Gould e Clowney podem seguir caminho de Le’Veon Bell

Quando Le’Veon Bell se negou a assinar um contrato de U$ 12 milhões na temporada passada ele abriu um precedente nunca antes visto na NFL. Ele deixou claro que jogadores que recebem milhões não precisam estar a mercê da franquias e muito menos aceitar suas franchise tags.

Ele ficou de fora de toda a temporada, ressurgiu como agente livre e conseguiu as garantias que queria do Steelers quando assinou com o Jets. Isso foi uma prova da força de um atleta obstinado em ser valorizado. E parece que fez escola.

Dois atletas de elite em suas respectivas posições parecem estar caminhando para a mesma direção. O defensor Jadeveon Clowney e o kicker Robbie Gould foram marcados com franchise tag e ainda não a assinaram. Ambos demonstraram insatisfação em não ganharem um novo contrato e parecem não estarem dispostos a receber apenas o que a tag paga.

Clowney tem a receber se assinar pouco mais de U$ 15 milhões. Não se apresentou a nenhum treino voluntário e provavelmente não o fará nos obrigatórios desta offseason. Ele é um jogador de elite, manteve o ataque da equipe “vivo” nos anos que JJ Watt estava lesionado e agora quer sua recompensa.

O Houston Texans demonstra não querer lhe dar um contrato longo. E sem contratos longos os atletas não conseguem garantias robustas. Clowney fez U$ 35 milhões em seus primeiros cinco anos na liga. Obviamente, mesmo gastando bem ele não está passando necessidades. E é aí que as coisas começam a se complicar.

Se ele não ganhar um contrato novo ou assinar sua tag até 15 de julho, as chances dele perder grande parte do training camp são altíssimas. E um jogador de elite fora da pré-temporada por problemas financeiros será realmente impactantes. Se a “novela” se prolongar, com toda certeza os fãs do Texans vão criar uma indisposição com Clowney e seu futuro será uma troca.

Leia também -   Análise do Draft, defensive ends: Tim Williams

Robbie Gould segue no mesmo caminho. O veterano já deu mostras que só fica em San Francisco se receber muito dinheiro. O Chicago Bears está disposto a dar a ele seu último contrato com garantias de dois dígitos. Então ele não tem a menor boa vontade de jogar este ano.

Ele iria fazer U$ 4,9 milhões se assinasse a franchise tag. Podem acreditar: isso não vai acontecer. Para ficar no Niners ele precisa de um contrato novo com garantias robustas. Se a equipe não lhe der isso com certeza ele não assinará a tag e, assim como Bell, irá assistir a temporada 2019 pela televisão.

Quer comprar produtos originais da NFL no Brasil? Acesse www.firstdown.com.br

Deixe seu comentário

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.