Navegue pela Home do seu time
Ex-recordista do Packers e Hall da Fama morre na Louisiana

Ex-recordista do Packers e Hall da Fama morre na Louisiana

anuncio_new_era_fundo

Um dos maiores jogadores da história do Green Bay Packers e primeiro atleta da geração comandada por Vince Lombardi a chegar no Hall da Fama, morreu na manhã deste sábado (13) em Baton Rouge, Louisiana. Depois de passar mal e ser encaminhado ao hospital, Jim Taylor veio a falecer aos 83 anos. 

Um dos maiores fullbacks da história da NFL e provavelmente o maior da história do Packers, Taylor conseguiu feitos inéditos na liga, como atingir mais de mil jardas terrestres por cinco temporadas seguidas. Atuando em nove temporadas pela equipe de Wisconsin, Jim defendeu a equipe de 1958 a 1966, quando atingiu 8.207 jardas e 91 touchdowns.

Em 1962 ele correu para 1.474 jardas, recorde da franquia que durou por mais de 40 anos, até que Ahman Green bateu em 2003. No mesmo ano ele foi eleito MVP da temporada pela Associated Press, que concedia o prêmio na época. Taylor se orgulhava disso e, em declaração anterior havia citado a importância de seu prêmio para ele. 

“Ser eleito o MVP da liga em 1962 é algo que eu olho para trás e prezo. Eu sinto como se tivesse realizado meu objetivo.”

Cs0MmFfWYAAQDUN

Com o Packers ele venceu o primeiro Super Bowl da história, além de de ser eleito ao Pro Bowl por cinco vezes. Mas não foi só na equipe de Vince Lombardi que ele brilhou. Ex-estrela da LSU, ele – natural da Louisiana – era figura frequente nos jogos de basquete da equipe. Por morar no Sul, ele encerrou sua carreira na NFL em 1967, defendendo o New Orleans Saints em sua primeira temporada.

presidente-executivo do Packers, Mark Murphy soltou um comunicado a respeito do falecimento de Taylor: 

“A família Green Bay Packers ficou muito triste ao saber da morte de Jim Taylor nesta manhã”, disse Murphy. “Ele era um jogador clássico e corajoso nas equipes de Vince Lombardi e uma figura chave dessas grandes conquistas. Um dos melhores corredores de sua época, ele foi muito apreciado por várias gerações de fãs de Packers durante seus muitos retornos para Lambeau Field com seus colegas de equipe. Nossas mais profundas condolências a sua esposa Helen, sua família e amigos.”

O Hall da Fama da NFL também lançou nota de falecimento, através de seu presidente-executivo, David Baker. Taylor foi peça-chave para o Packers Sweep, estilo de jogo que consagrou Vince Lombardi.

“Jim Taylor viveu da mesma maneira que jogou futebol, com paixão, determinação e amor por tudo que fez”, disse Baker. “O espirito de Jim sempre residirá em nosso Hall, no entanto nós sentiremos falta de seu sorriso,  que iluminava a todos.”

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

As maiores surpresas da semana 5:

As maiores surpresas da semana 5:

anuncio_new_era_fundo

Findada mais uma semana, a NFL nos trouxe algumas surpresas. Claro que os favoritos Los Angeles Rams e Kansas City Chiefs superaram seus adversários com maestria. Mas nem todos os favoritos venceram e, agora, contaremos para vocês as três maiores surpresas da quinta semana da temporada regular:

Lions passando por cima do Packers:

Como comentamos aqui, foi um tarde difícil para o kicker do Green Bay Packers. Porém, ninguém esperava uma apatia tão grande do time de Aaron Rodgers no primeiro tempo. O Detroit Lions abriu 21 a 0 no primeiro tempo e – graças a diversas falhas do Packers – conquistou a vitória ali. A recuperação na temporada, que parecia eminente do time de Wisconsin se foi e a equipe começa a flertar com a possibilidade de ficar de fora dos playoffs novamente.

Por outro lado, temos que enaltecer o trabalho de Matt Patricia e Matthew Stafford. A defesa – ponto forte de Patricia no New England Patriots – funcionou e fez a diferença no primeiro tempo. Stafford conseguiu terminar a partida sem nenhuma interceptação (algo raro), com 2 passes para touchdown e um rating de 101 pontos.

Cleveland vencendo o Ravens: 

e79_07brownsjg37 (1)

Nós sabemos que o Cleveland Browns  está infinitamente melhor na defesa, tem jogadores muito interessantes no ataque como Jarvis Landry, Antonio Callaway, David Njoku, Carlos Hyde e Nick Chubb, além claro, de Baker Mayfield. No entanto, o Baltimore Ravens estava jogando muito bem e realmente foi uma surpresa a segunda vitória da equipe de Ohio.

A maneira que foi trouxe ainda mais requintes de crueldade para os fãs dos corvos. Perdeu na prorrogação após duas posses de bola que não conseguiram o levar a linha de field goal. Péssimo resultado para o Ravens e pasmem, o Browns continua invicto dentro de sua divisão.

Cardinals derrotando o Niners no Levi’s Stadium:

Depois da primeira partida de CJ Beathard como titular, quando a equipe perdeu por detalhes para o Los Angeles Chargers fora de casa, o mínimo que se esperava é que o San Francisco 49ers vencesse o Arizona Cardinals. O time do calouro Josh Rosen não havia vencido nenhuma partida. Era a chance do Niners ganhar em casa e trazer esperança ao seu torcedor após a lesão de Jimmy Garoppolo

Que nada. Foi atropelado pelo Cardinals, com direito a uma atuação trágica de Beathard, que além de ser interceptado por duas vezes sofreu dois fumbles, um deles com retorno para touchdown. Jogo até que emocionante, se tratando de duas das piores equipes da NFC.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

 

Crosby tem dia catastrófico e Packers perdem para o Lions

Crosby tem dia catastrófico e Packers perdem para o Lions

Um dos kicker mais escalados nos torneios de Fantasy Football deixou seus “donos” na mão. E não foram só eles, mas todos os fãs do Green Bay Packers. Mason Crosby teve a pior partida de um kicker da NFL desde 1980 e colaborou muito na derrota de sua equipe para o rival Detroit Lions na tarde de hoje.

Foram nada menos que quatro field goals e um extra-point perdidos na derrota por uma diferença de apenas oito pontos (31 a 23). Desesperado, o kicker do Packers chegou a trocar as chuteiras após a terceira falha. Mesmo assim ainda errou mais uma vez antes de acertar o seu último chute na partida, quando faltavam apenas 2 segundos para o final.

Bem, obviamente estou chocado, isso nunca aconteceu comigo”, disse Crosby. Então, vou avaliar isso, mas vou enfrentar como algo que é uma anomalia na minha vida. Eu vou avaliar os detalhes como eu faço toda semana e seguir em frente. Porque isto para mim é algo que eu nunca fiz e espero nunca fazer de novo.”

mason-crosby-rough-day

E isto é uma verdade. Na atual temporada Crosby havia errado apenas uma das onze tentativas de field goal. Coincidentemente foi contra outro rival de divisão, o Minnesota Vikings. Naquela partida o erro do kicker levou a partida ao empate. Em seu 12° ano com a equipe apenas uma vez ele foi preocupação para a equipe, em 2012. Com um aproveitamento de apenas 63% a equipe decidiu mantê-lo. Nas cinco temporadas seguintes seu aproveitamento manteve a média de 85%.

“Acho que ele é um dos maiores kickers de todos os tempos”, disse o quarterback Aaron Rodgers. “Eu sempre disse que ele e Robbie Gould,  são alguns dos melhores atletas que eu vi jogar. Obviamente ele está desapontado. Eu não acho que ele esperava isso. Temos uma tonelada de fé nele. Ele fez isso por um longo tempo, fez alguns grandes chutes para nós ao longo dos anos.”

O que mais chama a atenção é que o Ford Field é um estádio coberto, que favorece totalmente os kickers. Sem ventos, gramado excessivamente molhado ou algo do tipo, Crosby não conseguiu explicar a razão de seu insucesso. Já Mike McCarthy garantiu que o chute no fim do jogo não foi uma “ajuda” para o kicker recuperar sua auto-estima, e sim uma maneira de tentar ganhar o jogo. Mesmo a pontuação não fazendo diferença. 

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

Como estava a classificação das divisões neste mesmo período em 2017?

Como estava a classificação das divisões neste mesmo período em 2017?

anuncio_new_era_fundo

A NFL tem um índice de competitividade incrível. Salvo algumas divisões que estão estagnadas, sempre existe muita disputa pelas vagas na pós-temporada. Então voltamos ao mesmo período que vivemos – semana 4 – um ano atrás, para saber como estavam as equipes que chegaram aos playoffs e, pela tabela, dizer se quem liderou as divisões neste período conseguiu chegar longe.

Confira a classificação das oito divisões após a semana 4 da temporada 2017:

AFC Leste:

As duas equipes que chegaram aos playoffs lideravam a divisão. O Buffalo Bills tinha três vitórias e o New England Patriots duas. O Patriots – para variar – levou a AFC Leste e o Bills conseguiu chegar à pós-temporada. O New York Jets tinha a mesma campanha do Patriots, mas após isso só venceu mais três nas 12 rodadas restantes.

