Navegue pela Home do seu time
Fitzpatrick reina na divisão de Brees, Matt Ryan e Cam Newton

Fitzpatrick reina na divisão de Brees, Matt Ryan e Cam Newton

MKC

Quem poderia imaginar que o veterano reserva do Tampa Bay Buccaneers  seria o grande astro da NFC Sul neste início de temporada. Pois está sendo. Ryan Fitzpatrick jogou sua segunda partida consecutiva para mais de 400 jardas e quatro passes para touchdowns, levando o Bucs a uma vitória por 27 a 21 em cima dos atuais campeões da NFL, o Philadelphia Eagles.

Na entrevista coletiva, a nova estrela da NFC Sul apareceu vestido como um rock star, emprestando as roupas de DeSean Jackson, que novamente fez grande partida. Fitz está trabalhando bolas em profundidade como nunca, uma vez que conta com Jackson, Mike Evans, OJ Howard (recebeu um passe para touchdown de 75 jardas) e Chris Godwin.

Com a atuação, ele entra para a história do Buccaneers como primeiro quarteback a lançar para quatro ou mais touchdowns em duas partidas de abertura de temporada, Também se torna o primeiro da franquia a dar dois ou mais passes de 75 jardas em uma partida. Enfim, Fitz está brilhando na divisão.

O que é de se espantar é a falta de protagonismo de outros grandes atletas da sua divisão. Drew Brees, futuro recordista da liga em jardas e Hall da Fama, amargou duas partidas difíceis em um início conturbado com o New Orleans Saints. Na estreia perdeu para o próprio Fitz, mesmo lançando para 3 touchdowns e jogando para 427 jardas. Mas ontem, enfrentando o Cleveland Browns sofreu para conquistar a primeira vitória, sendo pressionado o jogo inteiro e se salvando com um field goal no fim. Deu dois passes para touchdown, mas as 243 jardas chamam a atenção negativamente.

5b9ec1a786192.image

Já os MVPs da NFL em 2015 e 2016 se enfrentaram ontem e, mesmo fazendo um jogo movimentado, tanto Cam Newton quanto Matt Ryan ainda não se destacaram na temporada. Cam foi até melhor, jogando para 3 touchdowns e 335 jardas, porém o Carolina Panthers ainda não deslanchou.

Matt Ryan foi mais econômico, lançando para 272 jardas e 2 touchdowns, no entanto conseguiu a primeira vitória da equipe, que jogou em casa. Na estreia havia sido “engolido” pela defesa do Eagles, na derrota da equipe por 18 a 12. Na partida de ontem ambos foram interceptados uma vez.

Na semana 3 da temporada 2018 os confrontos das equipes da NFC Sul são: Falcons x Saints; Panthers x Bengals e Buccaneers x Steelers.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

Melhor que Drew Brees?

Melhor que Drew Brees?

TEST3

Uma declaração na tarde de hoje chamou muito a atenção. Ela dizia que Baker Mayfield pode se tornar um quarterback melhor que Drew Brees, futuro Hall da Fama da NFL. E esta declaração chamou a atenção por partir exatamente do quarterback do New Orleans Saints, que mesmo não conhecendo pessoalmente a primeira escolha geral do Draft deste ano, rasgou elogios ao atleta.

“Acho que ele pode ser muito melhor do que eu”, disse Brees em teleconferência. “Ele tem todas as ferramentas. É mais atlético. Ele provavelmente pode correr melhor. Ele tem um braço mais forte, enfim, ele pode se tornar um atleta melhor que eu.”

Apesar de nunca ter tido contato com Mayfield, o quarterback do Saints também cresceu no Texas e as High Schools que eles cursaram se separam por apenas vinte quilômetros. No entanto,  Brees confessou que acompanhou toda a trajetória de Baker no College, elogiando muito os predicados que ele demonstrou no futebol universitário.

brees

“Eu segui sua carreira na faculdade”, disse Brees. “Não poderia ter ficado mais impressionado com o que ele foi capaz de realizar, especialmente no ano passado. Realmente fiquei impressionado com a forma como ele joga o jogo. Eu acho que ele é um grande competidor”.

