós jornalistas que cobrimos o esporte aqui no Brasil. Qual sua posição a respeito destes equívocos por parte da nova liga?

Gustavo Sousa: Sobre a transmissão na internet não tenho nada a dizer, pois não participei de nenhum acerto nesse sentido, e nem participei da citada entrevista. Mas se me permite dar minha opinião, eu realmente não gosto da ideia de informações exclusivas, não me parece um sinal de boa governança. Por outro lado, entendo que estrategicamente algumas entidades optem por esse tipo de expediente. Não me cabe julgar.

Sobre informações com a CBFA, desde que você faça o bom jornalismo, nesse caso entendido como buscar ouvir todos os lados e se ater a fatos, o que parece ter sido a intenção do Entre Jardas, poderá contar sempre comigo. Sou bastante transparente e procuro ajudar todos a realizarem seu trabalho da melhor forma.

Entre Jardas: Aproveitando a palavra do presidente da CBFA, não poderíamos deixar de lado nosso maior orgulho, a Seleção Brasileira. Já temos um calendário para o Brasil Onças este ano?

Gustavo Sousa: Estamos tentando adversários para pelo menos um amistoso este ano, mas caso não seja possível, nossa intenção é manter os training camps regionais. Há uma possibilidade de um torneio sul-americano, que está sendo discutido no âmbito da IFAF Americas, mas ainda é algo incerto. Já em relação à seleção feminina de flag, temos um convite para um evento no Chile no segundo semestre.

Esta foi a palavra de Gustavo Sousa, presidente da Confederação Brasileira de Futebol AmericanoCBFA. Deixando claro que nosso portal está sempre aberto para declarações das federações envolvidas no nosso esporte, afim de fazer com que ele cresça ainda mais. E como já dissemos, torcemos para que cada vez mais o esporte cresça, sempre com integridade e transparência, para que a credibilidade do esporte no Brasil seja a tônica.

*Imagens arquivos Facebook.

New York Giants encara o Dallas Cowboys no palco de Odell Beckham

New York Giants encara o Dallas Cowboys no palco de Odell Beckham

Um dos melhores jogos da rodada, o Dallas Cowboys vai até Nova York para enfrentar o grande rival de divisão, New York Giants. Marcados por grandes duelos e jogos memoráveis, Giants e Cowboys reeditam confronto histórico de 2014 onde a famosa recepção de Odell Beckham Jr. foi feita e apresentada para o mundo.

Pouco mais de 2 anos atrás acontecia uma das jogadas mais bonitas do futebol americano. Uma jogada que foi eternizada e estará para sempre nos livros de história. Na hora que Odell Beckham se livrou da marcação de Brandon Carr e apesar da falta sofrida, conseguiu protagonizar a recepção para touchdown dos Giants naquele fatídico Sunday Night Football, foi a hora que todos os espectadores tiveram a certeza de que esse é o melhor esporte do mundo. Torcedores, narradores, comentaristas, poucos acreditavam no que viam, eles apenas sentiam. Sentiam uma das melhores partidas de Futebol Americano de todos os tempos.

Hoje as equipes se encontram novamente para realizar o já tradicional SNF que marcam o seu ano. Não temos duvidas de que será um jogão, no entanto, com novos protagonistas. Após o jogo da semana 1 onde poucos conheciam Dak Prescott, Ezekiel Elliot, Landon Collins e Sterling Sheppard, essa será a partida que marcará a mudança e evolução das equipes e desses jogadores em seus elencos. Os já conhecidos Tony Romo e Jason Pierre Paul, ícones das equipes, não jogam e dão lugares as novas estrelas.

Além deles, o Giants não contará também com o bom guard Justin Pugh, ainda se recuperando de lesão, e o Cowboys estará sem Lucky Whitehead, consistente retornador e famoso por jogadas de end around da equipe texana.

Enquanto uns vão sumindo com o tempo, outros vem para ocupar seu lugar. É assim que funciona na NFL. A mistura de elencos que a faz tão famosa. Hoje é a experiência de Eli Manning contra a juventude de Dak Prescott. A irreverência de Odell Beckham contra a segurança de Dez Bryant. E a formula do sucesso da Liga, o equilíbrio.

Apesar da campanha de 11 vitórias e 1 derrota de Dallas e a inconsistência de Nova York na sua campanha de 8 vitórias e 4 derrotas, o histórico mostra que não podemos confiar em estatísticas para essa partida, ela é decidida na raça, com o coração e a paixão pelo esporte.

921ec510b0bc2c2eca0b5be7e1451902

E para você, quem vence? Dallas Cowboys ou New York Giants? Deixe um comentário com sua opinião.

David Johnson quer ser o jogador ofensivo do ano!

David Johnson quer ser o jogador ofensivo do ano!