AFC Norte:

O Pittsburgh Steelers vivia fase bem diferente deste ano. Com três vitórias liderava a conferência com folgas. Baltimore Ravens e Cincinnati Bengals tinham vencido apenas uma e o Cleveland Browns nem precisa falar… O Steelers foi o único a chegar a pós-temporada. O Ravens passou perto, porém foi eliminado após uma derrota para o Bengals na última rodada.

AFC Oeste:

O Kansas City Chiefs liderava a divisão de forma invicta (assim como este ano). O Denver Broncos estava em segundo,  também somando três vitórias (Chiefs teve folga na semana 4). O Oakland Raiders, que vinha de uma temporada 13-03 em 2016 estava com duas vitórias em quatro jogos. O Los Angeles Chargers havia perdido as quatro primeiras partidas. Apenas o Chiefs chegou aos playoffs.

AFC Sul:

A divisão mais equilibrada da AFC tinha três equipes com duas vitórias: Jacksonville Jaguars, Tennessee Titans e Houston Texans. O Texans era o favorito da divisão, mas a lesão de Deshaun Watson acabou com os sonhos da franquia. Jaguars e Titans chegaram a pós-temporada e, coincidentemente ambos foram eliminados pelo Patriots.

1024x1024-900x599

NFC Leste:

O Philadelphia Eagles “voava” com Carson Wentz e liderava com três vitórias. Em segundo vinha o Washington Redskins, empatado com o Dallas Cowboys (duas vitórias). Porém o Redskins havia jogado apenas três partidas, diferente da equipe do Texas. O New York Giants caminhava para uma de suas piores campanhas da história (estava 0-4).

NFC Norte:

Detroit Lions e Green Bay Packers lideravam a divisão, com três vitórias cada. O campeão ao final do ano, Minnesota Vikings estava com duas vitórias em quatro jogos. Já o Chicago Bears havia vencido apenas uma partida. Esta foi a primeira temporada em anos que o Packers ficou de fora dos playoffs.

NFC Oeste:

No ano passado o Los Angeles Rams se impôs desde o início do campeonato. Não tinha uma campanha tão boa quanto este ano, mas estava liderando com três vitórias. O Seattle Seahawks e o Arizona Cardinals haviam vencido duas, enquanto o San Francisco 49ers de Brian Hoyer tinha perdido todas.

NFC Sul:

A NFC Sul estava muito equilibrada, com duas equipes com três vitórias e as outras duas com duas vitórias. O interessante é que a última colocada nesta época, o Atlanta Falcons chegou aos playoffs, inclusive passando pelo Wild Card Round. Carolina Panthers  e New Orleans Saints, que lideravam a divisão também passaram, inclusive se enfrentaram na rodada de Wild Card.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

 

Rodgers desmente desavença com Mike McCarthy

Rodgers desmente desavença com Mike McCarthy

Brock oficial

O Green Bay Packer venceu bem o Buffalo Bills por 22 a 0, porém uma declaração de Aaron Rodgers após o jogo deixou em polvorosa a imprensa de Wisconsin. Começaram a surgir especulações de Rodgers não estar satisfeito com as chamadas do ataque, uma vez que ele disse que “o ataque esteve terrível” na partida e que “precisava lançar mais bolas para Davante Adams”.

Na entrevista de ontem, Rodgers foi novamente indagado sobre a situação e, sem “papas na língua”, esclareceu a situação, tentando dar fim aos rumores de um descontentamento dele com as chamadas de campo do treinador Mike McCarthy.

“Mike e eu conversamos o tempo todo, temos um ótimo relacionamento”, disse Rodgers “Sempre houve uma grande comunicação entre nós, mesmo quando precisamos falar sobre assuntos difíceis, nunca tivemos problemas para encontrar tempo e conversar. É assim que tem sido por mais de 10 anos. Acho que você está tirando algumas palavras do contexto certo. Eu estava falando que preciso jogar mais a bola para Davante (Adams), e não criticando as chamadas.”

Rodgers laçou para 298 jardas na partida, mesmo assim ele havia reclamado da eficiência do ataque, principalmente na red zone. A equipe pontuou três vezes com field goal após falhas dos recebedores, então o motivo da reclamação foi este. Rodgers quer vencer, mas não se satisfaz com apenas um passe para touchdown no jogo. E ele também falou sobre isso.

CT5Sf1jUsAA834F

“Temos que encontrar maneiras de ser mais eficientes no ataque. Embora, como eu disse na tarde de domingo, os números possam ter parecido bons (423 jardas totais), a execução não estava boa. Eu sempre vou exigir deste ataque um padrão mais alto. Eu tenho que jogar melhor e nós temos que jogar melhor, porque o que fizemos na semana foi inaceitável. Colocamos a bola no chão muitas vezes, sofremos uma interceptação. Temos que jogar melhor.”

McCarthy também pôs “panos quentes” nas palavras de Rodgers após a partida contra o Bills. Depois de vencer por 22 a 0 a equipe da AFC Leste, o que menos o treinador quer é polêmica, principalmente quando envole seu quarterback que acaba de assinar uma extensão de contrato milionária.

Eu tenho bons relacionamentos, relacionamentos adequados, com todos os nossos jogadores”, disse ele. “Aaron e eu passamos muitos anos juntos, então me sinto bem com o nosso relacionamento. Conversamos sempre e estou aberto a ouvir o que Rodgers tem a dizer, sempre.”

O próximo desafio do Green Bay Packers é no domingo, no Ford Field contra o rival Detroit Lions. A equipe de Matthew Stafford e Matt Patricia precisa da vitória para não deixar os rivais se afastarem e, depois de vencer o New England Patriots em casa e fazer um ótimo jogo contra o Dallas Cowboys, será um grande adversário. Mais um teste para o Packers e o ataque de Aaron Rodgers.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

NFC: Trubisky, Elliott e Packers brilham nas primeiras partidas do domingo

NFC: Trubisky, Elliott e Packers brilham nas primeiras partidas do domingo

Brock oficial

Se encerraram as partidas do primeiro horário da NFL este domingo e as equipes da NFC venceram três jogos. Entre eles vários destaques, o maior de todos Mitchell Trubisky, que finalmente desencantou e deu 6 passes para touchdown.

Trubisky brilha em vitória do Bears:

 

Por mais incrível que possa aparecer, já existiam alguns torcedores do Bears reclamando do quarterback escolhido no Draft do ano passado. Ele não estava se acertando, mas hoje lavou a alma contra o Tampa Bay Buccaneers. Foram seis passes para touchdown para cinco recebedores diferentes. Trey Burton, Allen Robinson, Tarik Cohen, Joshua Bellamy e Taylor Gabriel foram os pontuadores, além do kicker Cody Parkey, que acertou um field goal de 50 jardas e outro de 46 jardas.

A defesa do Bears também foi dominante, conseguindo 2 interceptações, 4 sacks e 6 tackles for loss. Com Ryan Fitzpatrick como titular no primeiro tempo e Jameis Winston no segundo tempo, a defesa dominou o bom ataque do Bucs, cedendo apenas 10 pontos. O placar final foi de 48 a 10. 

usa_today_11352389.0

Defesa forte dá vitória ao Packers: 

Em um jogo não tão bonito o Green Bay Packers venceu o Buffalo Bills, do calouro Josh Allen. Aaron Rodgers foi econômico em seu jogo, passando para pouco mais de 270 jardas e um touchdown e uma interceptação. A defesa, ao contrário foi muito bem, interceptando por duas vezes o jovem Allen. Os destaques ofensivos foram Davante Adams com 81 jardas de recepção e Aaron Jones, com 65 jardas em 11 corridas. O placar final foi de 22 a 0 para o Packers.

Prescott e Elliott brilham e Cowboys vence:

Com dois passes para touchdown e um rating de 118 pontos, Dak Prescott brilhou no fim da partida e garantiu a vitória do Dallas Cowboys. Depois de estar perdendo para o Detroit Lions até os segundos finais, o quarterback conseguiu em nove jogadas colocar seu kicker na posição de acertar um field goal de 38 jardas.

Prescott acertou 17 dos 27 passes para 255 jardas e 2 touchdowns. Ezekiel Elliott foi sensacional correndo para 152 jardas em 25 tentativas. Na defesa Demarcus Lawrence foi o grande destaque, aplicando três sacks em Matthew Stafford. O placar final foi de 26 a 24.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

 

 

 

 

 

 

Atleta do Vikings perdeu ponta do dedo contra o Rams

Atleta do Vikings perdeu ponta do dedo contra o Rams

MKC

Olha que loucura. Na partida da última quinta-feira o long snapper do Minnesota Vikings perdeu a ponta do dedo mínimo após uma jogada no início do segundo tempo. E o mais incrível, ele retornou a partida.