Brees vai encontrar com Mayfield no próximo domingo, porém dificilmente os dois estarão em campo juntos. Tyrod Taylor fez uma partida muito sólida contra o Pittsburgh Steelers  e só sairá do time a curto prazo se acontecer uma lesão. Já Brees fez uma grande partida contra o Tampa Bay Buccaneers, lançando para 3 touchdowns e mais de 430 jardas.

Drew Brees acumula em sua carreira 70.884 jardas, completando 67% de seus passes em treze anos de carreira. Alem disso, ainda venceu um Super Bowl. Será que Baker Mayfield chegará a estes números? Acho que já abemos a resposta. 

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br .

MKC

Dia “mágico” em New Orleans

Dia “mágico” em New Orleans

Brock oficial

Todos sabem que Ryan Fitzpatrick nunca foi um quarterback de elite na NFL. Na liga desde 2005, Fitz chegou da Harvard University como uma das últimas escolhas daquele ano (250° geral), muito por seu resultado fantástico no teste Wonderlic.

O tempo passou e Fitz rodou pela NFL. Fez algumas partidas trágicas, como quando lançou 6 interceptações em 2016 e teve em sua grande maioria partidas medianas, como quando quase levou o New York Jets aos playoffs em 2015. Mas também teve as exceções, quando lançou para mais de 300 jardas em sua estreia na NFL, quando lançou para 6 touchdowns e bateu o recorde do Houston Texans e hoje, quando se tornou o primeiro quarterback a lançar quatro ou mais passes para touchdown em uma partida defendendo cinco franquias diferentes.

fitz

A marca não veio só em uma simples partida, mas sim “na partida”. Nada menos que 88 pontos marcados em duelo sensacional entre Tampa Bay Buccaneers e New Orleans Saints. Do outro lado Drew Brees jogou muito, lançando para 439 jardas e 3 touchdowns. Mas Fitz foi mais completo, mesmo lançando para menos jardas (417), acertou quatro passes para touchdown, além de atingir uma média de 14,9 jardas por passe e um rating de 156, 3 pontos.

Nenhum dos dois foi interceptado na partida, até porque as linhas secundárias do Bucs e do Saints não são tão boas, porém os números de Fitzpatrick são muito bons, acumulando a porcentagem de acerto de 75%. E se você ainda não se convenceu da atuação de Fitzpatrick, ele ainda correu para 36 jardas e marcou um touchdown terrestre. Hoje em New Orleans foi dia de “Fitzmagic”.

Quer comprar produtos originais da NFL? Acesse www.firstdown.com.br .

TEST3

 

Três motivos para acreditarmos que Bridgewater é o futuro do Saints

Três motivos para acreditarmos que Bridgewater é o futuro do Saints

Traktor EJ (2)

O New Orleans Saints vem há anos buscando um substituto para Drew Brees, seu quarterback titular e futuro Hall da Fama. Brees teve e ainda terá momentos sensacionais com a franquia, mas seu contrato dura até 2019 e com 41 anos é bem provável que ele se aposente.

Assim o Saints fez na tarde de ontem um dos movimentos mais notáveis desta pré-temporada, principalmente quando falamos a respeito do futuro da franquia. Teddy Bridgewater estava muito bem no New York Jets e trazê-lo agora com um contrato que custará no máximo U$ 5 milhões o torna uma das grandes negociações deste ano. Claro que o contrato é de um ano e o Saints precisa de uma reestruturação, mas três motivos fazem dele o futuro da franquia:

Teddy e sólido como titular na NFL:

Apesar de ter apenas 25 anos, Bridgewater já tem 28 jogos como titular na NFL. Destes ele perdeu 6 em sua primeira temporada e 5 na segunda. Ele jogava em um ataque mais conservador, que o possibilitava trabalhar mais passes rápidos e dentro da linha das 10 jardas. Também teve seus momentos de big plays, mas Teddy tem todas as qualidades para administrar um ataque, principalmente na red zone.

Se você se atentar para os seus números (28 touchdowns em duas temporadas), vai parecer que ele não é um quarterback definidor, mas isso é exatamente o contrário, uma vez que o Minnesota Vikings nas temporadas que contou com Teddy tinha uma porcentagem muito maior de pontuação terrestre na red zone que de passes.

