Principais chances de troca no Draft 2019

Nós do Entre Jardas não fazemos Mock Drafts por um simples motivo: nunca ninguém acerta. Este modelo de previsão do Draft sempre dá errado e até a NFL – descrente dos “palpiteiros” – dá U$ 1 milhão de dólares para quem acertar as 32 primeiras escolhas.

E o grande motivo deste modelo não funcionar são as trocas, sempre imprevisíveis por se tratar movimentos volúveis de acordo com os atletas disponíveis. Ano passado, por exemplo, ninguém imaginava que teríamos sete trocas na primeira rodada, envolvendo dez times diferentes.

Nos anos anteriores foi assim, provando que as circunstâncias fazem com o Draft seja realmente algo imprevisível. Este ano não sabemos nem quem será a primeira escolha do Draft, uma vez que a troca de Josh Rosen serviria para mudar os planos de Giants, Redskins e até do próprio Cardinals.

Então decidimos falar a respeito das opções de trocas que aparecem. Sempre lembrando que não é algo instintivo de nós do Entre Jardas, e sim baseado no que as principais mídias norte-americanas descrevem. Vamos lá:

New England Patriots:

O Patriots não tem um grande histórico de movimentos assim em primeira rodada após a chegada de Bill Belichick. No entanto, a equipe pode simplesmente mudar suas características de acordo com o que tem disponível.

No ano passado foram duas escolhas na primeira rodada, incluindo um running back (algo que muitos criticam). E com a aposentadoria de Rob Gronkowski, pelo menos dois nomes entre os tight ends devem interessar ao time de Tom Brady.

Vale lembrar que além da 32° escolha geral, o Patriots ainda possui duas escolhas de segunda rodada e três de terceira este ano. Assim, se TJ Hockenson ou seu companheiro de equipe, Noah Fant passarem da escolha 20, existe muita chance do Patriots subir em uma troca com o  Seahawks ou Ravens, equipes desfalcadíssimas de picks este ano.

Leia também -   "Temos uma situação realmente boa", diz técnico dos Texans sobre seus quarterbacks

New York Giants:

Depois da troca de Odell Beckham Jr com o Browns, o Giants entra neste Draft com uma posição bem confortável para conseguir um quarteback. O grande problema é que não são grandes nomes e talvez a equipe pense em trocar sua primeira escolha (6° geral).

O raciocínio é simples: eles vão jogar com Eli Manning de qualquer jeito e Justin Hebert – sonho de consumo da franquia – estará disponível junto com pelo menos mais quatro ótimo nomes no ano que vem. Então por que arriscar com Dwayne Haskins, Drew Lock ou algum outro, sendo que é claro que eles não estão nos planos futuros da franquia?

O mais óbvio seria pegar um bom defensor na escolha 17 e trocar a sexta escolha geral deste ano por uma do ano que vem, adicionando mais algumas escolhas baixas. Aumenta o capital este ano e ainda fica com duas escolhas de primeira rodada em 2020, caso precise subir para pegar o melhor nome do ano que vem.

Os rumores deste movimento aumentam a partir do momento que Josh Rosen foi avaliado como um comércio escolha de de segunda rodada para baixo. O Giants poderia capitalizar sua escolha alta de primeira rodada, dar uma escolha de segunda ou terceira rodada para o Cardinals por Rosen e ainda ficar muito bem em 2020, caso o jovem quarterback de Arizona não dê certo.

Oakland Raiders:

Se existe uma equipe que irá trocar escolhas, podem ter certeza que ela é o Oakland Raiders. As chances da equipe manter as escolhas 4, 24 e 27 este ano são menores que 5%. Tudo porque tanto Jon Gruden quanto o gerente geral Mike Mayock são especialistas em Draft.

Leia também -   "Rivais de divisão" disputam o Draft 2018

O primeiro grande movimento pode acontecer para pegar Kyler Murray, mas ele não envolveria uma escolha de primeira rodada. Se ele passar da escolha número um, Gruden e Mayock ficarão de olho em John Lynch (49ers) e Mike Maccagnan (Jets) para saber quanto o Dolphins estará oferecendo por suas escolhas.

Caso não arrisque em um quarterback, provavelmente desça com a escolha de número 24 ou 27, principalmente se alguns atletas – e até um quarterback como Drew Lock – caírem. Aqui seria uma trade down, muito para que outras franquias possam obter um quarterback ou o quinto ano de contrato  de algum atleta interessante (que apenas as escolhas de primeira rodada possuem).

Também existe a possibilidade da troca das escolhas 24 e 27 por uma escolha de 12 a 20. Depende muito do atleta que estará disponível. Como dissemos acima, Gruden e principalmente Mayock são muito bons quando o assunto é Draft.

Miami Dolphins:

Acreditar que Ryan Fitzpatrick será o titular este ano, com a equipe esperando o Draft 2020 para buscar um quarterback é bem difícil. Muitos dirão: “Mas ele jogou pelo Jets e pelo Bucs bem”. É verdade, porém ele não chegou à nenhuma destas duas franquias como titular (no Jets era Geno Smith e no Bucs era Jameis Winston). E em ambas só assumiu a posição quando eles não estavam disponíveis.

Então o time de Miami deve apostar em Dwayne Haskins, que muito agrada seu staff. E três equipes que estão a sua frente, Giants, Broncos e Bengals, também gostam muito dele. Caso ele passe do Giants (6° escolha geral), é bem possível que o Miami negocie com o Lions ou Bills para subir para a oitava ou nona escolha.

Leia também -   O desaparecimento de Branden Albert

Agora se o Cardinals deixar passar Kyler Murray, vocês podem ter certeza que John Lynch (49ers) e Mike Maccagnan (Jets) receberão ligações de Chris Grier, Brian Flores e até de Stephen Ross, dono da franquia. Com certeza eles farão de tudo por este quarterback.

O NFL Draft 2019 acontece daqui a 16 dias, dos dias 25 a 27 de abril em Nashville, Tennessee.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br

Deixe seu comentário

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.