Estamos falando de Kevin McDermott, atleta que completa sua sexta temporada na NFL. Long Snapper – para quem está começando a acompanhar o futebol americano agora – é o atleta responsável pelo snap mais logo, quando é tentado o punt ou o field goal. No caso de McDermott a lesão aconteceu em uma tentativa de field goal de 37 jardas por Dan Bailey.

Sem título

Que noticiou o caso foi a insider Courtney Cronin, da ESPN Americana. Segundo ela uma fonte da equipe relatou o fato, contando que o dedo do atleta ficou preso na grade do capacete de um adversário, causando a perda de uma falange do dedo mínimo, o popular “mindinho”.

McDermott foi atendido na lateral de campo e voltou a partida. Na última sexta-feira (28) ele fez uma cirurgia para reparar o “estrago”, porém nem a fonte ou a insider relataram se o pedaço do dedo foi reimplantado ou ele ficará sem a parte perdida.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

Quem foram as surpresas da semana 3?

Quem foram as surpresas da semana 3?

MKC

Esta semana de NFL foi realmente especial. Teve equipe se redimindo, atletas jogando pela primeira vez na liga e muito mais. Confira quem foram as principais surpresas da semana 3:

Baker Mayfield: 

A primeira escolha geral do Draft 2018 ainda não havia estreado na liga, mas após uma concussão de Tyrod Taylor ele entrou em campo perdendo por 17 a 0. O resultado foi uma virada histórica tirando o Cleveland Browns de uma fila de 635 dias sem vencer. Depois desta partida, não teve como Hue Jackson manter Taylor como titular, mesmo ele não jogando mal nos dois primeiros jogos. Mayfield surpreendeu positivamente.

Bills amassando o Vikings fora de casa:

Josh Allen fez sua primeira partida como titular fora de casa e foi o grande responsável pela vitória “acachapante” do Buffalo Bills sobre o Minnesota Vikings. Na verdade não é justo dar o protagonismo ao quarterback, mesmo ele sendo o grande responsável pelos três touchdowns da equipe (um passe e dois correndo). A defesa foi espetacular, anulando Kirk Cousins e seu ataque poderoso. Se o placar de 27 a 6 para o Bills não foi uma surpresa, você é uma pessoa difícil de surpreender.

allen1-1200x800

Adrian Peterson:

Se você chegar aos 33 anos com a saúde de Adrian Peterson, tem muito a comemorar. O corredor do Washington Redskins fez uma partida sensacional na vitória por 31 a 17 contra o Green Bay Packers. Com 120 jardas correndo, sendo uma média de 6,3 jardas por tentativa e 2 touchdowns, não dá para acreditar que ele só foi contratado na última semana da pré-temporada. Que surpresa boa para os fãs do Redskins.

Steve Wilks colocando Josh Rosen e perdendo a partida:

Sam Bradford não vinha bem, sem dar nenhum passe para touchdown nas duas primeiras partidas. Mas estava enfrentando a defesa do Chicago Bears e havia dado dois passes para touchdown no primeiro tempo. Ele sofreu duas interceptações no segundo tempo, mas equipe vencia até os seis minutos finais, quando um field goal deu uma vantagem de dois pontos ao time de Mitchell Trubisky. Aí foi a vez do treinador Steve Wilks ter uma atitude para lá de surpreendente. 

O Cardinals estava com 5 minutos para virar o jogo, Bradford em campo na linha de 22 jardas do ataque. A linha ofensiva fez uma leitura errada de Khalil Mack e Danny Trevathan, que chegaram em Bradford forçando o fumble. Até aí tudo bem, afinal, você está jogando contra uma das – senão a – melhor defesa da liga. Eis que na próxima posse do Cardinals, ainda com chance de um field goal para vencer, o treinador sacou Bradford e colocou o calouro Josh Rosen para fazer sua estreia. Isso mesmo, no fim do jogo para conquistar a vitória.

gettyimages-1038817990-e1537744829937

Claro que não deu certo, com Rosen sofrendo sua primeira interceptação na NFL. A equipe ainda recebeu a bola faltando pouco menos de dois minutos, mas novamente com Rosen em campo aconteceu outra interceptação, com retorno para touchdown. A jogada foi anulada por uma segurada da defesa, mas a chamada esquisita do novo treinador do Cardinals surpreendeu negativamente.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

 

Incrivelmente insano!

Incrivelmente insano!

 

MKC

A partida de hoje entre Green Bay Packers e Minnesota Vikings foi incrível, mas ao mesmo empo foi insana. Com a partida parecendo estar decidida durante alguns momentos, erros dos kickers decretaram o empate com sabor de derrota para ambos.

O início foi bom para o Packers, que conseguiu um touchdown após belo bloqueio de punt. Mas após o empate do Minnesota Vikings, Aaron Rodgers apareceu e conseguiu levar a equipe a um touchdown e um field goal antes que o primeiro tempo acabasse.

A vantagem do Packers ainda aumentou, novamente com Mason Crosby. Mas depois o que se viu foi uma recuperação estupenda do time de Kirk Cousins, que chegou a diminuir para 23 a 21 o placar da partida.

Aí o jogo começou a ficar insano. O Packers conseguiu mais um field goal com Crosby, que diferente de Daniel Carlson não havia errado nenhum field goal na partida. O time de Minessota tinha três minutos no relógio e precisava descontar a diferença de cinco pontos do adversário.

Em uma bola “dropada”, Ha Ha Clinton-Dix interceptou Kirk Cousins e tudo indicava a vitória do time de Wisconsin. No entanto, após a defesa do Vikings parar Aaron Rodgers (mais um field goal de Crosby), sobrou para o quarterback do Vikings apenas 1’30″ no relógio para tentar um touchdown e uma conversão de dois pontos.

613b00-20180916-kicker02

Foram três passes e no quarto, mesmo levando um hit do defensor, Cousins conseguiu um lindo passe para Adam Thielen. Touchdown e o time de Minnesota estava a apenas uma conversão de empatar uma partida que há pouco estava ganha pelo Packers. Novamente foi um sucesso o passe de Cousins, desta feita para Stephon Diggs. Com 31 segundos no relógio era a vez de Rodgers mostrar o quão é clutch. E magicamente ele conseguiu, colocando a equipe em posição de chutar um field goal.

O cronômetro zerando e Crosby foi para a bola, porém enquanto ele corria foi pedido o último tempo do Vikings. Ele acertou, mas não valeu. Foi feito novamenhre o snap de field goal  e desta vez o kicker do Packers errou. O jogo estava indo para a prorrogação.

Antes de falar da prorrogação é importante relatar a primeira chance de field goal de Daniel Carlson, de pouco mais de 40 jardas. Ele deu um chute tão bisonho, que a bola passou a dez jardas do “Y”, isto ainda no primeiro tempo. Enfim, por duas vezes ele teve a chance de vencer o jogo na prorrogação. A primeira foi tão bisonha quanto a do tempo regulamentar, mas a segunda, com Kirk Cousins caprichando para colocá-lo o mais perto possível da linha de gol foi ainda pior.

Carlson errou três field goals na partida e sua equipe teve que amargar o empate. Foi um jogaço, mas o Vikings perdeu a grande chance de vencer o Packers fora de seus domínios.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

Qual dos sete treinadores estreantes vai finalmente vencer na liga?

Qual dos sete treinadores estreantes vai finalmente vencer na liga?

Brock oficial

Ao fim da temporada passada sete treinadores perderam seus empregos, obviamente outros sete estrearam na NFL. Mesmo Jon Gruden, que já havia passado com sucesso pela liga pode ser considerado um estreante, e o pior, se olharmos para todas as partidas destas equipes não encontramos nenhuma vitória.

O Oakland Raiders de Gruden e o Chicago Bears de Matt Nagy até deram boa impressão no primeiro tempo de suas partidas, mas se mostraram despreparados para as mudanças que o s treinadores adversários fizeram no intervalo. Mike Vabrel do Tennessee Titans, Pat Schurmur do New York Giants e Frank Reich do Indianapolis Colts conseguiram fazer partidas regulares, mas não o suficiente para vencerem.

Matt Patricia do Detroit Lions e Steve Wilks do Arizona Cardinals passaram vergonha, perdendo sem chace de reação em nenhuma parte do jogo. Estes dois vão ter que começar a trabalhar outros pontos se quiserem ter um score positivo nesta temporada.

Mas o que está faltando para estes treinadores chegarem a primeira vitória?

Oakland Raiders: Jon Gruden já declarou que “é muito difícil acertar todos os erros do Monday Night Football em uma semana”. Encararam um time top contender (Los Angeles Rams), mas agora enfrentam o Denver Broncos e a tarefa não será fácil. Jordy Nelson e Jared Cook não serão suficientes, Amari Cooper precisa começar a receber a bola. Na partida contra o Ram foram apenas três passes em sua direção e 9 jardas, número absurdamente pequeno perto do que ele já fez na equipe. Além disso, enfrenta uma defesa que tem Von Miller pressionando e a No Fly Zone. Então será muito difícil a vida de Gruden neste fim de semana.