Outra prova de que ele pode ser bem agressivo e vertical em seus jogos é sua passagem por Louisville no College. Bridgewater jogou para 9.817 jardas e 72 touchdowns em três anos, com apenas 24 interceptações. Não adianta um quarterback ter muita força no braço se não tiver precisão, então se você busca boas decisões no pocket ou fora dele Teddy Bridgewater é seu quaterback.

bridgewater-teddy-103115-getty-ftr_4687qvbjuoce129dxfrhhilkp

O jogo de Sean Payton se encaixa perfeitamente com Bridgewater: 

Quem via Drew Brees dando aqueles passes de 80 jardas para touchdown talvez tenha uma impressão errada de como funciona o ataque do Saints. Claro que existe muita profundidade nos playbooks, mas na última temporada Brees e seu ataque trabalharam muito na zona de cobertura dos lineackers, principalmente com Alvin Kamara e Mark Ingram.

Estas opções de passe se encaixam perfeitamente com Bridgewater, que tem uma média de 7,5 jardas para cada conclusão. Além destas jogadas mais rápidas, o Saints trabalha muito com rotas cruzadas na distância entre 5 e 10 jardas do scrimmage. A leitura ofensiva de Sean Payton, uma das melhores da NFL e sem sombra de dúvidas se encaixará perfeitamente com a agilidade de Bridgewater para passar a bola. Com certeza o estilo do jogador deve ter influenciado muito na decisão da franquia em trazê-lo.

Companheiros de equipe se adequam a Bridgewater:

Se acontecesse – torcemos muito para que não – algo com Drew Brees e Bridgewater tivesse que começar como titular daqui há algumas semanas, o Saints ainda seria uma equipe muito competitiva. Como citamos acima, o jogo de Teddy se encaixa perfeitamente com Ingram e Kamara, grandes destaques do ano passado. As jogadas de lateral de Teddy – ficaram evidenciadas na pré-temporada com o New York Jets – também funcionariam perfeitamente, principalmente com Mike Thomas e com um dos tight ends (Benjamin Watson ou Josh Hill). 

A na profundidade ele ainda conseguiria acionar Ted Ginn Jr. Claro que ele não tem o mesmo braço de Drew Brees, mas com estádios que a sua divisão oferecem e ainda com a ajuda do clima, bem mais ameno que a NFC Norte que ele jogava antigamente, não faltará jogadas bem verticais para os recebedores, uma vez que isto faz parte do “DNA” dos times de Sean Payton.

Teddy Bridgewater será o futuro do Saints. Uma grande aquisição para a equipe, que agora pode focar em outras posições ao invés de ficar arriscando todo ano atrás de um substituto para seu futuro Hall da Fama. Se será em 2010, ano que vem ou ainda nesta temporada – caso Brees se lesione -  não dá para dizer, mas com certeza o New Orleans Saints tem um dos – senão o – melhor quarterback reserva da liga.

 

Jogador dos Bears volta para casa após lesão que quase forçou amputação de perna

Jogador dos Bears volta para casa após lesão que quase forçou amputação de perna

Uma cena extremamente forte chocou a NFL há quase um mês. Na derrota do Chicago Bears para o New Orleans Saints, em uma tentativa de recepção para touchdown, o tight end Zach Miller sofreu uma lesão gravíssima no joelho esquerdo. Levado para o hospital e submetido à uma cirurgia emergencial para evitar a amputação da perna, Miller voltou para casa nessa segunda-feira (20).

Depois da grave lesão e da cena chocante, Miller deixou toda a NFL em estado de preocupação. Ele precisou de uma operação de emergência na perda após o movimento extremamente raro no joelho que causou dano arterial e ameaçava sua perna. Desde o dia 6 de novembro o tight end estava em um hospital de Chicago.

Nessa segunda-feira, depois de quase um mês, a boa notícia chegou, dando conta de que Miller está de volta à sua casa. Não há nenhuma perspectiva de momento sobre o futuro do jogador no futebol americano, mas o atleta de 33 anos está recuperado a ponto de ser liberado para voltar para casa. Pelas redes sociais, Miller demonstra bom humor e manda mensagens de apoio aos colegas de time.