Mesmo com uma temporada abaixo do esperado, o Arizona Cardinals tem dentro de seu roster um jogador que busca incessantemente por um título: David Johnson.

Neste caso falamos de um prêmio pessoal, o de melhor jogador ofensivo da liga. Responsável por 37% do total de jardas da equipe de Arizona, talvez o running back estivesse mais destacado se o rendimento da sua equipe acompanhasse o de suas corridas. Outros nomes que com certeza estarão nesta lista, como Ezekiel Elliott, o quarterback Derek Carr e Tom Brady, contam com além de grande atuações particulares, grandes atuações de seus times, com presenças previstas para pós temporada.

091315-Cardinals-2.vresize.1200.675.high.56Com 760 jardas na temporada, Johnson possui a quarta melhor marca da NFL. Nesta temporada já foram 9 touchdowns, a segunda maior marca entre os running backs. Em seu segundo ano, o jovem talento vem tentando demonstrar seu potencial e em Outubro, foi considerado como o melhor jogado ofensivo do mês, pela NFC.

A situação do seu time já não é tão favorável quanto os seus números, mas o baixo índice de aproveitamento deixa tudo aberto na NFC Oeste. O Cardinals está apenas há 2 derrotas do líder Seattle Seahawks, e sua melhor campanha em jogos dentro da conferência lhe da vantagens em caso de campanhas iguais.

Neste domingo a equipe de Arizona viaja para enfrentar, às 16h, o Minnesota Vikings, que começou como uma das melhores equipes da temporada mas vem perdendo forças pelo caminho. Mais uma chance para Johnson mostrar seu potencial, pois o jovem garoto já deu o recado, ele quer trabalho!

Uma das rivalidades mais quentes do mundo esportivo

Uma das rivalidades mais quentes do mundo esportivo

Uma rivalidade que começou antes mesmo da existência de um dos times. Quando Baltimore RavensPittsburgh Steelers se encontram, você pode esperar um jogo intenso do começo ao fim. Neste domingo teremos mais um capítulo escrito dessa rivalidade quando as equipes se encontrarem no M&T Bank Stadium.

O Ravens é um time relativamente novo na liga, e para entender um pouco desta rivalidade devemos voltar para antes da criação do time. Steelers e Browns é uma das rivalidades mais antigas das ligas americanas, os dois times não se suportam desde 1950. Em 1996 a equipe de Cleveland se transferiu para Baltimore, a principio mantendo seu nome, mas quando a NFL aprovou a expansão de um novo time para Cleveland decidiu-se por voltar a esse novo time o histórico dos Browns e em Baltimore nasceu o Ravens.

Menos de 400 quilômetros separa os dois estádios. Aquela cultura americana, que permite a cumplicidade no esporte, onde torcedores de ambos os times se misturam em seus assentos no estádio, não é muito aconselhável quando os pretos e roxos encontram os pretos e amarelos. No último ano, um torcedor do Ravens teve de ser retirado do Heinz Field após confrontar com os torcedores do time da casa. Um jogo onde ninguém quer perder, um jogo que define o humor e sentimento de seus torcedores e jogadores até que eles se encontrem novamente.

Dentro de campo Terrell SuggsEd ReedRay LewisHines WardJames HarrisonTroy Polamalu são nomes icônicos desse embate. A jogada nunca acaba quando o juiz apita, sempre acontece aquela conversa suja (trash talk) provocativa, que em algumas das vezes deixava de ser apenas conversas e os jogadores perdiam a compostura dentro de campo. A NFL chegou até a investigar Suggs por ter uma vez comentado que colocaria uma recompensa pela cabeça do wide receiver Hines Ward.
Em 2007, Ward efetuou um bloqueio tão pesado em Reed que o tirou de todo o resto de uma partida.O pequeno Ngata quebrou o nariz de Big Ben durante um sack em 2010. o técnico Mike Tomlin, dos Steelers, foi multado em 2013 por interferir em um retorno de kickoff de Jacoboy Jones que possivelmente acabaria num touchdown de 101 jardas. $100.000 foi a “pequena” multa aplicada pela liga.

Em 2015, o site Bleacher Report, classificou a rivalidade como a número 1 da NFL. Independente da situação dos times na temporada, não há como prever um vencedor deste duelo. São 44 jogos entre as equipes, sendo 24 vitórias para o Steelers e 20 para o Ravens. Os dois times já se encontraram duas vezes em finais da AFC, sendo as duas vitórias para Pittsburgh.

Neste domingo os dois times se encontram às 16h. Voltando de sua semana de folga, o Steelers defende a primeira colocação da AFC North. O Ravens busca igualar a campanha do rival, e ganhando a partida pode assumir a liderança da divisão.

Quais as cores você defende?

 

Entre Jardas | Futebol Americano BR - 2014