Arizona Cardinals: Assim como Gruden, Wilks tem uma grande chance de acumular sua segunda derrota seguida. Sua defesa foi patética no jogo terrestre contra o Redskins (leia-se Adrian Peterson, 33 anos). Agora vai enfrentar Todd Gurley, um dos melhores corredores da liga. Além disso, seu ataque enfrentará uma defesa fortíssima, tanto na pressão ao quarterback quanto na linha secundária.  Muito difícil de sair vitorioso.

Matt-Patricia-Photo

Matt Patricia teve a pior estreia de todos os sete treinadores.

Indianapolis Colts:  Frank Reich precisa melhorar o jogo corrido e principalmente sua defesa. Andrew Luck surpreendeu em sua volta e a equipe jogou para 380 jardas. Mas a defesa não tem muta eficácia contra o jogo terrestre – Joe Mixon jogou para mais de 100 jardas – e o Washington Redskins é muito bom neste aspecto. Vai depender muito de como Reich vai armar sua defesa e principalmente de um Luck inspirado para conseguir vencer.

Tennessee Titans: Mike Vabrel tem chances de vencer a primeira com a equipe, mas para isso vai ter que melhorar sua pressão ao pocket adversário. Com sua melhor opção lesionada, terá que “inventar” algumas blitz para que Deshaun Watson não consiga jogar. A fórmula é assistir o que o New England Patriots fez e tentar copiar, principalmente na linha secundária, não deixando e trabalhando na especialidade de Watson: rotas em profundidade.

Detroit Lions: Se Matt Patricia vencer o San Francisco 49ers  fora de casa, o treinador novato pode se consagrar. Além de estar com um time em desenvolvimento, sem seu melhor defensor e com o quarterback “baleado”, enfrenta um quarterback que sabe tudo o que sua defesa é capaz de fazer. Jimmy Garoppolo reencontra Patricia e leva muita vantagem. Se um quarterback estreante já comandou um ataque que marcou 48 pontos em você, imagine um que treinou por quatro anos ao seu lado?

New York Giants: Agora chegamos aos treinadores que podem vencer sua primeira partida na temporada. Pat Shurmur mostrou um jogo inteligente, que mesmo não funcionando na parte terrestre no início começou a encaixar. No ataque aéreo também se mostrou eficiente, com uma tática inteligente de abrir dois recebedores e trabalhar com Odell Beckham Jr circulando pelo campo. Se contra uma das melhores defesas da NFL funcionou, não tem porque não funcionar contra a defesa do Dallas Cowboys. Pesa negativamente os desfalques na defesa.

Chicago Bears: O time tem muita chance de dar a vitória a Matt Naggy. Sua equipe foi bem ofensivamente e defensivamente foi espetacular, mesmo jogando em Wisconsin contra o bom Green Bay Packers. Não conseguiu a vitória porque Aaron Rodgers é de outro planeta, mas deve vencer o Seattle Seahawks. Ainda tem a vantagem de poder contar com Khalil Mack e Roquan Smith mais entrosados com a defesa de Vic Fangio

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

 

 

Rodgers joga domingo?

Rodgers joga domingo?

Brock oficial

Mais um dia se passou e Aaron Rodgers foi poupados dos treinos do Green Bay Packers. O quarterback que sofreu uma lesão no joelho no último domingo, ainda não declarou se irá ou não jogar, mas algumas pistas dão a entender que ele estará em campo.

A primeira é sobre a contusão. Segundo Rodgers, ele não tomou nenhum medicamento para voltar a campo após o entorse no joelho. Ele contou em entrevista na tarde de hoje que o médico da equipe, Dr. Pat McKenzie garantiu que a lesão não aumentaria e o que o moveu a voltar a partida foi a “adrenalina e a vontade de vencer”

Mas Rodgers não entrou em detalhes de sua contusão, nem ao menos falou qual ligamento foi afetado. Isso pode ser algo para ser utilizado contra o forte adversário, Minnesota Vikings. Fazê-los se preparar para dois quarterbacks é uma boa estratégia para a equipe de Wisconsin.  Rodgers também comentou sobre as dores que vem sentindo nos últimos dias, deixando claro que pode ir à campo medicado.

“Eu não sou um grande fã de qualquer tipo de opioide ou remédio para dor”, contou Rodgers. “Mas sim, obviamente você quer estar em campo. Eu não fui muito móvel lá no segundo tempo. Infelizmente, algumas vezes na minha carreira tive que tomar remédios, espero não precisar e poder estar lá no domingo.”

Aaron-Rodgers-1016424

Outra pista sobre a grande chance de Rodgers estar em campo foi quando o quarterback falou a respeito de seu reserva, DeShone Kizer. Perguntado sobre seu nível de confiança em Kizer caso não jogue, ele respondeu: “Nem pensei nisso”. Kizer teve um início até interessante após a saída de Rodgers, completando alguns passes. Mas em dois lances foi trágico, ambos com Khalil Mack. No primeiro o defensor do Chicago Bears literalmente arrancou a bola de suas mãos. No outro foi interceptado com retorno para touchdown.

Mike Zimmer, treinador do Vikings também não acredita na hipótese de Rodgers ficar de fora deste duelo. Porém, disse que a equipe vai estudar outras formas de atuar analisando a movimentação do quarterback rival, mais móvel ou saindo do pocket.

“Ele anda sobre as águas, então tenho certeza de que ele vai jogar”, disse o técnico do Vikings. “Mas tudo é  muito hipotético até agora. Nossa grande jogada é nos preparar para cada cenário. Se ele não se mover tão bem, vamos tentar pressioná-lo e e se ele estiver se movendo para fora (do pocket), então teremos que nos adaptar em algumas outras partes do campo.”

Com duas equipes muito interessantes, o duelo entre Minnesota Vikings e Green Bay Packers  promete muito. E para a alegria de nós fãs do futebol americano, ele será transmitido pela ESPN no domingo a tarde.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

NFC: Cinco destaques da semana 1

NFC: Cinco destaques da semana 1

MKC

A primeira semana de jogos da NFL terminou na madrugada de hoje (11) e trouxe algumas vitórias importantes para as equipes da Conferência Nacional. Tivemos jogos com pontuações superiores a 85 pontos, com atletas se destacaram individualmente. Agumas equipes também chamaram muito a atenção. Confira os cinco maiores destaques da semana 1 da NFC:

Aaron Rodgers e o comeback sensacional:

Já é sensacional um quarterback comandar uma virada de placar quando está perdendo por 20 pontos, no entanto não foi apenas este o feito de Rodgers. Sofrendo um sack no primeiro tempo, o atleta do Green Bay Packers  saiu de campo para ser examinado no joelho, sendo diagnosticado com um possível entorse.

Voltou com uma tala no local e comandou a virada histórica frente ao Chicago Bears, com três passes para touchdown e um rating de 127,5 pontos no segundo tempo. Rodgers não conseguia virar totalmente o quadril, movimento que dá mais força e direção ao passe, mas mesmo assim deu passes sensacionais, como o do touchdown de Geronimo Allison.

Ryan em dia de “Fitzmagic”:

fitz

Fitzpatrick é marcado em sua carreira por jogos sensacionais. Claro que ele também tem marcas negativas, mas contra o New Orleans Saints o quarterback que está substituindo Jameis Winston jogou demais. Foram 417 jardas, 4 passes para touchdown, 47 jardas correndo, um touchdown terrestre e um rating que ultrapassou os 150 pontos.

Fitz foi o diferencial da equipe na vitória por 48 a 40 do Tampa Bay Buccaneers, em pleno Mercedez-Benz Superdome. Com certeza foi um dos grandes destaques da NFC nesta semana de abertura. E para quem tinha ele no elenco e escalou no Fantasy, parabéns, porque o quarterback marcou nada menos que 50 pontos!

Kirk Cousins e Minnesota Vikings:

Cousins parece estar há anos defendendo o Minnesota Vikings, tamanho entrosamento que demonstrou com a equipe. Junto de sua linha ofensiva e principalmente com um ataque que conta com Kyle Rudolph, Adam Thielen, Sthepon Diggs e Dalvin Cook, ele jogou extraordinariamente bem. Cousins está valendo cada centavo pago pelo Vikings.

Brock oficial

Mas não dá para creditar o destaque apenas a ele e seu ataque, afinal, a defesa interceptou por três vezes o até então invicto na NFL Jimmy Garoppolo. Uma delas foi com Mike Hughes, que retornou para touchdown. As outras foram de Harrison Smith e Xavier Rhodes. Além disso, a defesa do Vikings forçou um fumble na linha de 1 jarda do campo de defesa em cima de Alfred Morris, quando ele se encaminhava para marcar um touchdown.

Adrian Peterson: 

O Washington Redskins mostrou um excelente futebol na estreia, Alex Smith foi seguro como sempre, a defesa funcionou e o jogo corrido foi o destaque. E entre estes destaques do jogo terrestre não podemos deixar de mencionar Adrian Peterson, veterano de 33 anos que recebeu a oportunidade de Jay Gruden e aproveitou. Foram 166 jardas totais, sendo 90 correndo e ainda um touchdown.