Vikings, Patriots e Saints mostram que estão voando na NFL

Vikings, Patriots e Saints mostram que estão voando na NFL

A Semana 11 da temporada serviu para mostrar que algumas equipes vivem uma fase realmente muito boa na liga. Minnesota Vikings, New England Patriots e New Orleans Saints venceram mais uma vez e provaram que não estão para brincadeira. Fáceis ou apertadas, as vitórias mostram a força dessas franquias neste momento da temporada.

Os Vikings jogaram em casa contra o Los Angeles Rams e o time visitante chegou a sair na frente, mas parou por aí. Depois de mais um touchdown de Todd Gurley para os Rams, Minnesota embalou e sob o comando de Case Keenum anotou 24 ponto seguidos para vencer por 24 a 07. Foi a sexta vitória consecutiva dos Vikings e uma campanha de 8-2 que dá à franquia a liderança da NFC Norte.

Mais uma equipe da NFC que está voando é o New Orleans Saints. Jogando em casa, a equipe fez um jogo duro e mesmo perdendo o calouro Marshon Lattimore, sensação da temporada, por conta de uma lesão, acabou vencendo o Washington Redskins. A partida foi disputada até o final e teve prorrogação após empate em 31 a 31. No overtime Will Lutz garantiu a vitória com field goal de 28 jardas. Foi a oitava vitória seguida dos Saints, que agora têm campanha 8-2 e liderança da NFC Sul.

No México, o atual campeão New England Patriots demonstrou que está na busca pelo seu sexto título de Super Bowl. A equipe atropelou o Oakland Raiders sem piedade. Tom Brady castigou a secundária dos Raiders e comandou os Patriots no triunfo por 33 a 08. Sexta vitória consecutiva dos campeões, liderança isolada da AFC Leste e briga direta com o Pittsburgh Steelers pela melhor campanha da conferência.

Veterano quarterback se declara à franquia: “Não pretendo sair nunca”

Veterano quarterback se declara à franquia: “Não pretendo sair nunca”

Trocar de equipe na NFL não é algo incomum, sobretudo para veteranos jogadores que estão chegando em seus últimos anos na liga. Muitas vezes os próprios times acabam optando por não renovar ou trocar seus atletas mais experientes em um processo de renovação. Com os quarterbacks, o movimento é bem comum, mas um dos grandes jogadores da posição não quer sair de sua atual equipe nunca.

Pegando fogo na temporada 2017 com sete vitórias consecutivas após um início ruim, o New Orleans Saints tem ainda mais motivos para ficar feliz. O grande astro da franquia Drew Brees se declarou ao time e negou qualquer intenção de deixar a equipe. “Estamos tentando melhorar um pouco a cada semana”, comentou à rádio XTRA 1360. “Sinto que temos uma excelente oportunidade à nossa frente e não planejo sair de New Orleans nunca”, afirmou Brees.

A declaração do jogador é oportuna já que Drew Brees será free agent ao final da temporada e terá que negociar uma renovação que consequentemente subirá o valor de seu salário. Após o início ruim dos Saints na temporada, chegou a ser comentado um possível desejo do quarterback de 38 anos de buscar outro lugar para tentar ser competitivo e buscar seu segundo anel de campeão antes de encerrar a carreira. Mas o desempenho do time cresceu e a equipe demonstra ser forte a ponto de acabar com as especulações em torno do futuro do atleta.

Nesse momento de frande fase dentro da temporada, o quarterback não quer nem pensar em contrato ou qualquer coisa do tipo. Brees só quer se concentrar nas partidas pada seguir ajudando os Saints a vencerem. “Vou lidar com 2018 quando 2018 chegar, agora estou pensando neste momento”, disse Drew Brees.

Jogador dos Buccaneers é suspenso por empurrão covarde em defensor dos Saints

Jogador dos Buccaneers é suspenso por empurrão covarde em defensor dos Saints

A última semana da NFL foi marcada por várias confusões em campo com os ânimos exaltados entre alguns jogadores em diversas partidas. E um dos confrontos que teve confusão foi entre Tampa Bay Buccaneers e New Orleans Saints, vencido pelos Saints por 30 a 10. Por um empurrão covarde no cornerback Marshon Lattimore, o wide receiver Mike Evans dos Bucs foi suspenso pela liga.

Depois de uma jogada ofensiva do Tampa Bay, Lattimore e o quarterback dos Bucs Jameis Winston trocaram palavras em um pequeno desentendimento. Quando o calouro dos Saints estava de costas, surge Mike Evans aplicando um forte empurrão em suas costas, levando Lattimore ao chão e desencadeando uma confusão maior.

Pela covarde atitude de Evans, a NFL decidiu por suspender o receiver por um jogo, mesmo que ele não tenha sido ejetado da partida pela arbitragem. “Você atingiu um adversário desavisado pelas costas, derrubando-o no chão. Sua conduta claramente não reflete os altos padrões de esportividade esperados por um profissional”, diz uma carta assinada pelo vice-presidente de operações da NFL, Jon Runyan.

Logo após a suspensão ser anunciada Mike Evans pediu desculpas e afirmou que deixou suas emoções o controlarem. Evans tem a oportunidade de apelar contra a suspensão, mas seus comentários depois da partida indicam que ele parece entender que a suspensão foi justa. Caso realmente cumpra a partida pela qual foi punido, ele não encara o New York Jets, em casa, na Semana 10.

Após início ruim, Saints emendam sexta vitória seguida

Após início ruim, Saints emendam sexta vitória seguida

O torcedor do New Orleans Saints começou a temporada cabisbaixo e chateado com atuações ruins e resultados ruins. Foram duas derrotas par primeiras duas semanas, contra Minnesota Vikings e New England Patriots. Mas a equipe engrenou a partir da Semana 3 e já emenda sua sexta vitória consecutiva na temporada.

A partir da vitória sobre o Carolina Panthers fora de casa na Semana 3, os Saints só sabem o que é vencer na NFL. A equipe embalou e com o crescimento da sua defesa deu chances ao ataque comandado por Drew Brees brilhar. O time foi fazendo vítimas pelo caminho e chegou à sexta vitória consecutiva nesse domingo (5).

Depois dos Panthers, Miami Dolphins, Detroit Lions, Green Bay Packers (fora de casa) e Chicago Bears foram derrotados pelos Saints. Nesse domingo, quem entrou no caminho do New Orleans foi o Tampa Bay Buccaneers. E o resultado foi mais uma vitória para os Saints, pelo placar de 30 a 10.

Com as seis vitória seguidas na temporada, a equipe chega a uma campanha de 6-2 e lidera a divisão sul da NFC. O Carolina Panthers é o principal rival pelo título da NFC South no momento, com 6-3. O Atlanta Falcons tem 4-4 e o Tampa Bay Buccaneers uma decepcionante campanha 2-6.

Jogador dos Bears sofre lesão gravíssima em derrota para os Saints

Jogador dos Bears sofre lesão gravíssima em derrota para os Saints

O Chicago Bears saiu de casa para encarar o New Orleans Saints e volta com mais uma derrota na bagagem, mas o pior do confronto não foi o placar de 20 a 12 para o time da casa. Os Bears levaram um grande susto em um momento de alegria ao ver Zach Miller anotar um touchdown. Mas o tight end não tem motivos para comemorar e o motivo não foi a decisão da arbitragem de anular a pontuação.

Depois do bom lançamento de Mitchell Trubisky, Miller fez a recepção e anotou o touchdown, mas o jogador sofreu um deslocamento no joelho e saiu direto para o hospital. O diagnóstico foi mais grave do que o imaginado e o tight end precisou ser submetido à uma cirurgia emergencial para evitar maiores danos na perna esquerda.

Em um lance “normal” e sem um grande impacto do defensor ou mesmo um contato mais agressivo entre os jogadores, Miller deslocou o joelho de uma maneira incomum. A gravíssima lesão causou danos vasculares na perna do atleta, o que aumentou o risco de maiores problemas e impôs a necessidade de uma cirurgia emergencial.

Zach Miller obviamente não joga mais nesta temporada e deverá passar por um longo período de recuperação. Ainda não foi divulgado o boletim médico após a operação. O tight end segue internado no hospital e o técnico John Fox, após a partida, disse que os “pensamentos e orações da equipe estão com ele”.