Peterson havia recebido uma oportunidade no Cardinals ano passado, mas mesmo tendo algumas atuações muito boas foi dispensado no início do ano. Parece que o corredor luta contra as estatísticas, que apontam que um jogador na sua idade e posição não consegue ter sucesso na NFL. Que repita sempre este grande jogo de estreia.

Los Angeles Rams: 

todd_gurley

Que time bem montado é o Rams. Após uma era trágica com Jeff Fischer, a equipe encontrou seu caminho. Após vencer a NFC Oeste ano passado parece ser a favorita este ano. Uma vitória com autoridade em cima do Oakland Raiders na noite de ontem mostrou o quão a equipe é completa em todos os aspectos.

Teve field goal de 55 jardas, dois touchdowns passados por Jared Goff e uma partida espetacular de Todd Gurley, que é sem sombra de dúvida o grande nome da NFL na posição. Foram 108 jardas com uma ótima média de 5,4 jardas por corrida, sendo que 2,3 delas foram após o primeiro contato.

E o que falar de uma defesa que pressionou Derek Carr a partida inteira, aplicando três sacks e conseguindo três interceptações, além de limitar o jogo terrestre do Raiders a apenas 96 jardas. Aaron Donald não está sozinho, já que Core Littleton, John Johnson, Aqib Talib e Marcus Peters foram os grandes destaques da noite de ontem. É sem sombra de dúvidas um top contender ao Super Bowl LIII.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

 

Jets leu “legalmente” as chamadas de Stafford?

Jets leu “legalmente” as chamadas de Stafford?

Brock oficial

Ser interceptado por quatro vezes na mesma partida não é algo normal, principalmente quando você é um quarterack “top 10″ da NFL. Mas aconteceu na noite de ontem na partida entre o Detroit Lions  e New York Jets, quando Matthew Stafford sofreu contra a defesa da Gang Green.

Quando a partida começou o esperado era que a partida se tornasse fácil para o Lions, uma vez que o estreante Sam Darold lançou uma pick six em seu primeiro passe na NFL. Mas não foi isso que aconteceu, uma vez que dois drives depois foi a vez de Stafford ser interceptado pela primeira vez.

Em novo ataque da equipe, Satfford foi interceptado novamente, só que foi “salvo” por seu recebedor, Kenny Golladay, que conseguiu com um belo tackle forçar o fumble em Trumaine Johnson e ainda recuperar a bola. Além disso, Stafford sofreu uma pancada de seu guard e “baleado” comandou o ataque da equipe sem muita eficácia.

No segundo tempo Stafford parecia que iria se recuperar, quando deu belo passe para Golden Tate empatar a partida. Mas os bons momentos de Stafford no Ford Stadium se resumiram a isso, pois nas duas posses seguintes acabou sendo interceptado, inclusive com uma delas sendo retornada para touchdown por Darron Lee.

No último quarto Stafford deixou o campo sentindo uma lesão no ombro, dando lugar a Matt Cassell, que também foi interceptado. O placar final foi de 48 a 17 para o Jets.

Leitura das chamadas: 

O que chamou a atenção da imprensa foi a entrevista do linebacker Darron Lee após a partida. Com duas interceptações, a primeira escolha do Draft 2016 disse que “a equipe sabia as jogadas que o ataque do Lions iriam fazer”, dando margem para especulação da imprensa, uma vez que há algum tempo New England Patriots e Indianapolis Colts foram acusados desta prática.

7c386b425cdb442fa8f8559165788865

“Estude. Todos estudaram”, respondeu Lee quando perguntado em tom de desconfiança pela imprensa, de como a equipe sabia os sinais do ataque adversário. “Nós conhecemos seus sinais, nós sabíamos de tudo. É nossa preparação como defesa. Parecia que estávamos em sua cabeça (Stafford) a cada jogada. Esta foi a melhor semana de estudo de filmes que eu consigo se lembrar.”

O Spygate ficou famoso quando Bill Belichick e o Patriots começaram a filmar de ângulos proibidos as chamadas dos coordenadores e relacioná-las as jogadas em campo. O incidente aconteceu em 2007, coincidentemente em um início de temporada quando o Patriots filmou de sua linha lateral as chamadas do New York Jets. A  NFL permite que estas chamadas sejam filmadas, porém existe um local específico para isso.

A multa aplicada por este incidente foi de U$ 500.00,00 ao treinador Bill Belichick, uma das maiores já aplicadas a um atleta/treinador na história do esporte. Além disso, o Patriots perdeu sua primeira escolha no Draft 2008. Outro caso “semelhante” aconteceu com o Colts, que foi acusado pelo Hall da Fama Deion Sanders de “roubar” sinais da linha adversária quando Tony Dungy era o treinador.

O hoje comentarista da NFL Network disse que a equipe tinha um “cara” que passava todas as jogadas do ataque adversário. Dougy em sua defesa disse que é comum alguns jogadores estudarem mais e olharem para o lado para saber as formações passadas pelo coordenador adversário, mas nega ter cometido uma prática ilegal.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

 

Rodgers lesionado comanda virada sensacional

Rodgers lesionado comanda virada sensacional

MKC

O que falar de um quarterback que sai de campo no início do segundo quarto com uma suspeita de lesão nos ligamentos do joelho, volta do vestiário com uma tala para poder “tentar”se movimentar e consegue comandar sua equipe em uma virada sensacional dando três passes para touchdown, o último com apenas dois minutos no relógio.

Não tem o que falar, só admirar e aplaudir.

Aaron Rodgers fez tudo isso e mais um pouco na virada sensacional – a maior de sua carreira – contra o Chicago Bears na noite de ontem no Lambeau Field. Mesmo enfrentando uma defesa com atuação espetacular no primeiro tempo, com direito a uma apresentação de gala de Khalil Mack, Rodgers encantou a todos e novamente e acendeu a discussão de quem é o melhor quarterback da liga.

No primeiro tempo o Chicago Bears teve uma atuação de gala, com Khalil Mack e sua nova defesa em atuação espetacular. Quando Rodgers estava em campo ele conseguiu completar apenas 3 dos 7 passes para míseras 13 jardas, sofrendo dois sacks, sendo que o segundo lhe tirou da partida.

Com a entrada de DesHone Kizer o Bears aumentou o ritmo e algumas jogadas foram simbólicas. Primeiro Mack rompeu a linha ofensiva dos donos da casa e literalmente arrancou a bola de Kizer, em uma jogada que foi um sack + fumble forçado + fumble recuperado. Algumas jogadas depois ele sacramentava o 17 a 0 no primeiro tempo interceptando Kizer e retornando para touchdown.

Depois de examinado no vestiário, foi a vez do show de Rodgers, que visivelmente estava sem mobilidade e sentindo dores no joelho e mesmo assim voltou a campo no terceiro quarto. Mas isso não foi problema para o quarterback, que após colocar a equipe em posição de field goal (convertido) deu um passe maravilhoso de 42 jardas para Geronimo Allisson. No placar a diferença era de 10 pontos, 23 segundos antes de se iniciar o último quarto. poiwhfioqhr´ç

O Bears começava a sentir a pressão e depois de um “3 and out” viu Rodgers comandar mais um drive que acabaria em touchdown, desta vez em passe de 12 jardas para Davante Adams. Com apenas 2’39″ no relógio, a equipe de Chicago conseguiu aumentar a diferença para 6 pontos, mas para um quarterback fantástico como Rodgers, 2 minuto é muito tempo.

Depois de um passe ruim, Rodgers encontrou Randall Cobb para “rasgar” a defesa adversária e correr para 75 jardas, marcando um touchdown inacreditável que virava uma partida de 20 a 0 para 24 a 23. O Lambeau Field veio à baixo para reverenciar o mito, que mesmo com uma perna parcialmente imobilizada conseguia sua maior virada de placar da carreira.

Ironizando seu novo contrato, que o tornou o jogador mais bem pago da história da liga, o quarterback que jogou para 273 jardas, 3 touchdowns e um aproveitamento de 74% dos passes após voltar a campo lesionado, disparou:

“Bem, é para isso que somos pagos”, disse Rodgers. “Somos pagos para lidar com lesões e mesmo assim jogar. Isso é o que todo mundo está fazendo e fará ao longo desta temporada. Essa é a fórmula para meus companheiros de equipe, é o que você está disposto a fazer para sua equipe. Estar em campo é especial. A ovação da multidão te levanta, dá a energia, o ímpeto de o jogo e você sente a maré virando. É especial. Essa definitivamente vai ser uma das minhas lembranças favoritas, especialmente por ser em cima de um rival.”

Rodgers deve passar por exames mais aprofundados para saber a gravidade de sua lesão  no joelho, porém pela vontade que demonstrou ontem será difícil ele ficar de fora da próxima partida da equipe, novamente em casa e contra outro rival de divisão, o Minnesota Vikings.

Quer comprar produtos originais da NFL? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

NFC: Quem são os titulares da sua equipe?

NFC: Quem são os titulares da sua equipe?

TEST3

Assim como colocamos todos os titulares e a rotação das equipes da AFC (leia aqui), também vamos lhe passar os titulares da semana 1 de todas as equipes da NFC. No caso não colocaremos os atletas das equipes que já jogaram (Philadelphia Eagles e Atlanta Falcons).

New York Giants:

Ataque: Sterling Shepard e Odell Beckham, Jr. (WR); Nate Solder, Will Hernandez, Jon Halapio, Patrick Omameh  e Ereck Flowers (OL); Evan Engram e Rhett Ellison (TE); Saquon Barkley (RB) e Eli Manning (QB). Rotação: Cody Latimer, Russell Shepard e Wayne Gallman.

Desfesa: B.J. Hill, Damon Harrison e Dalvin Tomlinson (DL); Kareem Martin, B.J. Goodson, Alec Ogletree e Olivier Vernon (LB);  Eli Apple e Janoris Jenkins (CB); Landon Collins e Curtis Riley  (CB). Oliver Vernon é questionável para a partida de hoje.

Special Team: Riley Dixon (P/H); Aldrick Rosas (K); Zak DeOssie (LS); Cody Latimer, Kaelin Clay e Odell Beckham, Jr (PR/KR).

Washignton Redskins:

Ataque: Josh Doctson, Jamison Crowder e Paul Richardson Jr (WR); Trent Williams, Shawn Lauvao, Chase Roullier , Brandon Scherff e Morgan Moses (OL); Jordan Reed (TE); Adrian Peterson (RB) e Alex Smith (QB). Rotação: Chris Thompson, Maurice Harris e Vernon Davis.

Defesa: Jonathan Allen, Daron Payne, Matt Ioannidis e Preston Smith (DL); Zach Brown, Mason Foster e Ryan Kerrigan (LB); Quinton Dunbar e Josh Norman (CB); Montae Nicholson e D.J. Swearinger Sr (S).

Special Team: Tress Way (P/H); Dustin Hopkins (K); Nick Sundberg (LS); Danny Johnson, Jamison Crowder e Greg Stroman (PR/KR).

Dallas Cowboys:

Ataque: Allen Hurns, Terrance Williams e Cole Beasley (WR); Tyron Smith, Connor Williams, Joe Looney, Zack Martin e La’el Collins (OL); Geoff Swaim (TE); Jamize Olawale (FB). Ezekiel Elliott (RB) e Dak Prescott (QB). Rotação: Tavon Austin, Rod Smith e Deonte Thompson.

Defesa: Demarcus Lawrence, Maliek Collins, Antwaun Woods e Tyrone Crawford (DL); Damien Wilson, Jaylon Smith e Sean Lee (LB); Chidobe Awuzie e Byron Jones (CB); Jeff Heath e Xavier Woods (S).

Special Team: Chris Jones (P/H); Brett Maher (K); LP Ladouceur (LS); Deonte Thompson e Jourdan Lewis (KR); Tavon Austin e Cole Beasley (PR).

Los Angeles Rams:

Ataque: Brandin Cooks, Robert Woods e Cooper Kupp (WR); Andrew Whitworth; Rodger Saffold, John Sullivan, Austin Blythe e Rob Havenstein (OL); Tyler Higbee (TE); Todd Gurley (RB) e Jared Goff (QB). Rotação: Mike Thomas, Malcolm Brown e Josh Reynolds.

Defesa: Michael Brockers, Ndamukong Suh e Aaron Donald ((DL); Matt Longacre, Samson Ebukam, Cory Littleton e Mark Barron (LB);  Marcus Peters e Aqib Talib (CB); John Johnson III e Lamarcus Joyner (S). Marrk Barron é questionável para esta partida.

Special Team: Greg Zuerlein (K); Johnny Hekker (P); Jake McQuaide (LS); Pharoh Cooper, Cooper Kupp e Michael Thomas (PR/KR).

San Francisco 49ers:

Ataque: Pierre Garçon e Marquise Goodwin (WR); Joe Staley, Laken Tomlinson, Weston Richburg, Mike Person e Mike McGlinchey  (OL);  Garrett Celek (TE); Kyle Juszczyk (FB); Matt Breida (RB) e Jimmy Garoppolo (QB). Rotação: Alfred Morris, Dante Pettis e Trent Taylor.

Defesa: Solomon Thomas, Earl Mitchell, DeForest Buckner e Arik Armstead (DL); Mark Nzeocha, Fred Warner e Malcolm Smith (LB); Richard Sherman e Ahkello Witherspoon (CB); Adrian Colbert e Jaquiski Tartt (S).

Special Team: Bradley Pinion (P); Robbie Gould (K); Kyle Nelson (LS); Trent Taylor, Matt Breida e D.J. Reed Jr (KR/PR).

Traktor EJ (2)

Seattle Seahawks:

Ataque: Doug Baldwin e Tyler Lockett (WR); Duane Brown, Ethan Pocic, Justin Britt, DJ Fluker e Germain Ifedi (OL); Nick Vannett (TE); Tre Madden (FB); Chris Carson (RB) e Russell Wilson (QB). Rotação: Rashaad Penny, Brandon Marshall e Jaron Brown.

Defesa: Quinton Jefferson, Jarran Reed, Tom Johnson e Frank Clark (DL); Barkevious Mingo, Bobby Wagner e Shaquem Griffin (LB); Shaquill Griffin e Dontae Johnson (CB); Bradley McDougald e Tedric Thompson/Earl Thomas (S).

Special Team: Sebastian Janikowski (K); Michael Dickson (P/H); Tyler Ott (LS); Tyler Lockett, David Moore e Rashaad Penny (KR/PR).

Arizona Cardinals:

Ataque: Larry Fitzgerald e Chad Williams (WR); Andre Smith, Justin Pugh, Mason Cole, Mike Iupati e DJ Humphries (OL); Ricky Seals-Jones (TE); Derrick Coleman (FB); David Johnson (RB) e Sam Bradford (QB). Rotação: Chase Edmonds, Christian Kirk e JJ Nelson.

Defesa: Markus Golden, Corey Peters, Robert Nkemdiche e Chandler Jones (DL); Josh Bynes, Haason Reddick e Deone Bucannon (LB); Patrick Peterson e Jamar Taylor (CB); Budda Baker e Antoine Bethea (S). Markus Golden, e  Robert Nkemdiche são questionáveis para a partida de hoje.

Special Team: Phil Dawson (K); Andy Lee (P/H); Aaron Brewer (LS); T.J. Logan e JJ Nelson (KR); Christian Kirk e TJ Logan (PR).

Green Bay Packers:

Ataque: Randall Cobb, Davante Adams e Geronimo Allison (WR); David Bakhtiari, Lane Taylor, Corey Linsley, Justin McCray e Bryan Bulaga (OL); Jimmy Graham (TE); Jamaal Williams (RB) e Aaron Rodgers (QB). Rotação: Ty Montgomery, Marcedes Lewis e Trevor Davis.

Defesa: Muhammad Wilkerson, Kenny Clark e Mike Daniels e Clay Matthews, Blake Martinez, Oren Burks e Nick Perry (LB); Tramon Williams e Kevin King (CB); Ha Ha Clinton-Dix e Kentrell Brice (S). Oren Burks é questionável para esta partida.

Special Team: Mason Crosby (K); JK Scott (P/H); Hunter Bradley (LS); Trevor Davis, Ty Montgomery e Randall Cobb (PR/KR).

Chicago Bears:

Ataque: Allen Robinson II e Taylor Gabriel (WR); Bobby Massie, Kyle Long, Cody Whitehair, Eric Kush e Charles Leno Jr (OL); Trey Burton (TE); Michael Burton (FB); Jordan Howard (RB) e Mitchell Trubisky (QB). Rotação: Kevin White, Tarik Cohen e Anthony Miller.

Defesa: Akiem Hicks, Eddie Goldman e Jonathan Bullard (DL); Khalil Mack, Danny Trevathan, Nick Kwiatkoski e Leonard Floyd (LB); Kyle Fuller e Prince Amukamara (CB); Eddie Jackson e Adrian Amos Jr (S).

Special Team: Pat O’Donnell (P/H); Cody Parkey (K); Patrick Scales (LS); Benny Cunningham, Tarik Cohen e Bryce Callahan (PR/KR).

Minnesota Vikings:

Ataque: Adam Thielen e Stefon Diggs (WR); Riley Reiff, Tom Compton, Brett Jones, Mike Remmers e Rashod Hill (OL); Kyle Rudolph (TE); C.J. Ham (FB); Dalvin Cook (RB) e Kirk Cousins (QB). Rotação: Latavius Murray, Laquon Treadwell e Brandon Zylstra.

Defesa: Danielle Hunter, Sheldon Richardson, Linval Joseph e Everson Griffen (DL); Ben Gedeon, Eric Kendricks e Anthony Barr (LB); Trae Waynes e Xavier Rhodes (CB); Andrew Sendejo e Harrison Smith (S). Xavier Rhodes é questionável para esta partida.

Special Team: Daniel Carlson (K); Matt Wile (P/H); Kevin McDermott (LS); Marcus Sherels, Mike Hughes e Stacy Coley (PR/KR).