Saints vão ao Lambeau Field e vencem os Packers sem Aaron Rodgers

Saints vão ao Lambeau Field e vencem os Packers sem Aaron Rodgers

Uma nova realidade foi apresentada ao torcedor do Green Bay Packers na Semana 7 da NFL. No primeiro jogo da equipe depois da lesão de Aaron Rodgers, quem esteve no Lambeau Field viu o New Orleans Saints virar e vencer o jogo. Os visitantes, que nada tem a ver com os problemas dos cabeças de queijo, fecharam a vitória em 26 a 17 e confirmam uma arrancada na temporada.

Depois de começar com duas derrotas em 2017, os Saints engataram a primeira marcha e arrancaram para quatro vitórias consecutivas. Diante dos Packers, New Orleans esteve três vezes atrás no marcador, mas não se intimidou em jogar fora e virou no último quarto para vencer mais uma.

Com Mark Ingram funcionando bem no jogo corrido e Brees sempre eficiente pelo alto, o ataque dos Saints superou a defesa do Green Bay e conseguiu levar o time à vitória. O quarterback Drew Brees teve 27 de 38 em passes para 331 jardas, um touchdown e duas interceptações. O running back Mark Ingram fechou com 105 jardas e um touchdown em 22 recepções e o wide receiver Ted Ginn Jr. contribuiu com 141 jardas em sete recepções.

Substituto de Aaron Rodgers, o quarterback Brett Hundley teve um dia discreto pelos Packers com 12 de 25 em passes para 87 jardas e uma interceptação, além de um touchdown com as próprias pernas. O running back Aaron Jones correu 131 jardas e anotou um touchdown em 17 carregadas.

Adrian Peterson estreia com dois touchdowns e vitória dos Cardinals sobre os Bucs

Adrian Peterson estreia com dois touchdowns e vitória dos Cardinals sobre os Bucs

O Arizona Cardinals viu uma estrela da NFL estrear com a sua camisa na Semana 6 da temporada 2017. O running back Adrian Peterson foi trocado pelos Saints para os Cardinals e estreou com uma atuação promissora no Arizona. Com dois touchdowns, o astro ajudou sua nova equipe a vencer o Tampa Bay Buccaneers por 38 a 33 em jogo bastante disputado.

Com Peterson, outros dois pilares do ataque dos Cardinals também tiveram grandes números na partida. O quarterback Carson Palmer e o wide receiver Larry Fitzgerald foram os outros dois destaques da vitória da equipe. São dois jogadores que sentiram falta do jogo corrido no Arizona após a lesão do running back David Johnson.

Diante dos Buccaneers, Adrian Peterson começou bem sua trajetória na nova casa. O jogador anotou dois touchdowns, um de 27 e outro de uma jarda, e contribuiu para a vitória da equipe com 134 jardas em 26 carregadas. O quarterback Carson Palmer teve 18 de 22 em passes para 283 jardas, três touchdowns e uma interceptação. O wide receiver Larry Fitzgerald teve 138 jardas e um touchdown em 10 recepções.

Pelo lado dos Bucs a apreensão pela lesão do quarterback Jameis Winston, que saiu com um problema no ombro. O jogador passou por exames e a lesão não é grave, mas ele deve jogar com dores de estiver em campo na próxima semana. Ryan Fitzpatrick que entrou em seu lugar teve 22 de 32 em passes para 290 jardas, três touchdowns e duas interceptações.

Lions colocam quarterback como dúvida para pegar os Saints

Lions colocam quarterback como dúvida para pegar os Saints

O Detroit Lions viaja até New Orleans para encarar os Saints na Semana 6 da NFL. Com um confronto importante e difícil pela frente, os Lions podem ter ainda um grande problema para a partida. A franquia listou o quarterback Matthew Stafford como questionável para o jogo. O jogador sente uma lesão no tornozelo.

Depois da última partida contra o Carolina Panthers, Stafford sofreu com dores no seu tornozelo e virou dúvida nos Lions. A situação clínica do quarterback não o impediu de treinar normalmente, mas foi o suficiente para colocar o jogador como questionável para o confronto contra os Saints.

Participando de forma normal dos treinamentos, é difícil acreditar que Matthew Stafford fique fora da partida, dada até a importância do jogo para as pretensões do Detroit Lions na temporada. Ele deve estar em campo, mas a lesão no tornozelo deve limitar os movimentos de Stafford na partida.