Detroit Lions:

Ataque: Golden Tate e Marvin Jones Jr (WR); Taylor Decker, Frank Ragnow, Graham Glasgow, T.J. Lang e Rick Wagner (OL); Luke Wilson (TE); LeGarrette Blount e Theo Riddick (RB); Matthew Stafford (QB). Rotação: Kenny Golladay, Ameer Abdullah e TJ Jones.

Defesa: Kerry Hyder Jr., Ricky Jean Francois, Sylvester Williams e Ezekiel Ansah (DL); Devon Kennard, Jarrad Davis e Christian Jones (LB); Darius Slay e Nevin Lawson (CB); Quandre Diggs e Glover Quin (S).

Special Team: Matt Prater (P/K); Sam Martin (P/H); Don Muhlbach (LS); Jamal Agnew e Ameer Abdullah (PR/KR).

Brock oficial

Carolina Panthers:

Ataque: Devin Funchess e Torrey Smith (WR); Taylor Moton, Amini Silatolu, Ryan Kalil, Trai Turner e Daryl Williams (OL); Greg Olsen (TE); Alex Armah (FB); Christian McCaffrey (RB) e Cam Newton (QB). Rotação: Jarius Wright, C.J. Anderson e DJ Moore.

Defesa: Mario Addison, Kawann Short, Dontari Poe e Julius Peppers (DL); Shaq Thompson, Luke Kuechly e  David Mayo (LB); James Bradberry  e Donte Jackson (CB); Da’Norris Searcy e Mike Adams (S).

Special Team: Graham Gano (P/K); Michael Palardy (P/H); JJ Jansen (LS); Damiere Byrd, Christian McCaffrey e DJ Moore (PR/KR).

New Orleans Saints: 

Ataque: Michael Thomas e Ted Ginn Jr (WR); Terron Armstead, Andrus Peat, Max Unger, Larry Warford e Ryan Ramczyk (OL); Benjamin Watson (TE); Zach Line (FB); Alvin Kamara (RB) e Drew Brees (QB). Rotação: Mike Gillislee, Tre’Quan Smith e Cameron Meredith.

Defesa: Alex Okafor, Tyeler Davison, Sheldon Rankins e Cameron Jordan (DL); Demario Davis, Manti Te’o e A.J. Klein (LB); Ken Crawley  e Marshon Lattimore (CB); Kurt Coleman e Marcus Williams (S).

Special Team: Thomas Morstead (P/H); Wil Lutz (K); Zach Wood (LS); Tommylee Lewis, Alvin Kamara e Tedd Ginn Jr (PR/KR).

Tampa Bay Buccaneers: 

Ataque: DeSean Jackson e Mike Evans (WR); Donovan Smith, Ali Marpet, Ryan Jensen, Caleb Benenoch  e Demar Dotson (OL); Cameron Brate e O.J. Howard (TE);  Peyton Barber (RB) e Ryan Fitzpatrick (QB). Rotação: Jacquizz Rodgers, Adam Humphries  e Chris Godwin.  Donovan Smith é questionável para a partida de hoje.

Defesa: Vinny Curry, Gerald McCoy, Beau Allen e Jason Pierre-Paul (DL); Adarius Taylor, Kwon Alexander e Lavonte David (LB); Vernon Hargreaves e Brent Grimes (CB); Chris Conte e Justin Evans (S).

Special Team: Bryan Anger (P/H); Chandler Catanzaro (K); Garrison Sanborn (LS); Adam Humphries, DeSean Jackson e Shaun Wilson (PR); Jacquizz Rodgers, Ronald Jones e Shaun Wilson (KR).

Posições: WR – Wide receiver/recebedor; OL – Linha ofensiva (guard, tackle e center); TE – Tight end; FB – Full back; RB – Running back/corredor; QB – Quarterback; DL – Defensive line/Linha defensiva (defensive end e defensive tackle); LB – linebacker; CB – Cornerback; S – Safety (Strong safety e free safety); K – Kicker; P – Punter; H – Holder; KR – Kickoff returner; PR – Punter returner.

Quer comprar produtos originais da NFL? Acesse www.firstdown.com.br .

MKC

 

Confirmados os últimos três quarterbacks titulares para a semana 1

Confirmados os últimos três quarterbacks titulares para a semana 1

MKC

Depois de muito esperar temos finalmente definidos os três últimos quarterbacks que serão titulares na semana 1. O antepenúltimo a anunciar foi o atual campeão Philadelphia Eagles, que confirmou no último sábado Nick Foles, o MVP do Super Bowl LII como titular.

Este anúncio demonstra que o movimento de segurar Foles perante diversas propostas de negociação foi o mais acertado por parte da equipe da Philadelphia. Foles pode não ter ido bem na pré-temporada, mas ele comandou muito bem a equipe os playoffs do ano passado. Além disso, com Foles como titular a equipe pode dar mais tempo para a “nebulosa” recuperação de Carson Wentz, que era esperado para jogar na estreia.

O segundo anúncio foi na manhã de hoje (03) e surpreendeu alguns insiders, que cravavam Josh Allen como titular na estreia do Buffalo Bills no campeonato. Sem poder contar com AJ McCarron, que fraturou a clavícula na pré-temporada, Nathan Peterman será o titular da equipe. Na última partida o calouro Allen sofreu muito contra a defesa do Cincinnati Bengals e talvez pela demora em tomar algumas decisões tenha ficado para trás por enquanto.

nate-peterman-111917-usnews-getty-ftr_1kyhsxp8vmuqg1jg1kj3sb9m4v

Fechando a lista dos 32 quarterbacks titulares, a terceira escolha geral do Draft 2018, Sam Darnold. O mais talentoso da classe terá sua oportunidade de liderar o New York Jets durante este ano. Estava claro que Josh McCown não seria o titular, recebendo um contrato de U$ 10 milhões como uma espécie de agradecimento pela temporada passada. Além disso, quando o Jets trocou Teddy Bridgewater com o New Orleans Saints a titularidade de Darnold ficou ainda mais clara.

Agora temos os 32 quarterbacks que iniciarão a temporada a partir de quinta-feira: 

AFC Leste:  Nathan Peterman (Buffalo Bills), Ryan Tannehill (Miami Dolphins), Tom Brady (New England Patriots) e Sam Darnold (New York Jets).

AFC Oeste: Case Keenum (Denver Broncos), Patrick Mahomes (Kansas City Chiefs), Phillip Rivers (Los Angeles Chargers) e Derek Carr (Oakland Raiders).

AFC Norte: Joe Flacco (Baltimore Ravens), Andy Dalton (Cincinnati Bengals), Tyrod Taylor (Cleveland Browns) e Ben Roethlisberger (Pittsburgh Steelers).

AFC Sul: Deshaun Watson (Houston Texans), Andrew Luck (Indianapolis Colts), Blake Bortles (Jacksonville Jaguars) e Marcus Mariota (Tennessee Titans).

NFC Leste: Dak Prescott (Dallas Cowboys), Eli Manning (New York Giants), Nick Foles (Philadelphia Eagles) e Alex Smith (Washington Redskins).

NFC Oeste: Sam Bradford (Arizona Cardinals), Jared Goff (Los Angeles Rams), Jimmy Garoppolo (San Francisco 49ers) e Russell Wilson (Seattle Seahawks).

NFC Norte: Mitchell Trubisky (Chicago Bears), Matthew Stafford (Detroit Lions), Aaron Rodgers (Green Bay Packers) e Kirk Cousins (Minnesota Vikings).

NFC Sul: Matt Ryan (Atlanta Falcons), Cam Newton (Carolina Panthers), Drew Brees (New Orleans Saints) e Ryan Fitzpatrick (Tampa Bay Buccaneers).

Traktor EJ (2)

Gruden vem a público justificar a troca de Khalil Mack

Gruden vem a público justificar a troca de Khalil Mack

MKC

Não demorou muito para que o novo treinador do Oakland Raiders viesse a público para explicar aos fãs a troca de Khalil Mack com o Chicago Bears. O melhor defensor da NFL foi negociado por duas escolhas de primeira rodada da equipe da NFC Norte nos próximos anos, além de uma escolha de terceira rodada e uma de sexta. Prestes a encontrar a torcida no próximo domingo, Gruden quis deixar clara a situação da equipe perante os fãs.

Vale lembrar que o atleta tinha contrato com o Raiders nesta temporada, já que a equipe havia optado pelo quinto ano. Mack receberia pouco mais de U$ 13 milhões e se tornaria um agente livre na próxima temporada, abrindo a possibilidade da franquia colocar uma franchise tag nele e tê-lo em 2018. Assim, o plano do Raiders era ter mais um ano para avaliar se ele ainda era o defensor de 2015 e 2016 e poder lhe oferecer um contrato alto.