Adrian Peterson manda recado para deixar os torcedores dos Cardinals otimistas

Adrian Peterson manda recado para deixar os torcedores dos Cardinals otimistas

O veterano running back Adrian Peterson foi trocado pelo New Orleans Saints para o Arizona Cardinals nessa semana. Depois de treinar pela primeira vez com a nova franquia, Peterson falou sobre sua condição física e mandou um recado que pode deixar os torcedores dos Cardinals otimistas.

Aos 32 anos, o MVP da NFL na temporada 2012 garante que ainda tem muita gasolina no tanque e nem pensa em parar de jogar. “Resta muito. Olho para jogar ainda mais uns quatro ou cinco anos”, projetou Adrian Peterson. Depois de uma temporada com lesão nos Vikings e um início de trajetória sem muito espaço nos Saints, Peterson chega aos Cardinals para retomar sua carreira e com a missão de substituir o machucado David Johnson e dar vida novamente ao jogo corrido da franquia.

No Arizona, o torcedor que se acostumou a ver Peterson carregando o número 28 nas costas, terá que “aprender” a ver o running back com outra camisa. Como o número 28 já está sendo utilizado pelo cornerback Justin Bethel, Adrian Peterson usará o 23 na nova casa.

Cardinals acertam troca com os Saints por astro da NFL

Cardinals acertam troca com os Saints por astro da NFL

A temporada já está indo para a Semana 6, mas o mercado ainda está quente na NFL. Nesta terça-feira (10) New Orleans Saints e Arizona Cardinals se movimentaram e acertaram uma troca. Os Cardinals trocaram uma escolha condicional de draft pelo running back Adrian Peterson dos Saints, um dos astros da liga.

O negócio foi revelado pela repórter Dianna Russini da ESPN americana e logo depois por mais algumas fontes na imprensa norte-americana. Histórico running back, Peterson chegará no Arizona com a missão de catapultar novamente o jogo corrido dos Cardinals após a lesão de David Johnson que tirou o jogador da temporada.

Contratado pelos Saints na free agency dessa temporada, Peterson tinha que dividir espaço com Mark Ingram e Alvin Kamara na franquia e teve poucas oportunidades. Ele teve 27 carregadas para apenas 81 jardas e nenhum touchdown na temporada até o momento. Nos Cardinals o MVP da temporada 2012 deverá ter mais espaço.

Técnico diz que é “questão de tempo” para veterano running back voltar à forma

Técnico diz que é “questão de tempo” para veterano running back voltar à forma

Uma das grandes atrações para a temporada 2017 era o retorno de um veterano running back aos campos. Ao mesmo tempo essa era também uma das grandes expectativas para o ano. Desde que assinou contrato para se juntar ao New Orleans Saints, Adrian Peterson se tornou um dos assuntos da NFL, mas o jogador não correspondeu até agora. No entanto, o técnico de running backs da equipe acredita que isso é apenas questão de tempo.

Foram apenas 27 carregadas para 81 jardas nas primeiras quatro semanas da temporada. Os Saints têm mais sucesso correndo com a bola quando a entregam para Mark Ingram ou Alvin Kamara, mas o técnico dos running backs Joel Thomas acredita que Peterson pode retomar sua forma no decorrer dos jogos.

Após 10 temporadas pelos Vikings e uma lesão que prejudicou Peterson em 2016, ele tenta se reencontrar nos Saints. Para Thomas, com um pouco mais de paciência poderemos ver o jogador rendendo mais nessa temporada. “É apenas uma questão de tempo”, disse o técnico para o New Orleans Times-Picayune. “Nós apenas precisamos continuar trabalhando, continuar moldando, ficar após o tempo e finalmente algo positivo vai sair disso”, projetou Thomas.

Patriots se recuperam vencendo os Saints fora de casa

Patriots se recuperam vencendo os Saints fora de casa

O New England Patriots se recuperou da derrota inesperada na Semana 1 diante do Kansas City Chiefs. A equipe foi até New Orleans e venceu os Saints por 36 a 20 fora de casa, conseguindo sua primeira vitória na temporada. Por outro lado a equipe da casa perde novamente e começa 2017 com duas derrotas seguidas.

Logo no início do jogo os Patriots já mostraram que a história seria diferente da Semana 1. Brady lançou o running back Rex Burkhead que apareceu na end zone como receiver para anotar o primeiro touchdown do jogo e abrir 6 a 0 após Gostkowski perder o extra-point. Os Saints responderam com field goal de Wil Lutz, mas ainda no primeiro período New England fez mais dois touchdowns com Rob Gronkowski e Chris Hogan, abrindo 20 a 03.

No segundo período New Orleans esboçou uma reação com duas pontuações consecutivas. Touchdown de Brandon Coleman e field goal de Wil Lutz, mas logo os Patriots voltaram a somar pontos. Um touchdown do running back Mike Gillislee e field goal de Gostkowski com cronômetro zerado fecharam o primeiro tempo.

Voltando dos vestiários com boa vantagem New England abriu ainda mais no placar com mais um field goal de Stephen Gostkowski no terceiro período e outro já no último quarto. Faltando cinco minutos para o fim do jogo Coby Fleener ainda fez o seu touchdown descontando para os Saints e fechando o placar.

Tom Brady se recuperou junto com os Patriots e fez um excelente jogo, com 30 de 39 em passes para 447 jardas e três touchdowns. O tight end Rob Gronkowski, alvo preferido de Brady, também teve uma grande partida com seis passes recebidos para 116 jardas e um touchdown. O quarterback Drew Brees dos Saints fez um bom jogo novamente, apesar da derrota novamente. Ele teve 27 de 45 em passes para 356 jardas e dois touchdowns.

Bradford brilha e Vikings vencem os Saints em reencontro com Adrian Peterson

Bradford brilha e Vikings vencem os Saints em reencontro com Adrian Peterson

Minnesota Vikings e New Orleans Saints abriram o primeiro Monday Night Football da temporada com um ingrediente especial na partida. Após 10 anos nos Vikings Adrian Peterson defende agora os Saints e pela primeira vez voltaria à sua antiga casa. E no reencontro entre o jogador e Minnesota, melhor para o ex-time do running back que venceu por 29 a 19.

Jogando fora de casa foram os Saints que abriram o placar com field goal de 43 jardas de Wil Lutz. A resposta dos Vikings foi na mesma moeda ainda no primeiro quarto, com chute de Kai Forbath de 24 jardas. No segundo período New Orleans começou a chegar na red zone e parar, assim Wil Lutz foi para seu segundo field goal, agora de 21 jardas.

Com a defesa dominando o forte ataque liderado por Drew Brees e Sam Bradford inspirado, Minnesota logo virou após bela campanha que terminou com passe do quarterback para Stefon Diggs livre na end zone. E a conexão Bradford-Diggs funcionou outra vez a segundos do intervalo colocando 10 pontos de vantagem no placar.

Voltando dos vestiários os Vikings aumentaram com outro field goal de Kai Forbath. Mas os Saints foram atrás e após longo passe de Brees a equipe chegou novamente na red zone adversária. Outra vez a defesa de Minnesota prevaleceu e Wil Lutz entrou em campo para o field goal. O último quarto começou com os Vikings dando um grande passo para a vitória. Bradford conectou com Kyle Rudolph na end zone para touchdown. New Orleans tentou encostar no placar, mas o time novamente parou na red zone e chutou outro field goal com Lutz, o quarto na partida.

Na reta final do último período de jogo Minnesota somou mais três pontos com Kai Forbath acertando um field goal de 45 jardas. Precisando de uma virada espetacular os Saints foram com tudo para o ataque e finalmente conseguiram entrar na end zone. Brees achou Coby Fleener pelo meio e o time visitante fez o seu touchdown fechando o placar.

Em jornada inspirada Sam Bradford liderou o ataque dos Vikings à vitória e fechou com 27-31 em passes para 346 jardas e três touchdowns. O running back calouro Dalvin Cook correu 127 jardas em 22 tentativas. Já pelos Saints Drew Brees foi 27-37 em passes para 291 jardas. Voltando à antiga casa, o running back Adrian Peterson teve apenas seis carregadas para 18 jardas.

 

Entre Jardas | Futebol Americano BR - 2014