“Esperamos, esperamos e esperamos, enquanto víamos o jogo contra o Rams se aproximando”, disse Gruden. “Nós sentíamos que ele não queria um acordo tão cedo. Eu vi os Redskins passarem por isso com Kirk Cousins (o irmão de Gruden é técnico do Redskins), por este longo processo. Você pode esperar. Você pode franquear ele. Você pode forçá-lo a jogar. Mas nós tomamos uma decisão e vamos apoiar isso. Fizemos uma oferta ao atleta e nossa oferta nem de perto era igual a do Bears. Eles nos fizeram uma oferta que achamos realmente única.”

5c6f8acd0ab87cb9f06bdc0d682bd59f

Gruden passou mais tempo enaltecendo as escolhas que a equipe conseguiu com Khalil Mack do que realmente lamentando pela saída do atleta. Também fez algumas críticas ao comando passado pela situação que encontrou na equipe e, quando perguntado sobre a diferença salarial entre a oferta do Raiders para a do Bears ele se eximiu de qualquer responsabilidade.

Eu não posso falar sobre as negociações”, disse Gruden. Reggie McKenzie e Tom Delaney estavam envolvidos nisso. Eu sei que talvez alguns pensem que eu estava envolvido no dia-a-dia das negociações. Eu não tive nada a ver com isso. Nós estávamos em um impasse e algo tinha que acontecer. Eu realmente não estava envolvido nisso, então você tem que pedir a Reggie para ser honesto com você.”

Ao final da entrevista ele desejou boa sorte a Mack e disse que agora quem irá substituí-lo terá que “aumentar o nível”. Os responsáveis pela difícil tarefa devem ser Bruce Irvin ou Arden Key. A equipe enfrenta o Los Angeles Rams na abertura da temporada e com certeza este não era o clima esperado para a reestreia de Gruden na equipe da Bay Area.

Traktor EJ (2)

As piores equipes de cada divisão

As piores equipes de cada divisão

Traktor EJ (2)

É sempre comum listarmos quem são os favoritos para vencer cada uma das oito divisões e chegar aos playoffs, mas decidimos fazer diferente. Hoje vamos listar as piores equipes de cada divisão e contaremos para vocês o porque da escolha. Vamos lá:

AFC Leste – Miami Dolphins

Adam Gase tem um desafio enorme com a equipe de Miami este ano. Depois de perder seu principal nome no ataque para o Cleveland Browns, Jarvis Landry, ele terá que arrumar a casa se quiser alcançar mais que as seis vitórias do ano passado. Na agência livre contratou pouco, mantendo a equipe com o mesmo estilo do ano passado.

O principal nome que chegou foi Josh Sitton, um dos melhores centers da liga. Também contratou Danny Amendola, que nem de perto chega ao nível de Landry. Ainda tem o ótimo Kenny Still e DeVante Parker, mas as corridas irão ficar a cargo de Kenian Drake e do veterano Frank Gore, além do calouro Kallen Ballage, escolha de quarta rodada este ano.

Com Ryan Tanehhill novamente são, a equipe deve dar uma última chance ao experiente quarterback, que desde que chegou a liga como oitava escolha geral do Draft 2012 nunca provou seu talento para ser titular de uma franquia. Para se ter uma ideia, o quarterback tem mais derrotas com a equipe que vitórias. Vale ressaltar que Tannehill jogou apenas oito partidas durante os últimos dois anos.

fl-sp-dolphins-kenyan-drake-20170814

AFC Oeste – Oakland Raiders:

Dois pontos são importantes para fazermos esta afirmação. O primeiro é que aquela equipe que venceu 12 na temporada de 2016 não existe mais. O segundo é que a equipe começou uma nova fase de transição, que deve demorar ao menos duas temporadas para se consolidar.

Quando falamos que a equipe de 2016 não existe mais englobamos tudo, desde a saída de Jack Del Rio, que fazia um grande trabalho na equipe até a perda de diversos atletas titulares. Com a chance de trazer Gruden de volta, Del Rio foi um pouco injustiçado, o que refletiu em alguns atletas. Antes, em 2017 já havia perdido muitos atletas daquela equipe, este ano perdeu Michael Crabtree, Marshall Newhouse e mais outros atletas de destaque, com o melhor de todos eles, Khalil Mack sendo negociado no último sábado.

Gruden trouxe Jordi Nelson, Doug Martin e mas alguns atletas interessantes, mas ficou claro que a equipe busca uma reestruturação. A tendência é que mais e mais jogadores vão sendo substituídos no próximo ano, visto que a equipe tem agora diversas escolhas extras no Draft e seu treinador recebeu um projeto para ser executado e 10 anos.

Não é uma equipe ruim, tendo chance de ganhar ao menos 7 partidas nesta temporada, mas está atrás de seus adversários de divisão.

AFC Norte – Cleveland Browns:

Não é porque o Browns contratou muito bem e que agora tem Jim Dorsey comandando o futuro da franquia que ele superará os adversários de uma hora para outra. mesmo porque – segundo os principais críticos de Cleveland – o “problema” continua com Hue Jackson sendo mantido no cargo.

A equipe trouxe Jarvis Landry, Carlos Hyde, TJ Carrie, Mychal Kendricks, Tyrod Taylor e mais uma infinidade de atletas, além claro de Baker Mayfield na primeira escolha geral do Draft 2018, porém até fazer a engrenagem funcionar demora um pouco. Já dissemos aqui que o Browns não fará uma campanha igual a dos últimos dois anos, mas é difícil dizer que a equipe é melhor que equipes consolidadas como Pittsburgh Steelers, Baltimore Ravens e Cincinnati Bengal, que mesmo não tendo ma boa temporada ano passado é melhor que a equipe de Cleveland.

browns-baker-rookie-camp

AFC Sul – Indianapolis Colts

Duas equipes demonstraram fraqueza na divisão na última temporada, ambas pelo problema da falta de um quarterback. Porém o Houston Texans tem total certeza que com a volta de Deshaun Watson seu jogo vai funcionar, diferente do Indianapolis Colts, que cada vez mais tem certeza que Andrew Luck não será mais o mesmo.

Além do problema de Luck, que teve que passar por um adequamento de sua mecânica de lançamento para conseguir voltar a jogar, a equipe tem poucos nomes de expressão em seu ataque. Destaque o reforço da linha ofensiva, uma vez que no Draft 2018 a equipe escolheu Quinton Nelson e Brandon Smith nas primeiras rodadas. Mas o corpo de corredores está escaço e os recebedores novamente são liderados por TY Hilton e Eric Ebron.

A equipe passa por reformulação e nesta era “pós-Chuck Pagano” os fãs do Colts ainda vão passar um pouco de “raiva” antes que a franquia volte ao seu rumo.

NFC Leste – Washington Redskins:

Em uma das divisões mais difíceis da NFL a equipe da capital americana teve uma perda irreparável: Kirk Cousins. O quarterback carregou o time nas costas nas últimas temporadas e agora, com um movimento rápido trazendo Alex Smith, o Redskins mudam um pouco seu estilo de jogo.

Com desfalques em seu elenco de corredores foi obrigado a contratar Adrian Peterson quase no fim da pré-temporada. Seu jogo aéreo também não está dos melhores, uma vez que os melhores nomes são os os tight ends Jordan Reed e Vernon Davis. A equipe não deve passar das sete vitórias da temporada passada, colocando em “check” o emprego de Jay Gruden.

Screen Shot 2017-11-24 at 14.19.38

NFC Oeste – Arizona Cardinals:

A defesa do Cardinals é boa, com nomes muito interessantes, mas a equipe perdeu alguns atletas importantes. Terá comandando o ataque ninguém menos que Sam Bradford, garantia de fortes emoções para os fãs da equipe. Além disso, os nomes de destaque são escaços e fica claro que Steve Wilks está preparando o futuro do time.

Deve ser a última temporada do futuro Hall da Fama Larry Fitzgerald, que é o grande nome do ataque do time ao lado de David Johnson e Jermaine Gresham, pouco para uma equipe que enfrentará Los Angeles Rams, Seattle Seahawks e San Francisco 49ers.

NFC Norte – Chicago Bears:

O Bears reforçou muito a equipe, inclusive anunciando Khalil Mack no último sábado. Mas ainda a equipe tem muito a provar para chegar no nível das outras equipes da divisão. Para se ter uma ideia, o Bears perdeu 20 das últimas 24 partidas contra os rivais de divisão, sendo “varrido” por todos no ano passado.

A defesa do Bears é muito forte, mas ainda sim é a pior equipe da NFC Norte.

usa_today_10458725.0

NFC Sul – Tampa Bay Buccaneers:

Sem chegar aos playoffs desde 2007, a equipe ainda perderá seu quarterback titular Jameis Winston pelas primeiras três partidas da temporada. Além disso, a equipe foi muito mal na temporada passada e o trabalho de Dirk Koetter vem sendo questionado, inclusive ele é um dos “favoritos” para perder o emprego no fim da temporada.

O elenco é bom, principalmente no corpo recebedor, que conta com Mike Evans, DeSean Jackson, Adam Humphries, Cameron Brate e Jordan Howard. Mas a equipe ainda não encaixou e é o time mais fraco desta divisão.

 

 

 

Entre Jardas | Futebol Americano BR - 2014